Destaques, Parnamirim

Liminar garante pagamento de verbas rescisórias a ex-empregados do Boa Esperança

Uma ação civil ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPTRN) recebeu liminar favorável da 11ª Vara do Trabalho de Natal, que reconheceu ter havido simulação de acordo extrajudicial para parcelar em até 25 vezes o pagamento de verbas rescisórias decorrentes da demissão coletiva de mais de 300 trabalhadores de duas lojas do Supermercado Boa Esperança, em Parnamirim.

Por força da liminar, a empresa foi obrigada a comprovar, em cinco dias, o pagamento das verbas rescisórias devidas a todos os empregados dispensados. No caso de não pagamento, bens da empresa e de seus sócios podem ser bloqueados para garantir os direitos dos trabalhadores.

Na decisão, a juíza Jordana Duarte Silva reconheceu que “representantes da empresa coagiram empregados a aceitarem um acordo de parcelamento de verbas rescisórias e a abrirem mão de direitos, como o recebimento integral da multa do FGTS”. A fraude foi denunciada ao MPT por ex-empregados, que foram surpreendidos com uma Ação de Homologação de Acordo Extrajudicial proposta pelo supermercado Boa Esperança.

Na ação, as assinaturas dos empregados constavam como anexo do acordo, como se houvessem aceitado os termos do ajuste. O problema, segundo eles, é que as “assinaturas foram dadas em uma lista de presença de uma reunião convocada para tratar do recebimento das carteiras de trabalho, entrega dos Termos de Rescisão e de cartas de recomendação. Nessa reunião, os trabalhadores foram apenas informados de que a empresa estava analisando como seria feito o pagamento das verbas rescisórias”.

De acordo com as provas colhidas na investigação, o advogado que se apresentou como representante dos empregados não foi contratado por nenhum deles, tendo sido contratado pela empresa, que “também teria coagido psicologicamente os empregados para não buscarem a ajuda do sindicato, alegando que se procurassem o sindicato ‘o pagamento demoraria mais'”. Constam nos depoimentos de dois empregados, que, na reunião com os demitidos, o advogado contratado pelo empresa disse: “É melhor vocês ganharem cem reais por mês do que não ganharem nada”, coagindo-os a aceitar o acordo de parcelamento com valores muito baixos, em até 25 meses.

Para o MPT, a exclusão do sindicato das negociações e a falta de escolha do advogado pelos próprios empregados demonstram, claramente, a fraude praticada pelo Supermercado Boa Esperança.

Indenização

Contribuinte de Parnamirim pode quitar IPTU 2019 com 20% de desconto dinheiro moeda real salário
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O MPT pede na ação civil pública, ainda, indenizações por dano moral a cada um dos trabalhadores dispensados sem justa causa e que não receberam, já passados quase dois meses da rescisão, o pagamento integral de suas verbas rescisórias. Há, também, pedido de indenização por dano moral coletivo porque houve “utilização indevida do Poder Judiciário para homologar acordo extrajudicial que não foi aceito pelos empregados e conduta antissindical, afastando o sindicato das negociações em despedida coletiva, o que é contrário à Constituição Federal, às normas internacionais e à jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho e dos Tribunais Regionais do Trabalho”.

Sucessão Trabalhista

Também foi pedido o reconhecimento da sucessão trabalhista entre o supermercado Favorito e o supermercado Boa Esperança, em função da transferência do fundo de comércio e de trabalhadores, das lojas do supermercado Boa Esperança para a rede Favorito. “Esse reconhecimento é necessário para que haja responsabilização da empresa sucessora quanto às obrigações trabalhistas decorrentes da demissão coletiva, pois muitos dos trabalhadores foram readmitidos pelo supermercado Favorito em seguida e há provas de que representantes da empresa sabiam da simulação do acordo pelo supermercado Boa Esperança”, relata Ileana Neiva, que assina a ação juntamente com os procuradores Xisto Tiago de Medeiros Neto e Luis Fabiano Pereira.

Outras medidas

Na liminar, a Justiça estabeleceu o prazo improrrogável de cinco dias, para que o supermercado Boa Esperança comprove o pagamento das verbas rescisórias de todos os trabalhadores demitidos e da multa por atraso na rescisão, aos respectivos empregados. Em caso de descumprimento, devem ser feitos o bloqueio de bens da empresa, o impedimento de transferência de bens de seus sócios, e o bloqueio de créditos do supermercado junto à rede Favorito, relativos aos contratos entre as empresas.

Read More...

Mundo

Você está sendo vigiado e provavelmente perderá seu emprego

“Deus sonhou o homem, o homem sonhou a máquina e a máquina sonha Deus”, frase do pensador Dietmar Kamper. Esta frase nunca foi tão atual. Hoje, todos os dias, somos bombardeados de notícias sobre os avanços da tecnologia e, na maioria das vezes, não paramos para nos perguntar sobre suas consequências.

As tecnologias de vigilância estão cada vez mais avançadas. Hoje, alguns metrôs pelo mundo já conseguem identificar cada cidadão. Mas não é somente nas cidades. As redes sociais sabem tudo. Somos vigiados das ruas às redes. Os nossos aparatos gravam tudo: textos, áudios, etc. Você por acaso já leu os termos de uso das redes sociais que utiliza?

A quantidade de dados que tais empresas recebem de nós é gigantesca. Esses dados viram informações para as mais elaboradas estratégias de marketing. No fim, trabalhamos para tais máquinas e entregamos nossos dados para elas nos venderem coisas. Mark Zuckerberg nos conhece melhor do que nossas próprias mães, afinal, ele é dono de pelo menos três redes sociais super famosas do mundo.

Foto: Pixabay

Além disso, as inteligências artificiais estão cada vez mais desenvolvidas. Com a vigilância, elas aprendem cada vez mais sobre nós e nossas profissões, sobre o que fazemos e como fazemos. Yuval Noah Harari afirma que até 2050 muitas profissões irão se extinguir. Muitos setores serão automatizados.

A tecnologia tem nos distanciado. A depressão, o suicídio e as redes sociais estão mais ligados do que imaginamos. Paralelamente ao desenvolvimento dos computadores e da internet, a taxa de suicídio no mundo aumentou cerca de 60%, segundo a OMS. No ritmo do pensamento de Yuval, que haverá uma grande mudança social nos próximos anos, acredito que o setor que mais deva evoluir, não visando o mercado, mas por necessidade social, é o da Psicologia.

O sentido de vida foi perdido e deve ser retomado. Os remédios não darão conta do vazio da alma humana. Sem uma inteligência emocional e uma saúde psíquica, estaremos fadados no mínimo às histerias coletivas, no máximo à extinção. E as redes sociais têm corroborado muito com
esse prognóstico.

O fato é que, se a máquina está nas ruas e nas redes, presa aos nossos corpos com os aparelhos de última geração, registrando para o bem ou para o mal até nossos batimentos cardíacos, ela tende para a onisciência, onipresença e onipotência. Com certeza, sonha ser Deus.

*Artigo publicado por Leonardo Torres, 28 anos, Palestrante, Professor e Doutorando em Comunicação e Cultura Midiática.

Read More...

Destaques, Empregos e Estágios

Aplicativo facilita procura de emprego em shopping de Natal

O Natal Shopping acaba de lançar mais uma novidade aproveitando as facilidades que a tecnologia pode proporcionar para aproximar candidatos às vagas de emprego. Agora, os que desejam integrar a equipe do shopping podem demonstrar interesse por uma vaga com apenas um clique: o empreendimento disponibilizou em seu aplicativo uma aba que direciona os interessados para o cadastro de currículos.

A aba ‘Quero Trabalhar’ proporciona inovação, facilita o contato e agiliza a intermediação. “Buscamos estar cada vez mais imersos na era digital para descomplicar a vida dos usuários. Com essa última novidade esperamos auxiliar as pessoas que estão em busca de um emprego, simplificando o processo de cadastro de currículos e tornando o mais acessível possível”, comenta Diana Petta, gerente de Marketing do Natal Shopping.

O aplicativo do Natal Shopping está disponível desde 2015 e busca aproximar os clientes do shopping aos diversos serviços que oferece, como pagar o estacionamento sem filas e guardar os dados da vaga para encontrar o carro facilmente depois. Os usuários também podem acessar o guia de todas as lojas, a programação do cinema e comprar os ingressos pelo próprio app. Além de outras utilidades, o aplicativo ainda oferece descontos exclusivos para seus usuários.

Aplicativo facilita procura de emprego em shopping de Natal

Read More...

Brasil

Mesmo aposentados, 21% dos idosos continuam trabalhando

A longevidade impõe desafios para a população brasileira, em que parte significativa segue exercendo alguma atividade profissional mesmo após a aposentadoria. Um levantamento realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que sete em cada dez idosos (70%) estão aposentados. Desse total, 21% continuam trabalhando e uma das principais razões é o fato de a renda não ser suficiente para pagar as contas (47%). Já 48% disseram que querem se sentir produtivos nessa fase da vida e 46% buscam manter a mente ocupada.

Embora atuem ativamente, 43% reconhecem que tiveram dificuldades para conseguir uma oportunidade, principalmente por enfrentar preconceito com a idade avançada (30%). Por outro lado, 57% afirmam não ter tido problemas em conseguir trabalho. Quando questionados sobre até que idade pretendem trabalhar, mais da metade (61%) não soube definir ao certo. Para os que sinalizaram ter uma perspectiva em mente, a média é de 74 anos.

Apesar da questão financeira ser um ponto relevante para aqueles que optam por não parar, 76% dos idosos encaram o trabalho de forma positiva nessa fase da vida. Tanto que um terço (30%) destes menciona sentir satisfação por estar trabalhando e poder produzir, enquanto 20% têm orgulho de manter sua independência, ao passo que 18% disseram gostar do que fazem e ainda possuem muitos projetos a serem realizados.

Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, os dados refletem um novo cenário com o aumento da expectativa de vida no Brasil. “Percebe-se, muitas vezes, que os idosos não se prepararam para este momento e os ganhos com a aposentadoria acabam não sendo suficientes para manter o padrão de vida desejado. Mas já enxergamos uma mudança na visão de grande parte dessas pessoas, que começam a encontrar um sentido especial no trabalho por se sentirem mais produtivos e independentes”, ressalta.

Nove em cada dez idosos contribuem com orçamento familiar; previdência social é principal forma de preparação para aposentadoria

O estudo observa ainda que boa parte dos lares conta com a renda de familiares acima dos 60 anos. Nove em cada dez (91%) idosos contribuem financeiramente com o orçamento, sendo que 43% são os principais responsáveis pelo sustento da casa. Ainda assim, 34% dos entrevistados recebem algum tipo de custeio — percentual que cresce para 40% entre as mulheres — vindo principalmente de pensão por falecimento do cônjuge (15%) ou de familiares (15%).

Quando o assunto é preparação para aposentadoria, o que se percebe ainda é uma falta de conscientização sobre a necessidade de pensar no futuro. Entre os que se planejaram de olho nesta fase da vida, três em cada dez (32%) admitem nunca ter guardado dinheiro exclusivamente para esta finalidade. Outros 25% não lembram quando começaram a fazer uma reserva. Em relação aos 43% que recordam o período de início dessa poupança, a média de idade foi aos 27 anos.

A maior parte (47%) se preparou ou ainda se prepara para a aposentadoria por meio da contribuição ao INSS. Já 34% realizam ou realizaram algum tipo de investimento — número que sobe para 43% entre os homens e 49% nas classes A e B. Desse total, 13% dos recursos foram aplicados em poupança, 9% em previdência privada da empresa onde trabalhou e 7% destinados a outros investimentos, como fundos, ações, CDBs, Tesouro direto e renda fixa. Há também uma parcela que investe em previdência paga por conta própria (7%) e em imóveis (6%) – considerando apenas os imóveis tratados como investimento e não moradia.

Entre os que sinalizaram ter se preparado, 25% atribuem esse comportamento ao seu perfil mais precavido, enquanto 21% dizem que se espelharam em exemplos próximos de pessoas que não se preparam e tiveram problemas financeiros na aposentadoria. Já 17% seguem orientações de amigos e familiares. Quanto àqueles que não se prepararam, os principais fatores citados são falta de renda (29%) e de sobra de dinheiro no orçamento (25%).

“Planejar a aposentadoria pensando apenas na renda que virá com o INSS é arriscado no contexto econômico atual do país, especialmente porque as regras da previdência social podem mudar a qualquer momento. Além disso, o valor médio do benefício concedido raramente é suficiente para dar cobrir despesas que não estavam previstas, gastos com remédios e plano de saúde, por exemplo. O recomendável é complementar os ganhos da previdência com um plano privado ou outro tipo de reserva. E quanto mais cedo, melhor”, orienta o educador financeiro do SPC Brasil e do portal “Meu Bolso Feliz”, José Vignoli.

Read More...

Destaques, Notícias

Carreira de estatístico tem alto potencial de crescimento

Filtrar, organizar e interpretar algumas das milhares de informações que surgem a cada segundo na internet é uma das funções do Estatístico, carreira com alto potencial de crescimento no Brasil. De acordo com um levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), essa é a segunda profissão mais bem pagado país, perdendo apenas para medicina. A remuneração inicial pode chegar a R$5 mil e chegar a R$30 mil.

Engana-se quem pensa que essa profissão surgiu recentemente. Regulamentada desde 1968, hoje, conta com o Conselho Federal de Estatística (CONFE), além de sete conselhos regionais (CONRE). Entretanto, nos últimos anos, empresas têm enxergado nesses profissionais a solução para reduzir custos com logística, analisar o comportamento dos consumidores, calcular preços e trabalhar com big data.

Segundo o CONRE-3, os consultores dessa área chegam a cobrar 400 reais por hora e os estagiários podem receber bolsa de até R$2.500. De acordo com CONFE, os salários em regime de contrato CLT – 40 horas semanais – de acordo com o grau de qualificação do profissional são: Bacharel (3.528,73), Especialista (4.538,74), Mestre (5.994,10) e Doutor (7.104,12).

Um estudo do site CareerCast apontou a carreira como a melhor de 2017 nos Estados Unidos. Segundo o levantamento, a ocupação registra altos níveis de satisfação em quesitos como renda, estresse, ambiente de trabalho e perspectivas de ascensão. No mercado de trabalho norte-americano, a perspectiva é que a empregabilidade dos estatísticos cresça 34% nos próximos sete anos.

Toda essa ascensão desfaz a impressão de que lugar de estatístico é somente em entidades de pesquisa como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E, realmente, a maior procura por esses profissionais parte de bancos e financeiras. Embora o cenário seja animador, a tarefa é para poucos. É fundamental que o estatístico tenha aptidão para matemática e facilidade em manusear programas de computador e simuladores.

O curso de Estatística dura quatro anos e as disciplinas básicas são matemática e cálculos. Dentre as específicas, destacam-se análise estatística e tecnologia da amostragem. A grande vantagem da área também é a flexibilidade de poder atuar em diferentes setores mas, por outro lado, a qualificação e reciclagem devem ser contínuas para que o profissional possa aproveitar as oportunidades que estão surgindo.

Se você se interessou pela área, não pense que esse é um sonho impossível. Com a ajuda do Educa Mais Brasil, você pode encontrar uma faculdade bem perto de você que ofereça o curso e ainda conseguir uma bolsa de estudo de até 70%. Acesse o site do Educa Mais Brasil, confira todas as oportunidades disponíveis na sua região e inicie 2019 em uma nova graduação. A inscrição é gratuita.

Read More...