DF registra 35 casos de superbactéria ao longo deste ano

Desde o início de 2015 a Secretaria de Saúde já registrou contaminação por superbactérias em quatro unidades: hospitais regionais de Taguatinga, Guaráx e Santa Maria, além da UPA de Sobradinho. Ao todo, 35 pessoas apresentaram micro-organismos do tipo. Representantes da Secretaria de Saúde e técnicos da Anvisa se reúnem nesta sexta-feira (5) para avaliar as ocorrências.
A última ocorrência é de uma mulher de 83 anos. Infectada com a bactéria multirresistente KPC, ela foi transferida da UPA para o Hospital Regional de Sobradinho nesta quinta. Segundo o filho, João Francisco Martins, a idosa foi internada há duas semanas com quadro de pneumonia e contraiu a nova infecção no hospital. Na última quarta-feira, 04 de junho, a Secretaria de Saúde informou que 16 pacientes estavam isolados no Hospital Regional de Santa Maria com a bactéria multirresistente (superbactéria) Acinetobacter baumannii.

A última ocorrência é de uma mulher de 83 anos. Infectada com a bactéria multirresistente KPC, ela foi transferida da UPA para o Hospital Regional de Sobradinho nesta quinta (Foto: Reprodução / TV Globo)
A última ocorrência é de uma mulher de 83 anos. Infectada com a bactéria multirresistente KPC, ela foi transferida da UPA para o Hospital Regional de Sobradinho nesta quinta (Foto: Reprodução / TV Globo)

O termo “superbactéria” vale para bactérias que desenvolvem resistência a grande parte dos antibióticos. Enzimas passam a ser produzidas pelas bactérias devido a mutações genéticas ao longo do tempo, que tornam grupos de bactérias comuns como a Klebsiella e a Escherichia, resistentes a muitos medicamentos.

Meios de Contaminação

As superbactérias podem se disseminar no ambiente hospitalar, em geral, por meio da transmissão cruzada entre pacientes. Isso é, são transportadas de um paciente a outro por meio das mãos dos profissionais de saúde. A contaminação do local, especialmente por meio dos equipamentos e superfícies próximas ao paciente, também pode contribuir para essa transmissão.

Uma característica importante da KPC é que, além de se multiplicar com rapidez, ela tem a capacidade de transmitir para outras bactérias o gene produtor da enzima, que destrói os antibióticos.

Tratamento e prevenção

De acordo com a médica infectologista e coordenadora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Israelita Albert Einstein, Dra. Luci Correa, o uso abusivo de antibióticos para tratamento de infecções em geral pode deixar as bactérias ainda mais resistentes.

Com informações do G1 e do Hospital Israelita Albert Einstein

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!