Educação

Financiamento e bolsa de estudo: 36,2% dos concluintes firmaram contratos para a graduação

Entre 467.627 concluintes do ensino superior que responderam ao questionário socioeconômico do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), 36,2% afirmaram ter contratado bolsa de estudo e/ou financiamento ao longo da graduação. O percentual equivale a aproximadamente 169.281 pessoas. Entre os que não adotaram nenhuma das duas formas de pagamento, 155.720 fizeram cursos gratuitos e 142.626 estudaram em cursos pagos e arcaram com as mensalidades.

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foi a única opção de pagamento adotada por quase metade dos 169.281 estudantes – mais precisamente, por 14,3% – o que representa a modalidade mais contratada. Em segundo lugar, aparecem as bolsas de estudo ofertadas pelas próprias instituições de ensino, com aproximadamente 11.850 pessoas (7%). Bolsas integrais do Programa Universidade para Todos (Prouni), que representam 6,2% das adesões, fecham as três principais modalidades.

Prouni parcial

O Prouni também oferta bolsas parciais de 50% na mensalidade para estudantes que têm renda familiar entre 1,5 e três salários mínimos por pessoa. Entre os respondentes do Questionário do Estudante do Enade, 5.611 pessoas (1,2%) contrataram apenas o Prouni parcial. Por outro lado, 3.273 estudantes (0,7%) optaram por complementar o pagamento da mensalidade com o Fies, mesmo já utilizando a bolsa parcial do Prouni.

Bolsa de estudo

Ao desconsiderar os programas de governo, as bolsas de estudo oferecidas por empresas, Organizações não-Governamentais e demais entidades viabilizaram 2,1% das graduações – cerca de 9.820 estudantes. “Procurei oportunidades mais viáveis financeiramente para começar a faculdade. Escolhi contratar bolsa de estudo e consegui mais de 50% de desconto”, destaca a Ayana Silva Lima.

Por estudar em curso da modalidade Educação a Distância, a aluna de Ciências Contábeis também considera o tempo um fator importante diante da rotina que leva. “Não precisar me deslocar todos os dias, me dá a possibilidade de estudar e conciliar as demais atividades com o trabalho”, avalia.

Entre as entidades que ofertam bolsa de estudo, o Educa Mais Brasil disponibiliza cursos de graduação com até 70% de desconto. Só no último semestre, foram ofertadas cerca de 240 mil oportunidades para o ensino superior, em todas as regiões do país. Com a bolsa, o abatimento incide diretamente na mensalidade do curso e, caso o contratante tenha realizado todos os devidos pagamentos, não acumula dívidas ao término da graduação. Diferentemente dos programas como o Prouni e o Fies, não é necessário comprovar renda para contratar o benefício.

Outras modalidades de incentivo

O relatório também apresentou dados sobre outras modalidades de incentivo ao ensino superior: bolsas oferecidas por governo estadual, distrital ou municipal, que representaram 2,9% das contratações; financiamento oferecido pela própria instituição (1,3%); financiamento bancário (0,5%).

Os dados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) na última semana, quando houve a apresentação dos resultados do Enade 2017. No ano passado, estiveram presentes no exame 450.995 graduandos de 10.570 cursos superiores: 10.054 presenciais e 516 EAD (educação a distância).

Read More...

Destaques, Educação

Quatro bons motivos para o brasileiro trabalhar e estudar na Irlanda

A Irlanda tem paisagens naturais deslumbrantes, castelos medievais, gastronomia peculiar e um dos povos mais hospitaleiros da Europa. O destino vem se tornando o maior foco de imigrantes brasileiros do continente devido à boa oferta de cursos, qualidade de vida e, um dos fatores mais importantes, pela possibilidade dos intercambistas trabalharem legalmente.

De acordo com dados do Governo Irlandês, o número de brasileiros que entraram com o pedido de visto na Irlanda aumentou 18% em janeiro de 2018 no comparativo em relação ao mesmo período de 2017. “Além de muito convidativo pelos aspectos culturais, o país também é tranquilo quanto às burocracias de visto de trabalho e estudo”, comenta Jéssica Carvalho, coordenadora de produtos da CI Intercâmbio e Viagem.

Abaixo listamos quatro motivos pelos quais a Irlanda é um destino tão requisitado para fazer intercâmbio:

FACILIDADE PARA TIRAR O VISTO

A Irlanda está entre os países da Europa que mais contratam mão de obra estrangeira. Um dos motivos é a tentativa do governo de atrair investimento por meio de novas empresas. A IDA Ireland, agência do governo irlandês, prevê a criação de mais de 80 mil novos postos de trabalho até 2019. Por isso, o requerimento do visto é bem simples e, inclusive, fácil. Diferente de outros destinos, o processo é feito diretamente no país, no IRP – Irish Residence Permit, que é o escritório geral da imigração. “A simplicidade para conseguir o visto acaba sendo um diferencial de peso na escolha do destino”, explica Jéssica.

POSSIBILIDADE DE TRABALHAR

Um dos maiores chamativos da Irlanda é a possibilidade de trabalhar legalmente durante o período de intercâmbio. No entanto, o primeiro passo é do intercambista, que deve procurar oportunidades. “É necessário que o estudante elabore um currículo claro, busque e se candidate às vagas. Morar na Irlanda não é uma garantia de trabalho, mas uma possibilidade. E ele terá o apoio da escola para isso, além do escritório da CI, em Dublin”, esclarece Jéssica.

Outra dica importante é estar sempre aberto às chances de emprego que aparecerem, já que, em alguns casos, há muitas vagas disponíveis e poucos candidatos para preenchê-las, como é o caso do setor de TI, que cresce cada vez mais na Irlanda. “Mesmo que não seja uma oportunidade em uma área desejada, é um começo. A experiência adquirida fará com que outras portas se abram”, conta Jéssica. Além de ser uma forma de juntar um dinheiro extra para custear as despesas, trabalhar em outro país é enriquecedor para o currículo e para a bagagem cultural do estudante, que poderá conviver e aprender com outra cultura no dia a dia do trabalho.

EDUCAÇÃO DE QUALIDADE

Outro grande atrativo da Irlanda são as instituições de ensino que seguem um padrão de qualidade europeu. Um ranking divulgado pela revista britânica Times Higher Educations, apontou as 200 melhores universidades da Europa, sendo que a Irlanda possui cinco nomes na lista.

“Há uma linearidade na qualidade oferecida pelas instituições europeias, desde o ensino infantil até as universidades. Por isso, educação na Europa é sinônimo de qualidade”, explica.

QUALIDADE DE VIDA

irlanda morar trabalhar e estudar

Se a procura é por qualidade de vida, a Irlanda é uma boa opção não só na Europa, mas no mundo todo. Uma recente pesquisa realizada pelo Mercer Quality of Living City Ranking mostrou Dublin em 34º posição como o melhor lugar para se viver.

A capital irlandesa é muito arborizada, cheia de parques e paisagens naturais. Não à toa, a cidade é sempre lembrada pela cor verde. A segurança é outro ponto a ressaltar: é normal sair às ruas a qualquer hora sem muitas preocupações, não só em Dublin, mas em outras cidades da Irlanda.

Além de todos os benefícios, um dos maiores atrativos da Irlanda, seja para turismo ou para intercâmbio, são as belas paisagens naturais e as construções medievais, que, inclusive, serviram de cenário para muitos clássicos do cinema internacional. Também é possível fazer rotas para visitação dos castelos e ruínas dispostas em penhascos que carregam muita história e representam parte da cultura irlandesa.

Esse conjunto de fatores faz com que a Irlanda seja um lugar muito procurado, principalmente por brasileiros que querem uma nova experiência em outro país e de praxe conhecer uma outra cultura. “A receptividade do povo local e os outros estrangeiros em relação aos brasileiros e a facilidade com a documentação são, sem dúvida, fatores decisivos na hora de escolher a Irlanda como destino para o intercâmbio”, conclui Jéssica.

Read More...

Destaques, Educação

Enade: 10,5 mil cursos foram avaliados na edição de 2017

Estudantes brasileiros que participaram do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes 2017 já podem consultar o desempenho por meio do Boletim do Estudante disponibilizado no Sistema Enade. Foram inscritos no exame 537.360 concluintes de 10.570 cursos superiores. Na modalidade presencial, foram 422.746 estudantes de 10.054 graduações. Já na educação a distância, houve 114.614 alunos inscritos de 516 cursos EAD. Quase 1,5 mil Instituições de Educação Superior (IES) foram avaliadas em 44 áreas.

De acordo com o relatório divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 467.627 pessoas responderam ao Questionário do Estudante. O perfil predominante dos participantes do Enade tem entre 16 e 24 anos (39,8%), estuda entre 1 e 4 horas semanais (41,1%), mora com os pais (52,4%) e tem alguém na família que já concluiu o ensino superior (65,8%).

Em termos de cor ou raça, 51,7% são autodeclarados brancos, 42,6% são pardos ou pretos e 5,7% se encaixam em outra definição. A renda familiar predominante está entre 1,5 e 4,5 salários mínimos (72,1%). Trabalham regularmente 54,3% dos participantes, 37,8% não trabalham e 7,9% estão em situação diversa.

Graduação presencial

Nas graduações presenciais, 40,2% dos estudantes dedicam entre 1 e 3 horas aos estudos, 30% estudam entre 4 e 7 horas e 25,7% separam mais de 8 horas para a atividade. Do total, 4,1% afirmam que apenas assistem às aulas. Quando questionados sobre familiares com nível superior, 66,8% afirmaram que são os primeiros da família a concluir a graduação.

A renda familiar predominante está acima de 4,5 salários mínimos (30,1%). Em seguida aparecem as faixas de 1,5 a 3 salários mínimos (27,6%); até 1,5 salário mínimo (21,9%); e, por último, de 3 a 4,5 salários mínimos.

Educação a distância (EAD)

 Nos cursos de educação a distância (EAD), o período de estudo predominante também está entre 1 e 3 horas para 44,6% dos participantes. 30,3% dedicam entre 4 e 7 horas de estudo; 21,6% estudam mais de 8 horas e 3,5% apenas assistem às aulas. Em termos de renda familiar, predomina a faixa de 1,5 a três salários mínimos (34,2%), seguido de até 1,5 salário mínimo (25,7%).

Na modalidade EAD, 61,8% foram os primeiros a concluir o ensino superior entre os membros da própria família. Pelo menos 40 horas semanais de 46,6% são dedicadas ao trabalho e 20% declara não trabalhar.

Enade: o que é?

O Enade visa avaliar o desempenho de estudantes concluintes do ensino superior no que diz respeito às competências, habilidades e conhecimento adquiridos durante o curso. De acordo com o Inep, o exame “é um dos processos avaliativos previsto para a operacionalização do Sinaes [Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior]”. Ainda segundo o Inep, o exame viabiliza também uma avaliação dos cursos e dos respectivos projetos pedagógicos.

Cursos avaliados

Participaram do Enade 2017, os seguintes estudantes:

– Bacharel nas áreas de Arquitetura e Urbanismo; Engenharia Ambiental; Engenharia Civil; Engenharia de Alimentos; Engenharia de Computação; Engenharia de Controle e Automação; Engenharia de Produção; Engenharia Elétrica; Engenharia Florestal; Engenharia Mecânica; Engenharia Química; Engenharia; e Sistema de Informação.

– Bacharel ou Licenciatura em Ciência da Computação; Ciências Biológicas; Ciências Sociais; Filosofia; Física; Geografia; História; Letras – Português; Matemática; e Química.

– Licenciatura em Artes Visuais; Educação Física; Letras – Português e Espanhol; Letras – Português e Inglês; Letras – Inglês; Música; e Pedagogia.

– Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas; Gestão da Produção Industrial; Redes de Computadores; e Gestão da Tecnologia da Informação.

Read More...

Destaques, Educação

UFRN abre 725 vagas para mestrado e doutorado

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) está com inscrições abertas para 725 vagas, sendo 417 para mestrado e 308 para doutorado. Cada curso tem data específica para inscrição – confira edital no final da matéria.

As novas vagas estão sendo distribuídas em mais de 15 diferentes cursos de pós-graduação, voltados à titulação de brasileiros e estrangeiros em mestrado e doutorado.

Da seleção

O processo seletivo é composto por prova escrita, de caráter eliminatório, com bibliografia mínima definida pelo edital de Seleção; prova escrita de suficiência na leitura e compreensão de texto relacionado à temática do Programa, redigida em inglês; entrevista do candidato com a Comissão de Seleção, baseada na apreciação do curriculum vitae e do pré-projeto de dissertação ou tese do candidato.

Das vagas

Dentre os cursos oferecidos, existem vagas para Mestrado Educação Física (45 vagas); Doutorado em Ciências Sociais (10 vagas), Mestrado em Administração (21 vagas), Doutorado em Administração (10 vagas), Doutorado em Ciências da Saúde (30 vagas), Mestrado em Ciências da Saúde (10 vagas), Mestrado em Engenharia Mecatrônica (10 vagas), Mestrado Profissional em Engenharia de Software (22 vagas), Mestrado em Fisioterapia (12 vagas), Doutorado em Fisioterapia (10 vagas), Doutorado em Psicologia (21 vagas), Mestrado em Psicologia (38 vagas) e várias outras oportunidades.

Para se candidatar a alguma das vagas, acesse o Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA).


Se você quer ficar por dentro das novidades de concurso público processo seletivo no Rio Grande do Norte, participe do nosso grupo no Facebook (clique aqui).

Read More...

Destaques, Educação

Comece a sua Faculdade em 2019 pagando menos

Final de ano chegando, muitos já começam a alinhar as metas do ano que está por chegar. Principalmente, na área financeira. Sejam planos para comprar um carro, uma casa própria, e também, o de investir na educação. Muitos estão deixando ou adiando o sonho de ingressar na faculdade por um fator muito importante: a dificuldade financeira para encaixar a mensalidade no já apertado orçamento familiar.

Separamos aqui algumas dicas para você conseguir começar o ano de 2019 cursando uma faculdade. Vale lembrar que o ingresso no Ensino Superior pode ser feito por meio dos vestibulares tradicionais, pelos programas do governo (Sisu, Prouni e Fies) ou por iniciativas de inclusão educacional, a exemplo do Educa Mais Brasil.

A economia pode chegar a 70%. Na cidade de Natal – assim como em várias outras pelo Brasil, existem disponíveis bolsas de estudo para o curso de Direito, na modalidade presencial cujas mensalidades caem de R$ 1.283,58 para R$ 580,43. Na área da Comunicação com habilitação em Jornalismo, as mensalidades sem as bolsas de estudo custam, em média, R$ 737,78. Já com o desconto passaria a custar somente R$ 368,89. Ou seja, ambos com uma economia média de 50%, um desconto bastante significativo.

As bolsas de estudo são cada vez mais procuradas por proporcionar novas oportunidades para aqueles que não têm condições de arcar com a mensalidade integral. Foi assim que Sarah Lelis Strauch, graduanda em bacharelado de Ciências Biológicas, conseguiu ingressar em uma instituição particular do Ensino Superior. “Entrar na faculdade por meio de descontos da bolsa de estudo foi muito importante, a princípio eu não poderia. Encontrar um programa como esse foi muito bom. Sinto-me privilegiada. Já indiquei também para vários amigos, inclusive para uma amiga que veio do Japão e também não tinha como ingressar sem esse desconto”.

Saiba a diferença entre bolsas de estudo, Prouni e Fies

Bolsas de Estudo pelo Educa Mais Brasil

Um dos programas de iniciativa privada que oferta bolsa de estudo é o Educa Mais Brasil. Em parceria com milhares de faculdades, centros universitários e universidades, o projeto oferece descontos que podem chegar a 70% para cursos de graduação. Então, por que não começar agora mesmo sua faculdade com bolsas de estudo pelo Educa Mais Brasil? Você pode ingressar já em 2019 e começar o ano com o pé direito. Entre os cursos estão Medicina Veterinária, Direito, Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição, Arquitetura e Urbanismo e Serviço Social. Acesse o site parceiro do programa: http://www.educamaisbrasil.com.br/portaln10.

Prouni

Programa do Governo Federal que oferece bolsas de estudo integrais e parciais em universidades particulares. Para conseguir o benefício é preciso atender a algumas exigências. Os candidatos devem ter uma renda familiar de até três salários mínimos e, ao ser contemplado com uma bolsa, devem comprovar junto à instituição de ensino as informações sobre renda familiar e histórico escolar. Vale ressaltar que quem conseguir uma bolsa parcial (50%) terá que pagar a outra metade do valor do curso à faculdade.

FIES

É também um auxílio do Governo Federal que funciona como um financiamento estudantil para permitir o ingresso em faculdades particulares. A taxa de juros é de 6,5% ao ano para todos os cursos e o programa oferece financiamentos de até 100%. Durante o curso, o estudante irá pagar, a cada três meses, uma taxa de R$ 150 referente aos juros. Ao concluir a faculdade, continuará pagando essa taxa em um período de mais um ano e meio e, posteriormente, irá quitar o saldo devedor.

Read More...