Payet revelou que escolheu o Vasco pela “luta do time contra o racismo”

O habilidoso meio-campista francês é conhecido especialmente por sua passagem pelo Olympique de Marselha e pela Seleção Francesa.
Na apresentação, Payet escolheu o Vasco pela "luta do tempo contra o racismo" - (Daniel Ramalho / Vasco Da Gama)
Na apresentação, Payet escolheu o Vasco pela "luta do tempo contra o racismo" - (Daniel Ramalho / Vasco Da Gama)

Nesta sexta-feira (18), o entusiasmo e a expectativa tomou conta do Salão de Beneméritos de São Januário. Principal contratação da temporada do Vasco, o meio-campo francês Dimitri Payet, foi apresentado oficialmente como reforço do clube. Sob os holofotes e diante de representantes vascaínos, sócios-torcedores e convidados, Payet revelou os motivos por trás de sua escolha de vestir a camisa cruzmaltina.

O meia, conhecido por suas habilidades ofensivas e vasta experiência, surpreendeu ao apontar como principal motivo a luta contra o racismo. Em seu discurso, Payet destacou a história do Vasco como um dos fatores determinantes para sua decisão.

“Por que escolheu o Vasco? Porque sei que é um gigante e não só no Brasil, mas muito conhecido na França. É um clube lendário e histórico. Conhecemos a história de Romário, Edmundo, Juninho Pernambucano, Dinamite. E tem uma questão além, a luta do Vasco contra o racismo. É uma escolha que vai nesse sentido”, afirmou Payet.

A escolha de Payet, conhecido por sua passagem pelo Olympique de Marselha e pela Seleção Francesa, foi fundamentada em uma pesquisa sobre a história e cultura do clube. Ele expressou sua surpresa ao conhecer o icônico estádio de São Januário e a dedicação dos torcedores na construção do mesmo ao longo de quase um século.

“A segurança é muito importante para jogadores, torcedores e clube de forma geral. Defendo melhor segurança para todos, mas estádio vazio não dá sensação de futebol. Sem torcedores, cantos e bandeiras, não dá sensação de esporte. Espero que justiça, clube e federação possam se reunir para definir isso o quanto antes“, enfatizou Payet, ao ser questionado sobre a possibilidade de retorno da torcida às arquibancadas.

Vasco e Olympique de Marseille

Para além da expectativa vascaína de que Payet possa ser o nome que irá livrar o clube do rebaixamento a segunda divisão, o próprio atleta revela também ter essa intenção. Quando perguntado sobre a situação do clube, o francês lembrou de um outro clube em que brilhou, o Olympique de Marseille.

“O Marselha e o Vasco são times que enchem o estádio, é raro ver vazio. Essa emoção e peso da torcida fazem a diferença. Em relação à música, meu português ainda não permite entender, mas percebi que falavam meu nome, gostei e espero poder cantar com vocês em breve”, destacou o jogador francês.

Payet: o novo camisa 10

Payet pode ser considerado um “10 clássico”, é ofensivo, tem ótimo passe, drible e capacidade técnica que o permite se destacar também em jogadas de “bola parada”. No Vasco, o francês chega para assumir a lendária camisa 10, que já foi de astros como Roberto Dinamite e Juninho Pernambucano (muito conhecido também por sua história no Lyon, da França). Nesse sentido, o novo contratado do clube cruzmaltino reconheceu a importância de usar uma camisa tão significativa para a história do clube.

“Na minha chegada ao Brasil, já senti muito amor e confiança depositada em mim. No dia de ontem, pude saber um pouco da história de Roberto Dinamite, e como é emblemática e mítica essa camisa 10. É uma responsabilidade enorme, darei tudo de mim com muita garra e força para honrar a camisa 10 de Roberto Dinamite. Muito obrigado”, agradeceu o astro.

Quando Payet fará sua estreia no Vasco?

Ainda não há uma data confirmada para a estreia de Payet pelo Vasco. Atualmente o cruzmaltino está buscando a regularização do jogador junto a CBF. Estima-se que na próxima semana o meio-campista já esteja apto a ir a campo, o que passará a depender de suas condições físicas e ritmo de jogo, além é claro do técnico Ramón Diaz.

COMPARTILHE: