Brasil

Diploma do ensino médio pelo Enem pode ser pedido na próxima semana

Os 67.254 participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que fizeram o exame para solicitar a certificação do ensino médio e atingiram os requisitos mínimos poderão solicitar o certificado a partir da próxima semana. As secretarias estaduais de educação e os institutos federais de todo o país terão acesso aos dados de quem obteve a pontuação exigida para a certificação ainda no começo da semana. A visualização é feita pelo técnico cadastrado para entrar no “Enem Solicitação”, sistema de dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) que disponibiliza as notas individuais dos alunos.

O participante do Enem deve procurar a instituição certificadora escolhida durante o preenchimento da inscrição do exame. Para solicitar a certificação do ensino médio, é preciso ter completado 18 anos de idade e alcançado 450 pontos em cada uma das quatro áreas de conhecimento avaliadas, além de 500 pontos na redação.

Cada instituição certificadora define a forma de encaminhamento do pedido e os documentos a serem apresentados pelo participante do Enem para a entrega do certificado.

As universidades têm autonomia para definir o critério de utilização da nota individual no Enem para seleção de candidatos a seus cursos. As instituições podem utilizar o exame como único critério de ingresso ou parte do processo. No sistema do Inep, elas podem conferir os dados dos candidatos por meio de CPF.

Resultados individuais 

O balanço do desempenho dos participantes no Enem 2014 foi apresentado pelo Ministério da Educação na última terça-feira, 13. Para acessar as notas, os participantes precisam informar o CPF e a senha cadastrada no ato da inscrição. Saiba como calcular a sua média final do Enem.

A senha do Enem é a mesma que será utilizada para acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), cujas inscrições começam na próxima segunda-feira, 19, e se estendem até 22 de janeiro.

Ao todo, 6.193.565 participantes tiveram nota em pelo menos uma das áreas avaliadas. As médias dos participantes nas provas objetivas foram de 546,5 em ciências humanas; 482,2 em ciências da natureza; 507,9 em linguagens e códigos; e 473,5 em matemática.

Read More...

Universo

NASA declarou 2014 como o ano mais quente desde 1880

O ano de 2014 foi o mais quente desde o início dos registros de temperaturas, em 1880, de acordo com um estudo publicado nesta sexta-feira (16) pela NASA e pela Agência Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA), no site da agência espacial. Relatório da agência aponta que, no ano, a temperatura média no solo e nos oceanos foi 0,69ºC acima da registrada no século 20.

O mês de dezembro do ano passado registrou a maior temperatura média para o período nos últimos 134 anos, quando a temperatura foi 0,77 ºC maior que a média do século passado. A agência informou que as medições feitas pela Agência Espacial dos Estados Unidos, de forma independente, chegaram às mesmas conclusões.

Os dez anos mais quentes, exceto 1998, foram registrados no século XXI. Os cientistas alertam que a tendência de aquecimento continua a superfície do planeta (Imagem: Divulgação/NASA)

Os dez anos mais quentes, exceto 1998, foram registrados no século XXI. Os cientistas alertam que a tendência de aquecimento continua na superfície do planeta (Imagem: Divulgação/NASA)

A instituição acrescentou que o aumento da temperatura se espalhou por todo o mundo. As regiões onde foram registrados recordes de calor estão no extremo Leste da Rússia, a Oeste do Alasca, no interior da América do Sul, na maior parte do continente europeu, no Norte de África e também nas regiões costeiras do Leste e do Oeste da Austrália.

A temperatura nos oceanos também foi recorde. Segundo a agência, a temperatura média da superfície do mar foi a maior da história, ficando 0,57°C acima da média do século 20.

Read More...

RN

UFRN oferece mais de 6 mil vagas de graduação pelo sistema SISU

O prazo para inscrição dos candidatos às vagas do ensino superior oferecidas pelo Sistema Nacional de Seleção Unificada (SISU) começa na segunda-feira, 19, em todo o país. Na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) são mais de 6 mil vagas disponíveis na primeira edição anual do SISU, conforme resolução aprovada em novembro de 2014 pelo Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão (CONSEPE). A UFRN também adotou a unificação da nota mínima de ingresso, fixada em 450 pontos, independente do curso ou da área.

