A TV em NúmerosColunasDestaques

Libertadores no SBT: Sucesso ou Fracasso? Veja o comparativo

Uma análises dos números da Globo x SBT

Há 8 dias atrás, o SBT exibia a final da Copa Libertadores 2021, entre Palmeiras e Flamengo. A partida, que terminou com a vitória do verdão em cima do rubro negro carioca, foi exibida no sábado (27/11), das 17h às 19h38, e marcou incríveis 27,3 pontos de média, com picos de 32, convertendo-se na maior audiência do canal em 19 anos. No mesmo horário, a Rede Globo sofria derrota histórica, ao registrar 9,3 pontos, com as exibições dos seus programas.

Mesmo as duas últimas finais do torneio sendo disputada somente por clubes brasileiros (Palmeiras x Santos e Flamengo x Palmeiras), e exibidas pelo SBT, os números alcançados ainda estão abaixo do que foi registrado na final de 2019, entre Flamengo e River Plate (ARG), quando a competição ainda era exibida pela Globo. O que explicaria essa “baixa” audiência, que a emissora de Silvio Santos apresentou, em comparação à Globo? Para entender essa história, é preciso voltar no tempo.

A Libertadores na Globo

Libertadores Globo
Foto: Reprodução/TV Globo

Competição já tradicional no calendário de futebol da Rede Globo, a Copa Conmebol Libertadores de 2019 teria pela primeira vez a tão sonhada final em jogo único, em sede previamente definida pela Confederação Sul-Americana de Futebol. Mesmo a Globo desprestigiando os patrocinadores oficiais do torneio, o que irritava muito a Conmebol (entidade organizadora da competição), a emissora carioca já estava consolidada no imaginário do telespectador, quando o assunto era “Libertadores da América”.

Levando apenas em consideração a audiência do IBOPE da Grande São Paulo (que é o principal mercado publicitário do país), no ano de 2019, os índices de audiência dos jogos da fase final do torneio foram os seguintes:

Com o time de maior torcida do Brasil avançando as todas as fases e se mostrando um dos favoritos ao título, a Globo vinha alcançando bons índices de audiência na Grande São Paulo, para um time que não era do estado.
Na grande final, que pela primeira vez na história da Libertadores foi realizado em jogo único em uma sede neutra pré-definida (Lima/PER), a Rede Globo conseguiu alcançar 32 pontos no IBOPE com a partida entre Flamengo (BRA) x River Plate (ARG). Apesar de não ter conseguido quebrar recorde de audiência da fase mata-mata da competição, que foi de 32,5 pontos (conquistados na segunda partida da semifinal, onde o Flamengo venceu o Grêmio por 5 a 0), o número foi bastante comemorado, pois, diferente das outras partidas da competição, exibidas pela emissora, o jogo foi transmitido num sábado as 17h, ao invés das 21h30 das quartas-feiras.

O grande sucesso da final de 2019, somados com a tradição esportiva que a Rede Globo possui e a presença de clubes de massa no torneio (Flamengo, Palmeiras, Grêmio e Santos e etc…) parecia a formula perfeita para a próxima temporada, que se mostrava promissora…

Globo X Conmebol

No ano de 2020, a TV Globo acabou rescindindo o contrato (no valor de US$ 65 milhões anuais) que tinha com a Confederação Sul-Americana de Futebol, para a transmissão das partidas da Copa Conmebol Libertadores, das temporadas 2020, 2021 e 2022. Alegando dificuldades financeiras, a emissora carioca viu o dólar disparar com a pandemia da Covid-19, saindo de R$ 3,90, em dezembro de 2019, para mais de R$ 5,50, em agosto de 2020 (aumentando o valor do contrato, de cerca de R$ 250 milhões, em aproximadamente mais de R$ 100 milhões).

Com a ruptura do acordo, a entidade sul-americana fez uma nova licitação para definir a emissora que ficaria responsável pela transmissão da competição, em TV aberta, no território brasileiro. Com uma nova licitação de contrato em aberto, a Globo entrava na disputa com o montante de US$ 45,5 milhões (R$ 241 milhões, na época). Além da Globo, Band, SBT e RedeTV! fizeram propostas oficiais. Das quatro emissoras de TV aberta na corrida, o SBT acabou vencendo, levando o torneio pra casa, mesmo oferecendo três vezes menos que a sua rival principal (a Globo). O valor acordado entre o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) e a CONMEBOL foi de US$ 15 milhões anuais, ainda que não fosse o valor desejado, a Confederação Sul-Americana de Futebol viu a oportunidade perfeita para se vingar da emissora da família Marinho (que não exibia os patrocinadores oficiais do torneio, durante as transmissões) mesmo recebendo menos por isso.

+ O que explica a baixa audiência de “Um Lugar ao Sol”?

A Libertadores no SBT

SBT

Sabendo que a TV Globo possui uma grade conhecida e já consolidada na rotina dos brasileiros, o SBT, para não competir as quartas-feiras com o Futebol da emissora carioca, optou por transferir as partidas da competição para às terças-feiras, mantendo o horário nobre do futebol da Globo (21h15/21h30 – Horário de Brasília).
Porém, no mesmo período, a Rede Record exibia as últimas semanas da 12ª edição de A Fazenda, principal reality da emissora que vinha alcançando ótimos índices. Competindo com a reprise de ‘A Força do Querer’ e as formações das Roças, de a ‘A Fazenda 12’, o SBT viu os números das oitavas e quartas de final não alcançarem os índices imaginados pela emissora. A audiência só aumentou nas semifinais, disputadas em janeiro de 2021. Veja os números:

Em 2021, os números de audiência da fase final do torneio apresentaram aumento em relação aos números da temporada anterior, mas ainda inferior aos registrados pela Globo, em 2019.

Como pôde ser observado, os números de audiências da fase final da Copa Libertadores caíram significativamente (com exceção das finais) desde quando o SBT passou a exibir a competição. Mas por quê? Existem alguns motivos que explicam a baixa audiência que a emissora de Silvio Santos apresentou, em comparação à Globo, como:

1 – a mudança de emissora

2 – a mudança do dia das transmissões

3 – a não tradição esportiva do canal

4 – a qualidade das transmissões (narrações)

Os dois primeiros motivos (a mudança de emissora e do dia de transmissão dos jogos) afeta diretamente o imaginário de milhares de brasileiros, seja pela memória afetiva da competição com o “selo” Globo, seja por costume de ver futebol as quartas-feiras. O fato é que essas duas mudanças mexeram com a fidelidade do público com a marca Globo. Aí entramos numa polêmica vazia: Toddy vs Nescau; Adidas vs Nike; McDonald’s vs Burguer King. O fato é que o consumidor sempre vai preferir uma marca a outra, o mesmo acontece com o Globo vs SBT. O produto é o mesmo (futebol), mas em qual emissora o público prefere assistir? A resposta temos em forma de domicílios atingidos:

Libertadores Globo x SBT
Foto: Montagem/Reprodução

Comparativo de domicílios alcançados na Grande São Paulo

Mesmo com algumas condições favoráveis, como o confinamento da pandemia e a exibição de jogos de clubes paulistas (como o São Paulo, nas oitavas de final desse ano; ou com o Palmeiras, a partir das quartas de final de 2020 e 2021), além de duas finais 100% brasileira (Palmeiras X Santos, em 2020; e Palmeiras X Flamengo, esse ano), o SBT não conseguiu alcançar os números que a Rede Globo obteve em 2019.

Apesar de não possuir tradição esportiva, o SBT fez o produto funcionar. A emissora investiu pesado, contratando narradores (Luiz Alano, Silva Jr), comentaristas (Mauro Beting), especialistas (como ex-árbitros), além de construir estúdios esportivos para fazer as transmissões de pré e pós-jogos. E mesmo não registrando os mesmos índices da Globo, o canal de Sílvio Santos saiu ganhando. A audiência do penúltimo sábado comprova.

Quer receber as principais notícias do Todo Canal no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Breno Brasil

Breno Brasil é o nosso colunista. Ele é graduando em Ciências Econômicas, pela Universidade Federal do Pará (UFPA).

Veja também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo