Home Notícias Variedades Mundo Pet Cadelas gestantes: alimentação, amamentação e desmame

Cadelas gestantes: alimentação, amamentação e desmame

Publicidade

Cadelas gestantes: alimentação, amamentação e desmame
0
Publicidade

O período de gestação de uma cadela é uma época de muita expectativa (pelos filhotes que estão por vir!), mas também de muito cuidado. A Farmina Pet Foods, empresa de origem italiana especializada no desenvolvimento de soluções nutricionais para cães e gatos, orienta sobre as três fases que permeiam esse período da vida do animal: a alimentação durante a gestação, a amamentação e o desmame.

Alimentação

Proporcionar uma boa nutrição para a cadela gestante é fundamental para que o desenvolvimento dos filhotes ocorra da maneira esperada. A quantidade, a qualidade e o tipo de alimento que a cadela consome influencia não apenas na gestação, mas também no bem-estar do animal e dos filhotes.

De acordo com Patrícia Padovez, veterinária e coordenadora técnica da Farmina, desde que a cadela esteja recebendo um alimento de boa qualidade, não há necessidade de adicionar qualquer tipo de vitamina ou suplemento em sua alimentação.

Segunda a especialista, durante o último terço da  gestação, a cadela precisa de um alimento com altas doses de energia, pois é isso que irá garantir o crescimento e ganho de peso dos filhotes, a manutenção do peso ideal da cadela durante a amamentação e o aumento da produção de leite.

Para a boa aceitação desse novo alimento pelo pet, é preciso que o processo seja gradual. “O novo alimento deve ser acrescentado gradativamente ao alimento antigo, ficando com uma proporção cada vez maior até que substitua por completo o antigo.”, explica. Também é importante deixar o animal livre para se alimentar, não fazendo restrição quanto à quantidade de alimento e água consumidos.

Amamentação

A amamentação dos cães quase sempre acontece de forma natural. Ou seja, a ninhada nasce e é alimentada pela mãe sem interferência do dono. O leite da primeira amamentação, que é rico em anticorpos, chama-se colostro e só pode ser transferido pela cadela mãe.

“Em caso de ninhadas numerosas ou leite insuficiente, a partir de 21 dias, o filhote pode receber como complemento uma papinha de desmame, específica para este período”, orienta Patrícia.  Outra opção  é o leite artificial (industrializado para cães), que pode ser usado antes desse período, caso seja necessário.

Desmame

Sobre o desmame, ao substituir o leite materno por outras opções de alimentos, um erro muito comum acontece: dar leite de vaca para os filhotes. “Esse tipo de leite não é indicado, pois possui menor teor de gordura e de proteína do que o da cadela, além de possuir um nível maior de lactose, o que pode ocasionar diarreia nos filhotes”.

Além do cuidado com a troca de alimento, o desmame exige atenção à manipulação dos filhotes. Nunca tire todos os filhotes de perto da mãe na mesma hora. Assim como os humanos, a mãe cadela pode desenvolver uma mastite e ficar com o leite acumulado empedrado. O ideal é que, após 40 dias, quando os filhotes já estiverem se acostumado com a papinha de ração, inicie-se o processo de secagem do leite materno.

Após o desmame dos filhotes, a cadela deve voltar a receber o alimento antigo (pré-gestação) na quantidade indicada ao peso do animal. A água deve sempre ser mantida à vontade. Vale também levar a cadela para uma consulta no veterinários, que irá traçar um diagnóstico sobre a saúde da mãe após a gestação.

Publicidade

Rafael Nicácio Editor e repórter do Portal N10. Já trabalhou na Assecom (Assessoria de Comunicação do Governo do RN) e na Ascom (Assessoria de Comunicação da UFRN).
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!