Destaques, Economia

Brasil fecha 43 mil empregos e tem pior março desde 2017

O mercado de trabalho formal apresentou, em todo o país, saldo negativo de 43.196 empregos com carteira assinada em março. Segundo dados divulgados nesta quarta-feira (24) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, foram registradas 1.216.177 admissões e 1.304.373 demissões no período.

Trata-se do pior mês de março desde 2017, quando houve a destruição de 63.624 vagas. O número também frustra as expectativas das 17 consultorias e instituições financeiras ouvidas pelo Valor Data, que esperavam, em média, a criação de 70 mil vagas no período, com nenhuma previsão de queda entre elas.

A maior perda registrada em março foi no setor de comércio, que apresentou uma diminuição de 28.803 vagas, seguido de agropecuária (-9.545), construção civil (-7.781), indústria da transformação (-3.080) e serviços industriais de utilidade pública (-662).

Três setores tiveram resultados positivos: serviços (4.572), administração pública (1.575) e extrativa mineral (528).

Os estados que apresentaram os piores resultados foram Alagoas (-9.636 vagas), São Paulo (-8.007), Rio de Janeiro (-6.986), Pernambuco (-6.286) e Ceará (-4.638).

Os que anotaram saldo positivo foram Minas Gerais (5.163), Goiás (2.712), Bahia (2.569), Rio Grande do Sul (2.439), Mato Grosso do Sul (526), Amazonas (157), Roraima (76) e Amapá (48).

O salário médio das admissões registradas em março ficou em R$ 1.571,58, valor que, se comparado ao mesmo período do ano anterior, representa perda real de R$ 8,10 (-0,51%).

Já o salário médio que era pago no momento da demissão apresenta queda maior, de R$ 29,28 na comparação com março de 2018 – valor que representa perda real de -1,69%.

Read More...

Destaques, Empregos e Estágios

SuperFácil Rodoviária abre diversas oportunidades de emprego

O Grupo Nordestão abrirá a segunda loja da bandeira SuperFácil no Rio Grande do Norte. O empreendimento, cuja inauguração deverá ocorrer em julho de 2019, está sendo erguido ao lado do Terminal Rodoviário de Natal, no bairro Cidade da Esperança. O SuperFácil Rodoviária contará com cinco mil metros quadrados de área de vendas.

De acordo com Leôncio Etelvino de Medeiros Filho, presidente do Conselho Administrativo do Nordestão, a nova loja da bandeira SuperFácil será a décima primeira do grupo no Estado, sendo a segunda no segmento atacarejo. “Existe um espaço e uma necessidade para ser atendida. Nós iremos atender todos os bairros do entorno e também os municípios mais próximos”, destacou Leôncio Etelvino de Medeiros Filho.

Pensando na inauguração do empreendimento, estão sendo ofertadas diversas vagas de emprego. Para o setor operacional, existem as seguintes oportunidades:

  • Jovem Aprendiz
  • Recepcionista de Caixa
  • Embalador – Frente de Loja
  • Operador de Abastecimento
  • Operador de FLV (frutas, legumes e verduras)
  • Balconista / Operador de Açougue e Peixaria
  • Balconista / Operador de Frios
  • Balconista / Operador de Padaria
  • Embalador – Panificação
  • Embalador – Confeitaria
  • Camarista
  • Auxiliar de Cozinha
  • Auxiliar de Depósito
  • ASG
  • Operador de Inventário
  • Fiscal de Prevenção de Perdas
  • Segurança (Curso de Formação de Vigilante)

Para o setor administrativo, existem vagas para:

  • Auditoria
  • Comercial
  • Contabilidade
  • Contratos
  • Controladoria
  • Departamento de Prevenção de Perdas
  • Logística
  • Manutenção
  • Marketing
  • Nutrição
  • Operações
  • Qualidade
  • Recursos Humanos
  • Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho
  • Segurança Patrimonial
  • Tecnologia da Informação
  • Planejamento e Controle de Produção (PCP)
  • Planejamento de Reposição de Mercadorias (MRP)

Ficou interessado em alguma das vagas e pretende ser colaborador do SuperFácil Rodoviária? Não perca tempo e cadastre seu currículo clicando aqui. Atenção: o cadastro tem validade no banco de dados por um período de seis meses.


Se você quer ficar por dentro das novidades de concurso público e processo seletivo no Rio Grande do Norte, participe do nosso grupo no Facebook (clique aqui). Agora, se pretende focar nos estudos com os mais variados materiais para concurso, clique aquiQuer bolsa de estudo com até 70% de DESCONTO? Clique aqui e saiba mais!

Read More...

Destaques, Política

Parlamentares do Partido Novo abrem seleção de vagas para bancadas e gabinetes

Cerca de 20 parlamentares, entre vereadores, deputados federais, estaduais e distritais eleitos pelo Partido Novo, em 2016 e 2018, farão a partir desta quarta-feira (05) um processo seletivo aberto a todo país. “A ideia é que haja uma seleção ampla, em escala nacional em busca de profissionais que estejam alinhados com a renovação do quadro político de 2019”, disse Tiago Mitraud, deputado federal eleito pelo partido nestas eleições.

As vagas são para postos como assessor(a) parlamentar, assessor(a) de comunicação e assistente administrativo(a), em pelo menos 5 cidades brasileiras. Os requisitos básicos para preenchimento das vagas incluem: vontade de atuar na área pública, habilidade para alcançar resultados trabalhando em equipe e ser “ficha limpa”.

O recrutamento ocorre a partir deste mês e é 100% de responsabilidade dos parlamentares eleitos. Os selecionados começarão a trabalhar entre fevereiro e março de 2019, dependendo da Câmara ou Assembleia para onde forem contratados.

“Ter um gabinete técnico, sem indicações políticas, é uma das bandeiras do partido. Mas a iniciativa de fazer uma seleção de profissionais de todo Brasil veio dos próprios eleitos” conta Christian Lohbauer, ex-candidato a vice de Amoêdo.

Seguindo a linha do governador de Minas Gerais eleito pela legenda, Romeu Zema, os eleitos para o legislativo apostam na escolha de assessores técnicos para compor suas equipes para os próximos quatro anos. Em 2018 o NOVO elegeu 8 deputados federais, 11 estaduais e uma distrital. Em 2016 foram eleitos 4 vereadores.

Sobre o Partido Novo

O partido foi fundado em 2011 por um grupo de 181 cidadãos comuns, de 35 profissões diferentes, dentre eles João Amoêdo, candidato à Presidência da República em 2018. O Partido tem como princípios ser autofinanciado por seus apoiadores, não utilizar os Fundos Eleitoral e Partidário, manter separadas a gestão partidária das campanhas e dos mandatos dos eleitos. Além disso, a definição de candidatos é feita de forma democrática por meio de processo seletivo entre filiados.

Atualmente o NOVO é mantido por seus mais de 30 mil filiados e apoiadores e é um dos partidos mais seguidos nas redes sociais. A legenda é representada no legislativo por 4 vereadores, eleitos em 2016 e em 2018, superou com facilidade a clausula de barreira, elegendo 8 Deputados Federais, 11 Estaduais e um Distrital. Para o poder Executivo o partido elegeu o Governador do Estado de Minas Gerais, Romeu Zema. Todos eleitos sem nenhum centavo de dinheiro público, nem coligações partidárias.

Read More...

Mossoró

Mossoró mantém saldo positivo de emprego pelo 5º mês consecutivo

Com a criação de 1.702 vagas com carteira assinada em setembro, Mossoró registrou mais uma vez saldo positivo na criação de empregos formais. Os dados constam no levantamento do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados pelo Ministério do Trabalho. No mês foram registrados 1.702 admissões contra 1.337 desligamentos, o que representa uma variação positiva de 0,69%

Pelo quinto mês consecutivo o município de Mossoró apresenta saldo positivo de emprego. No acumulado do ano de 2018, entre desligamentos e contratações foram criadas 1.095 novas vagas com carteira assinada. Isso representa quase três vezes mais do que o saldo alcançado em 2017, que foi de 398 novos postos de trabalho. “Os números de 2018 mostram o melhor resultado dos últimos três anos, visto que em 2015 e 2016, o município encerrou o ano com saldo negativo de contratações. Isso indica que estamos no caminho certo da retomada do desenvolvimento”, ponderou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Lahyre Rosado Neto.

Entre os setores econômicos, a agropecuária foi o que mais contratou em setembro, ficando com um saldo de 119 empregos formais. Em seguida, aparecem os setores de indústria de transformação, com 77 novos postos de trabalho e o de serviços, com saldo positivo de 65 novos postos.

Mossoró mantém saldo positivo de emprego pelo 5º mês consecutivo

O segmento da construção civil, um dos mais penalizados com a crise nacional, ficou entre os quatro setores que mais contrataram em Mossoró no mês de setembro, apresentando um saldo de 62 novas vagas e uma variação positiva de 1,28%.

Com um investimento de mais de 40 milhões em obras de infraestrutura, a Prefeitura também tem estimulado a criação de novos postos de trabalho no setor. Um exemplo disso, é o do o ajudante de pedreiro, Romilson Rodrigues de Melo, contratado por uma construtora para finalizar a obra da creche da Estrada da Raiz. “Faz dois anos que eu estava parado, precisando ajudar a família e agora com essa obra da Prefeitura eu voltei a trabalhar, graças a Deus”, comentou Romilson.

Read More...

Destaques, RN

Mais de 5 mil vagas de emprego foram fechadas no RN

Em meio à crise econômica que atingiu o Brasil nos últimos anos, temas relacionados ao desemprego têm se tornando centrais quando o assunto é a recuperação econômica. Só no Rio Grande do Norte, foram mais de 5.000 vagas de emprego fechadas nos cinco primeiros meses de 2018.

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o CAGED, foram mais de 56 mil admissões e mais de 60 mil demissões no estado só neste ano. O setor de indústria de transformação foi o que mais perdeu vagas no RN, com 1.800 postos de trabalho. O economista Antônio Carlos Alves explica que a demissão no setor é a última escolha.

“No caso da indústria de transformação, temos que levar em consideração que empresa só demite seus funcionários quando ela não tem outra alternativa. Por quê? Porque ela investiu pesado na formação e treinamento desse funcionário, então é um capital humano que, ao demitir ela perde, e no futuro quando a economia retornar o crescimento, e a economia vai retomar em algum momento, ela vai ter que reinvestir na formação de nova mão de obra. Então, para ela não é interessante investir, mas dada a situação da economia, ela não tem outra alternativa a não ser demitir. Então você percebe que é um conjunto de fatores que acaba impactando negativamente a performance no mercado de trabalho.”

comercio

Outro setor com saldo negativo, é a área de comércio. No acumulado de 12 meses, o setor abriu 268 novos postos de trabalho, mas de janeiro a maio deste ano fechou mais de 1.500 vagas no estado. Segundo o economista, esse fator é explicado por conta da sazonalidade, sendo que final de ano o comércio contrata muito mais por conta de festas que acontecem.

Com um saldo positivo, o setor de construção civil apresenta mais de 700 novas vagas no Rio Grande do Norte, de janeiro a maio deste ano. O pré-candidato ao Palácio do Planalto pelo MDB, Henrique Meirelles, afirmou em coletiva em Natal que a criação de emprego é uma de suas prioridades.

“Eu me dediquei dois anos a tirar o Brasil do colapso, então não é uma continuidade, é mais do que isso. Isso é trabalho concreto, resultado concreto mostrado para população. Então, o que nós vamos fazer é ampliar a melhora, fazer com que esse crescimento de empregos continue. Porque o Brasil ainda tem muitos desempregados, o governo anterior criou 14 milhões de desempregados no Brasil. Mesmo que nós já tenhamos criado dois milhões de emprego no Brasil, ainda é pouco dentro desse vasto número de desempregados que o Brasil tem. Então, temos que criar emprego rigorosamente nos próximos anos.”

Já no Brasil, de acordo os dados divulgados pela IBGE, mais de 13 milhões de brasileiros estão desempregados. A taxa ficou abaixo da registrada no trimestre terminado em abril, quando o índice foi de 12,9%, e também em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, quando estava em 13,3%.

Read More...