No total, a Universidade oferece em 2015, nos seus mais de 50 cursos de graduação, 6.878 vagas pelo SiSU: 4.434 para o primeiro semestre e 2.444 para o segundo, distribuídas no Campus Central, em Natal, e nos campi do interior, nas cidades de Caicó, Currais Novos, Macaíba e Santa Cruz.

Em Natal, para os cursos de Biomédica, serão oferecidas 1.200 vagas. Medicina e Enfermagem, que em geral são os mais concorridos da área, disponibilizam 100 vagas cada, sendo 50 para cada semestre.

Na área de Humanas 1, são 474 vagas e o curso de Administração é o que oferece o maior número, 200. Na área de Humanas 2, são 1.559 vagas e os cursos de Direito e Pedagogia também possuem 200 vagas, cada um.

Nas áreas Tecnológicas 1 e 2, o total de vagas é de 2.490. O curso de Arquitetura, um dos mais tradicionais do setor, oferece 40. Já Ciência e Tecnologia, da área Tecnológica 2, tem sozinho 1.120 vagas, e o curso de Tecnologia da Informação, 240.

Vagas para cursos no interior

Nos campi do interior, a UFRN disponibiliza 950 vagas distribuídas em 4 cidades. No Campus de Caicó são 435 para Humanas I e II e Tecnológica II. Em Currais Novos são 195, todas para os cursos das áreas Humanas I e II. Já em Santa Cruz são 120 vagas para Biomédica.

O curso de Medicina Multicampi da UFRN oferece 40 vagas apenas para o segundo semestre. Essa graduação tem sede em Caicó, mas desenvolve atividades acadêmicas nos campi de Currais Novos e da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA), em Santa Cruz.

Na cidade de Macaíba há vagas para cursos da área Biomédica. Lá funciona o curso de Zootecnia, que oferece 40 vagas. Na área Tecnológica, há o curso de Agronomia, com 160 vagas. As informações são da Agência de Comunicação (Agecom/UFRN).

Read More...

Mundo

Homem que mantinha reféns em agência de correios na França, se entrega à polícia

O homem que na manhã desta sexta-feira (16) fez dois reféns numa estação de correios nas proximidades de Paris rendeu-se à polícia. Segundo o canal de televisão BFMTV, a invasão à agência, em Colombes, terminou por volta das 14h30 horas (horário da França), uma hora e meia depois de ter começado.

Uma fonte policial descartou desde o início da operação a possibilidade de se tratar de um ataque terrorista. O homem armado conseguiu deter duas pessoas na agência de correios, após várias pessoas terem fugido, segundo fontes policiais citadas pela agência France Presse.

O suspeito telefonou à polícia “dizendo frases desconexas” e afirmando estar fortemente armado, com granadas e um rifle kalashnikov, segundo as primeiras informações obtidas durante a investigação.

Um helicóptero dos serviços de emergência foi destacado para a área, onde foi instalado um perímetro de segurança.

Read More...

Mundo

Fotógrafo é baleado em manifestação contra Charlie Hebdo no Paquistão

Um fotógrafo da agência France Press foi atingido por um tiro durante uma manifestação em Karachi, Paquistão, contra o jornal satírico francês Charlie Hebdo. Segundo informações da imprensa local, cerca de outras duas pessoas ficaram gravemente feridas durante o protesto em frente ao consulado francês. O repórter fotográfico Asif Hassan foi transportado para o Hospital Jinnah, onde será submetido a uma cirurgia.

“O projétil da bala atravessou o pulmão e saiu pelo peito. Hassan encontra-se em perigo”, disse à France Press, o porta-voz do hospital, Seemi Jamali.

A polícia paquistanesa afirma que o disparo foi feito por um dos manifestantes. Já alguns participantes do protesto acusam os policiais de terem disparado contra o grupo.

Contudo, para acabar com o protesto, as autoridades paquistanesas atiraram, lançaram granadas de gás lacrimogêneo e utilizaram jatos de água para intimidar e dispersar a multidão.

As manifestações contra o periódico foram convocadas por partidos islâmicos paquistaneses ofendidos com a publicação de novas caricaturas do profeta Maomé na última edição do Charlie Hebdo – a primeira após os ataques da semana passada, no qual 12 pessoas foram assassinadas.

Outros protestos contra o jornal já foram registrados em outras cidades paquistanesas como a capital, Islamabad, e Multan, onde uma bandeira francesa foi queimada durante a manifestação.

Read More...