A verdadeira história por trás de ‘Invocação do Mal 3’ é mais assustadora do que o trailer

A verdadeira história por trás de ‘Invocação do Mal 3’ é mais assustadora do que o trailer

Excluindo os desdobramentos de A Freira e Annabelle, o casal Warren não aparecia na tela há algum tempo.

No entanto, os investigadores Ed e Lorraine estão prontos para um novo caso paranormal graças a The Conjuring: The Devil Made Me Do It, ou Invocação do Mal 3 – A Ordem do Demônio, aportuguesando a bagaça toda.

A história (agora dirigida por Michael Chaves e supervisionada por James Wan) vai narrar a possessão demoníaca do fazendeiro Arne Cheyenne Johnson, que após assassinar violentamente seu senhorio, alegou à polícia e à Justiça americana que “o Diabo o mandou fazer isso”… Dê uma olhada no trailer:

Patrick Wilson e Vera Farmiga retornarão como Ed e Lorraine Warren, respectivamente. Enquanto isso, Ruairi O’Connor interpretará Arne, cujo julgamento real em 1981 causou uma violenta tempestade na mídia e centenas de debates jurídicos.

O verdadeiro caso por trás de ‘Invocação do Mal 3’

O verdadeiro caso por trás de Invocação do Mal 3

No final dos anos 1970, Ed e Lorraine Warren vieram com a família da fazenda Glatzel para realizar um exorcismo em seu filho David, de 11 anos.

Naquela época, a dupla de investigadores certificou que, após vários eventos paranormais e aterrorizantes em torno de David e sua família, a criança estava sendo assediada por cerca de 43 demônios.

O exorcismo foi um sucesso para o pequeno David, mas infelizmente o vizinho de Glatzel testemunhou o ritual e serviu como um novo portador para as misteriosas entidades demoníacas. Esse vizinho era Arne Cheyenne Johnson.

Os anos se passaram e, embora Johnson não tivesse testemunhado eventos misteriosos ao seu redor, tudo mudou numa noite de 1981, quando ele saiu para beber com sua namorada Debbie, alguns amigos e seu senhorio (Alan Bono).

Depois de uma discussão da qual Arne Cheyenne diz não se lembrar com clareza, ele acertou Alan Bono com cinco longas punhaladas no peito. Naturalmente, a cena depois disso foi mais do que chocante e macabra para as autoridades.

Em sua defesa oficial, Johnson afirmou que havia assassinado Bono porque ele teve visões horrendas e “o diabo o fez fazer isso”. Os Warren foram convocados pela família de Arne e testemunharam em seu nome.

Especificamente, Lorraine Warren assegurou que Arne era um portador dos mesmos demônios que nos anos anteriores “haviam saído” do corpo de David Glatzel.

Embora Johnson tenha sido condenado pelo assassinato, muitos especialistas concordam que os Warren fizeram história ao atenuar a sentença: O assassino de Bono foi condenado apenas a “10 a 20 anos de prisão”, mas cumpriu apenas cinco deles.

A história deste julgamento, que se baseia numa “acusação judicial do Diabo”, foi retratada em inúmeros documentários, com destaque para o Discovery Channel (Histórias da Vida após a Morte – Onde os demônios habitam ) e a NBC (O Caso do Assassinato do Demônio).

Rafael Nicácio

Rafael Nicácio

Co-fundador e redator do Dinastia, é um dos responsáveis pela administração do site. Conta com a experiência de ter atuado nas assessorias de comunicação do Governo do Estado do Rio Grande do Norte e da Universidade Federal do RN. Trabalha com administração e redação em sites desde 2013 e, atualmente, também administra a página oportaln10.com.br.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: