NostalgicamenteNovelas

Há 25 anos estreava a minissérie polêmica “Hilda Furacão”

A trama conseguiu uma grande repercussão na época e consolidou carreira de Ana Paula Arósio.

Há 25 anos, no dia 26 de maio de 1998, estreou na TV Globo a minissérie “Hilda Furacão”, que se tornou uma produção bastante polêmica e marcante para a televisão brasileira. Criada por Gloria Perez e baseada no livro homônimo, a trama contou com 32 capítulos e teve direção de Wolf Maya, Maurício Farias e Luciano Sabino.

A história girava em torno de Hilda Müller, uma jovem de família abastada que, às vésperas de seu casamento, decide abandonar tudo para se tornar uma prostituta em um prostíbulo de Belo Horizonte. Essa decisão surge após uma revelação feita pela cartomante Madame Janete, interpretada por Arlete Salles. No Maravilhoso Hotel, Hilda convive com outras prostitutas, travestis e cafetões, ganhando notoriedade e despertando tanto a alegria dos homens que frequentam o local quanto a ira dos defensores da moral e dos bons costumes.

A repercussão causada por Hilda é tão intensa que acaba gerando uma grande manifestação popular. De um lado, temos os habitantes e defensores do Maravilhoso Hotel, como Maria Tomba-Homem, vivida por Rosi Campos, e Cintura Fina, interpretado por Matheus Nachtergaele. Do outro lado, estão os conservadores liderados por Loló Ventura, papel de Eva Todor. Nesse conflito, também entram em jogo os interesses políticos dos chefes e coronéis da região, como Tonico Mendes, interpretado por Stenio Garcia, dono do Hotel Financial.

No meio de toda essa confusão surge Frei Malthus, vivido por Rodrigo Santoro, um religioso que se propõe a “exorcizar” o suposto demônio que habita o corpo de Hilda Furacão. No entanto, ele acaba se apaixonando pela prostituta, vivendo um dilema entre sua fé e seus desejos proibidos.

“Hilda Furacão” foi um grande sucesso para a Rede Globo, que, naquele ano, investiu em diversas minisséries. A produção substituiu “Dona Flor e Seus Dois Maridos” e foi sucedida por “Labirinto”. O elenco contava com nomes de peso, como Paulo Autran no papel do Padre Nelson, conselheiro de Frei Malthus, Tarcísio Meira como o coronel Polidôncio e Stênio Garcia como o excêntrico Tonico Mendes.

Ana Paula Arósio

Ana Paula Arósio em Hilda Furacão
Foto: Reprodução

A atração marcou a estreia de Ana Paula na Globo. Ela se tornaria uma das principais estrelas da emissora nas décadas seguintes.Antes de brilhar na televisão, Antes, ela já havia alcançado sucesso como modelo.

A famosa foi descoberta pelo SBT, onde atuou na novela “Éramos Seis” e em outras produções como “Razão de Viver” e “Os Ossos do Barão”. Quando Ana Paula foi convidada para participar de “Hilda Furacão”, ela ainda estava contratada pelo SBT, mas a emissora concedeu autorização para que ela pudesse atuar na minissérie da concorrente. Na época, essa decisão gerou bastante repercussão.

Após o sucesso, a famosa consolidou sua carreira na poderosa. Ela protagonizou várias produções de destaque, principalmente no gênero de época, como “Terra Nostra”, “Esperança”, “Os Maias”, “Um Só Coração” e “Ciranda de Pedra”, entre outras. Sua atuação talentosa e sua beleza cativante conquistaram o público e a colocaram entre as principais atrizes da televisão brasileira.

No entanto, em 2010, de forma surpreendente, Ana decidiu se afastar da televisão. Ela abandonou as gravações da novela “Insensato Coração”, onde interpretaria a protagonista Marina, e foi substituída às pressas por Paolla Oliveira. Essa atitude deixou os fãs perplexos e gerou muitas especulações sobre os motivos que levaram a atriz a tomar essa decisão. Desde então, tem se mantido afastada da mídia e raramente faz aparições públicas.

Embora sua saída abrupta tenha deixado uma lacuna na televisão brasileira, o legado de Ana Paula como uma das grandes atrizes de sua geração permanece. Sua participação em “Hilda Furacão” foi um marco em sua carreira e contribuiu para solidificar seu nome na indústria do entretenimento.

+ Há 25 anos estreava a novela “Torre de Babel”

Polêmicas da minissérie

A produção também foi um marco na televisão brasileira. Abordou temas polêmicos e provocou discussões sobre moralidade e liberdade sexual. Com um elenco talentoso e uma trama envolvente, a produção conquistou o público e se tornou um sucesso de audiência.

Quer receber as notícias das principais novelas no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial.Receba também as principais notícias do Todo Canal no seu WhatsApp. Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Leandro Mendonça Cassimiro

Leandro Mendonça é o nosso Editor Chefe. Formado em Administração pela Faculdade Latino Americana de Educação (FLATED). Teve passagem pelo RD1 Audiência e site NaTelinha.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Olá pessoal! O acesso ao nosso site é gratuito, porém precisamos da publicidade aqui presente para mantermos o projeto online. Por gentileza, considere desativar o adblock ou adicionar nosso site em sua white-list e recarregue a página.