Palmeiras “sem volante” e “sem direção” no mercado de transferências

Com a janela aberta desde o início do mês de julho, o Verdão é o único time do Campeonato Brasileiro Série A que não se reforçou ainda
Palmeiras “Sem Volante” e “Sem Direção” no mercado de transferências (Foto: Palmeiras/Divulgação)
Palmeiras “Sem Volante” e “Sem Direção” no mercado de transferências (Foto: Palmeiras/Divulgação)

Com uma política de poucas contratações e alegando buscar “oportunidades pontuais de mercado“, o Palmeiras tem sido um dos clubes que menos tem contratado. Contudo na atual janela de transferências o Verdão tem se mostrado ainda mais modesto, é o único do Brasileirão Série A que não se reforçou.

A principal lacuna a ser preenchida no time de Abel Ferreira é a função de primeiro volante. O Verdão precisa de um “Camisa 5” desde a saída de Danilo para o Nottingham Forest, da Premier League.

Vale salientar que a saída do jovem volante vindo da base do clube já era previsível desde a última janela de meio de temporada (julho de 2022). Uma vez que Danilo (na época) já era cobiçado por times do velho continente.

“Sem Volante”

Após a saída de Danilo, o Palmeiras buscou inicialmente na base um reforço que pudesse cumprir a mesma função na equipe. Contudo, o principal jogador vindo da base e integrado ao time titular, Fabinho, tem sido pouco utilizado e ao que parece não está apto a assumir a função ainda.

Outra opção nesse sentido, o volante Jailson também não tem tido boas atuações quando as oportunidade surgiram. Assim Gabriel Menino e Zé Rafael, ambos segundos volantes, tem sido os mais utilizados na função.

Embora o improviso tenha conseguido resultados em algumas partidas, em outros momentos a ausência de um “5” tem claramente deixado a defesa da equipe mais exposta. Não à toa, o time sofreu mais gols nesta temporada, quando em comparação com as outras da “Era Abel”.

“Sem Direção”

Na busca por um jogador que pudesse cumprir essa função no meio-campo palmeirense, um dos primeiros foi Allan, hoje no Flamengo. No início da temporada, o jogador que atuava pelo Atlético-MG foi um dos mais cotados no Verdão, mas o negócio não virou.

Apesar disso o Palmeiras contratou, aliás as únicas duas contratações na atual temporada, o ponta Artur, do Red Bull Bragantino, e o volante Richard Rios, do Guarani. Apesar do último ser um volante, Rios é mais um que atua como segundo volante (clássico 8). Ou seja, a equipe palmeirense continuou sem um “Camisa 5“.

Na atual janela, após muita pressão da torcida, uma série negativa de resultados e o “placar de mercado” com mais de quatro saídas e nenhum reforço, finalmente a diretoria parece se movimentar. Apesar disso, a direção na qual essa movimentação acontece tem sido bem confusa para a torcida e quem acompanha o clube.

Inicialmente o jogador almejado pelo Palmeiras para a função de primeiro volante era Wendel, do Zenit (RUS). Além dele, outro possível nome era de Fernando, do Sevilla (ESP).

Sem conseguir sucesso nessas primeiras tentativas, o foco se voltou para Aníbal Moreno, do Racing (ARG). Contudo mais uma vez “os valores” pedidos pelo clube do jogador afastaram o Palmeiras e o “negócio esfriou”.

Agora a bola da vez é Santiago Hezze, do Huracán (ARG), o volante de 21 anos, se negociado, chegaria com status de promessa. Dessa forma, contrariando o primeiro pedido do técnico Abel Ferreira, que queria “jogadores prontos“.

Mantendo o Time Titular

Uma promessa que tem sido mantida pela presidenta Leila Pereira e a diretoria é de que o time não deve perder seus titulares. Atualmente foram reveladas propostas para diversos jogadores do elenco de Abel Ferreira.

Entre as principais ofertas, o zagueiro e xerifão palmeirense Gustavo Gomez chegou a ser fortemente assediado pelo futebol saudita. Contudo, o ídolo da zaga alviverde escolheu/foi convencido a permanecer no time.

Nesse sentido, nem mesmo Abel escapou. Por diversas vezes o técnico já revelou ter sido alvo de ofertas de outros clubes. Apesar disso, o Palmeiras tem mantido o elenco titular e vem em um trabalho constante de renovação de contratos.

Atualmente o Alviverde segue firme na Copa Libertadores de América (onde tem até o próximo dia 29 para se reforçar pensando nas oitavas de final) e no Brasileirão (onde tem até o dia 02 de Agosto). Porém, o ritmo com o qual a diretoria tem lidado com essa questão e a alternância contínua no nome pretendido, levanta no torcedor uma preocupação importante. O temor é de que o Palmeiras além de “sem volante”, esteja também “sem direção”.

COMPARTILHE: