Manipulação no Brasileirão: Como escândalos com apostas marcaram a competição

Manipulação no Brasileirão: Como escândalos com apostas marcaram a competição - Foto: FMF/Divulgação

Investigados pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), na Operação Penalidade Máxima, o escândalo das apostas esportivas tem abalado as estruturas do futebol brasileiro. Contudo, esta não é a primeira vez que uma investigação sobre manipulação dos jogos afeta o Brasileirão.

Episódios como a Máfia da Loteria Esportiva, revelado em 1982, e a Máfia do Apito, em 2005, se juntam ao Escândalo das Apostas Esportivas em mais um capítulo triste para a história do futebol brasileiro.

Máfia da Loteria Esportiva

A Máfia da Loteria manipulou o resultado de 13 jogos da Loteria Esportiva – Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Desde que foi revelado pela revista “Placar“, em outubro de 1982, a Máfia da Loteria Esportiva pode ser considerado o primeiro grande escândalo envolvendo manipulação de jogos no Campeonato Brasileiro.

Segundo as denúncias da matéria, a manipulação de resultados tinha como objetivo “fabricar resultados inesperados”, as famosas “zebras”. Dessa forma, 125 pessoas teriam se envolvido em um esquema para manipular 13 jogos listados na Loteria Esportiva da Caixa Econômica Federal.

Assim, o esquema teve jogadores, técnicos, dirigentes, empresários e ex-atletas entre os citados. Contudo, apenas 20 pessoas foram efetivamente indiciadas. No entanto ninguém foi preso.

Máfia do Apito

As ações da Máfia do Apito alteraram o resultado do Brasileirão de 2005 – João Henrique Borges/LANCE!

Da mesma forma como aconteceu com a Máfia da Loteria Esportiva, o escândalo que ficaria conhecido com “Máfia do Apito”, também surgiu a partir de denúncias da impressa. Desta vez, a revista “Veja” denunciou em setembro de 2005, uma série de relações suspeitas entre árbitros de futebol e apostadores.

O objetivo do esquema era a manipulação de jogos da série A do Campeonato Brasileiro. Na época, o então árbitro Edilson Pereira de Carvalho figurava entre os principais envolvidos.

Como resultado, o Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), determinou a anulação de 11 partidas do campeonato. Posteriormente sendo estas disputadas novamente, o que mudou os rumos do brasileirão naquele ano.

Caso os jogos não tivessem sido anulados, o Corinthians teria conquistado o campeonato de 2005. Como resultado, a mudança nas partidas deu ao Internacional o título daquele ano.

Os árbitros Edilson Pereira de Carvalho e Paulo José Danelon foram excluídos do futebol e se tornaram réus em ação penal, assim como outros participantes da máfia. Posteriormente, ninguém foi efetivamente condenado.

Sobre o Escândalo das Apostas

Agora, o novo escândalo no futebol brasileiro, já soma mais de 15 jogadores investigados, entre times das séries A e B. Além disso, um total de 53 citados nominalmente em provas na Operação Penalidade Máxima.

Apesar disto, a esperança é de que desta vez possamos aprender com os erros do passado e que os responsáveis por mais essa mancha na história do esporte nacional sejam punidos.

Investigações e regulamentação de empresas de apostas

Em contra partida aos fatos recentes, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), solicitou ao ministro da Justiça, Flávio Dino (PSB), que priorize as investigações na esfera federal. Ações como depoimentos, investigações e bloqueio de bens estão previstas para as próximas semanas.

Atualmente, o Governo visa aprovar regras para regulamentar apostas esportivas. Entre os mecanismos, está a criação de uma secretaria específica para analisar documentos para aprovação ou não do credenciamento das empresas de apostas.

COMPARTILHE: