Tecnologia

Saiba por que a proteção do seu smartphone começa no bolso

Colocar e tirar o celular do bolso: já reparou quantas vezes por dia fazemos isso? Apesar de trivial, é esse movimento um dos grandes responsáveis pelas famosas quedas do aparelho no chão e danos que afetam o seu desempenho. O lado bom é que cuidados simples previnem essa situação e prolongam a vida útil de um smartphone.

Como medida básica, evitar pegar no telefone com as mãos molhadas ou sujas de qualquer substância que possa diminuir o atrito do tato com o objeto, fazendo-o escorregar. Pela característica lisa da carcaça do telefone e até pelo seu peso, fica mais difícil mantê-lo preso às mãos em situações como essa, além de que o próprio líquido em si, dependendo de sua composição, tem potencial de se infiltrar no aparelho e danificar seu sistema.

Outra precaução importante é lembrar de não colocar no mesmo bolso o smartphone e as chaves de casa ou do carro. A superfície rígida e ao mesmo tempo fina do metal pode arranhar a tela do aparelho, fazendo-o perder a sensibilidade ao toque, além de prejudicar a experiência de uso, ao deformar imagens.

Esses danos, apesar de fáceis de serem reparados, podem tirar o aparelho de uso por alguns dias para o devido conserto. No contexto atual, em que o celular assumiu um papel importante de apoio ao dia-a-dia das pessoas, é um tempo que nem todos dispõem.

Além desses cuidados, é importante lembrar de proteger o aparelho com um seguro que ofereça coberturas adequadas ao perfil de uso. A BemMaisSeguro, corretora especializada em proteção para smartphones e equipamentos eletrônicos, oferece uma cobertura específica para danos líquidos e quebra acidental, que realiza o reparo de forma fácil e conveniente ao segurado: a companhia recebe os aparelhos danificados pelos Correios, os conserta e depois os envia de volta ao cliente.

Read More...

Destaques, Dicas de Saúde

Organização Mundial da Saúde alerta para exposição das crianças à aparelhos digitais

Quem nunca ficou surpreso com tamanha esperteza de uma criança ao interagir sozinha com um smartphone? Elas conseguem desenrolar quase tudo, como fazer selfies, selecionar seus desenhos e jogos favoritos e muito mais. É assim, com os pequenos dedinhos deslizando na tela, que se resume a infância moderna, imersa na tecnologia como referência de lazer. Porém, especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) alertam para os impactos do uso excessivo dos dispositivos móveis e eletrônicos.

A OMS lançou em abril deste ano novas diretrizes para orientar pais e cuidadores de crianças menores de 5 anos quanto ao uso de aparelhos digitais, atividade física e horas de sono. Conforme o documento, crianças menores de dois anos não devem ter contato com telas e aquelas com dois anos ou mais devem assistir televisão por até, no máximo, uma hora por dia.

Não são só as crianças que devem fazer o uso adequado das tecnologias. Os adultos também devem dar o exemplo, pois os pequenos, de acordo com o psicoterapeuta Iarodi Bezerra, adquirem parte de seu aprendizado por meio da imitação de seus pais e adultos de sua referência. “Ao ver os adultos vivendo cada vez mais dependentes dos aparelhos tecnológicos as crianças tendem a seguir o mesmo caminho, tornando-se presas aos jogos virtuais”, alerta.

Foto: Portal Comunique-se

Para o especialista, a divisão da atenção dos adultos entre o bate-papo nas redes sociais e os momentos de interação com as crianças molda a forma de relacionar-se socialmente. Iarodi explica que a carência da conexão com o ‘aqui-e-agora’, consequentemente, os levam a aprender a viver em um mundo restrito ao virtual.

Ansiedade, transtorno do humor, psicose, transtorno do apego, baixa autoestima, insônia e outros inúmeros transtornos que podem atrapalhar o desenvolvimento infantil são reflexos dos impactos da exposição excessiva a aparelhos tecnológicos. “Os pais podem observar sintomas como nervosismo, dificuldade da criança em ficar longe deles de maneira descontrolada, agitação, agressividade, entre outras. Após observação é importante que os pais busquem acompanhamento psicológico para que tais problemas sejam sanados e gerem bem-estar para a criança e consequentemente para a família”, recomenda Iarodi.

Processos de aprendizagem

Para o psicoterapeuta o desenvolvimento infantil é único para cada geração. No processo de aprendizagem, a tecnologia é uma grande aliada. “Mas é necessário, no que diz respeito ao aprendizado infantil, que o uso dos recursos eletrônicos seja restrito e que o lúdico, o uso da psicomotricidade, da imaginação sejam amplamente utilizados. Faço uma ressalva que no processo de aprendizagem deve haver um alinhamento do corpo pedagógico com a família”.

Confira as recomendações da OMS

Crianças menores de 1 ano: não devem ser expostas às telas; não devem passar mais de 1 hora restritas a carrinhos ou cadeirões; devem dormir de 14 a 17 horas (entre 0-3 meses) e entre 12 a 16 horas (4-11 meses), incluindo sonecas;

Crianças de 1-2 anos: não é recomendado o uso de aparelhos eletrônicos e digitais; não devem exceder mais de 1 hora diária restritas a cadeirões e similares; devem passar 180 minutos por dia realizando atividades físicas; precisam dormir de 11-14 horas;

Crianças de 2-4 anos: não devem exceder 1 hora diante das telas; podem passar no máximo 1 hora restritas a cadeirões e similares; ter 180 minutos diários em atividades físicas; dormir de 10-13 horas por dia;

Quantos aos pais, devem buscar realizar com seus filhos atividades lúdicas e priorizá-las evitando, nos momentos dedicados à família, o contato com smartphones, tablets, entre outros. Uma dica importante: não ter medo de dizer ‘não’, mesmo que a reação seja negativa por parte da criança.

Fonte: E+B Educação | Jaqueline Vaz

Read More...

Destaques, Tecnologia

Golpes financeiros em dispositivos móveis crescem 58%

Os pesquisadores da Kaspersky Lab detectaram um aumento preocupante no número de malware criado para roubar credenciais e dinheiro de contas bancárias. Essa é uma das principais constatações do relatório da empresa sobre a evolução das ameaças no primeiro trimestre de 2019. Neste período, foram encontrados 29.841 arquivos deste tipo contra 18.501 no quarto trimestre de 2018. No total, foram detectados ataques sobre mais de 300 mil usuários.

Os trojans direcionados a bancos em dispositivos móveis são um dos tipos de ataques mais flexíveis, perigosos e que se desenvolvem mais rapidamente. Normalmente, eles roubam dinheiro diretamente das contas bancárias dos usuários, mas, às vezes, seu objetivo é obter outros tipos de credenciais. Em geral, o malware parece um aplicativo legítimo, como um app bancário. Quando a vítima tenta abrir, os invasores também conseguem acessá-lo.

No primeiro trimestre de 2019, a Kaspersky Lab detectou cerca de 30 mil modificações das diversas famílias de trojans bancários nas mais de 312 mil tentativas de ataque contra usuários únicos. Além disso, não foi apenas o número de diferentes amostras de trojans bancários detectadas que cresceu; sua participação no cenário de ameaças também aumentou. No quarto trimestre de 2018, eles corresponderam por 1,85% de todo o malware em dispositivos móveis; no primeiro trimestre de 2019, sua participação atingiu a 3,24%.

Os usuários foram expostos a diversas famílias de malware direcionado a bancos em dispositivos móveis, mas uma delas esteve especialmente ativa nesse período: uma nova versão do malware Asacub, que surgiu em 2015, respondeu por 58,4% de todos os trojans bancários que atacaram os usuários. Os atacantes passaram dois anos aperfeiçoando sua distribuição e, como resultado, houve um pico em 2018, com ataques a 13 mil usuários por dia. Desde então, sua taxa de propagação diminuiu, embora ele continue sendo uma ameaça eficiente: no primeiro trimestre de 2019, a Kaspersky Lab detectou o Asacub atacando em média 8.200 usuários por dia.

“O rápido crescimento do malware financeiro para dispositivos móveis é um sinal preocupante, especialmente porque vemos como os criminosos estão aperfeiçoando seus mecanismos de distribuição. Por exemplo, uma tendência recente é ocultar o trojan bancário em um dropper, ou seja, o shell que deve alcançar o dispositivo fora do radar de segurança, liberando a peça maliciosa assim que chegar”, diz Victor Chebyshev, pesquisador de segurança da Kaspersky Lab.

Outras conclusões do relatório do primeiro trimestre de 2019 incluem:

• As soluções da Kaspersky Lab detectaram e evitaram 843.096.461 ataques maliciosos em 203 países no mundo inteiro;
• 113.640.221 URLs específicas foram reconhecidas como maliciosas pelos componentes de proteção web;
• Tentativas de infecção por malware com o objetivo de roubar dinheiro via Mobile Banking foram registradas em 243.604 computadores;
• A Kaspersky Lab detectou um total de 247.907.593 objetos maliciosos e potencialmente indesejados.

Para reduzir o risco de infecção por trojans bancários, é recomendável que os usuários:

• Instalem aplicativos de fontes confiáveis; o ideal é usar somente lojas de aplicativos oficiais;
• Verifiquem as permissões solicitadas pelo aplicativo. Se elas não corresponderem à tarefa do aplicativo (por exemplo, um leitor que solicita acesso a suas mensagens e chamadas), talvez o aplicativo não seja confiável;
• Usem uma solução de segurança sólida para a proteção contra malware e suas ações, com o Kaspersky Internet Security for Android;
• Não cliquem em links recebidos em mensagens de spam;
• Não realizem procedimentos de rooting no dispositivo, pois isso proporciona possibilidades ilimitadas para os cibercriminosos.

Read More...

Destaques, Tecnologia

Procurando um smartphone bom e barato? Dá uma conferida nessa lista!

Adquirir um smartphone novo nem sempre significa ter o mais completo do mercado, não é mesmo? Às vezes você opta por um aparelho mais simples para usar com poucas coisas; às vezes você não quer gastar muito ou nem usa tanto o celular, então, não precisa de grandes configurações. Ou seja, motivo é o que não falta para optar por um aparelho mais barato! É, e se você está querendo comprar um smartphone mais em conta sem exigir muito dele, existem duas opções.

A primeira é procurar por um smartphone que é da categoria de entrada. Esses aparelhos são feitos pela empresa já pensando nisso, sabia? Eles não têm muita memória, a câmera não é a melhor, não têm o processador mais veloz do mercado, mas para quem quer usar para poucas coisas e não quer gastar muito, são a solução ideal.

A segunda opção é procurar por modelos que já são considerados “antigos”. As empresas lançam tantos aparelhos todos os anos que às vezes os celulares que foram lançados há 2 ou 3 anos se tornam antigos e os preços deles sofrem uma queda com a chegada dos novos. Pois é, então vamos dar umas dicas de smartphones mais acessíveis de grandes marcas. Dá só uma olhadinha:

Samsung Galaxy J4

Samsung Galaxy J4

Para quem não conhece, esse é um dos smartphones mais baratos da Samsung. Mesmo por um preço mais acessível, ele tem muito estilo e não é fraco não! Para começar ele tem uma tela que é considerada grande para esse segmento, de 5.5 polegadas e com resolução HD. O processador é quad-core e tem memória RAM de 2GB. Muitos aparelhos de entrada tem memória RAM de 1GB. A câmera é de 13MP na parte de trás e 5MP na parte da frente, o que garante fotos bem legais.

Ah, e o que é melhor é que ele já vem com o Android mais novo, o Oreo 8.0! Preço médio: com 16 GB (R$ 558,90); com 32 GB (R$ 599,00).

LG K10

LG K10

Outra opção para smartphone bom e mais em conta, é o LG K10. Ele tem uma tela um pouco menor que o do Galaxy J4, de 5.3 polegadas, mas em compensação o processador desse aqui é octa-core, ou seja, é mais rápido. Assim como o da Samsung ele tem 2GB de memória RAM e as câmeras são também de 13MP e de 5MP.

Já em relação ao Android, o LG K10 vem com o Android Nougat, o 7.0, então já não é o mais novo. Mas não se preocupe, isso não faz dele pior, ok? O que muda é que você não vai poder ter as novidades que o Google trouxe para o novo Android, mas se o celular vai ser utilizado para tarefas básicas, não faz tanta diferença assim.

Preço médio: com 32 GB (R$ 649,90).

Motorola E5 Play

Motorola E5 Play

Lançado ainda em 2018, esse novo smartphone da Motorola é tudo de bom para quem está procurando um modelo de entrada. Além de ter um preço bem em conta, ele vem com o Android Go, que é uma versão do sistema operacional feita especialmente para smartphones mais simples! Muito legal, não é?

Ele tem tela de 5.3 polegadas, processador quad-core, assim como o Galaxy J4 e memória RAM menor, de 1GB. Mas é exatamente isso que faz com que ele tenha o Android Go, porque aí os aplicativos são adaptados a isso e não pesam no aparelho. Esse é o smartphone mais em conta dessa lista, tá?

A câmera traseira é de 8MP e a frontal é de 5MP e ele também já vem com a versão mais nova do Android, mesmo sendo o Go, que é o Oreo. Preço médio: com 16 GB (R$ 538,97).

Asus Zenfone Live

Asus Zenfone Live

E por fim, vou te mostrar um smartphone bom e barato e que vai ser ótimo se você gosta de conversar por vídeo com os amigos. É o Zenfone Live. Ele tem uma tela de 5 polegadas e um processador quad-core, e assim como alguns da lista, memória RAM de 2GB.

Mas o destaque desse celular aqui é que ele tem uma tecnologia de embelezamento da câmera frontal! Ou seja, durante suas transmissões e vídeos usando essa câmera, ele vai te ajudar a ficar ainda mais bonito (a)! É uma câmera de 5MP, enquanto a traseira é de 13MP.

Só que infelizmente por ser um modelo mais antigo, o Android dele também é o mais antigo da lista, que é o Marshmallow, 6.0
Preço médio: com 16 GB (R$ 599,00).

E aí, procurando por um smartphone mais barato e mais simples? Gostou de algum da lista? Tem alguma sugestão? Me conta aí e não esquece de marcar os amigos que estão nessa busca também ?

Read More...

Aplicativos

WhatsApp deixará de funcionar nesses aparelhos nos próximos anos

O final de 2018 está se aproximando, e assim como em todos os anos, no mês de dezembro, o WhatsApp deixa de funcionar em alguns celulares antigos. Se você tem um smartphone antigo e gostaria de saber se o seu dispositivo é um dos afetados, preste atenção porque deixamos a lista de telefones onde o WhatsApp não funcionará em breve.

Sem dúvidas, ele é o aplicativo de mensagens instantâneas mais popular e usado em todo o mundo. Atualmente, possui mais de 1,5 bilhão de usuários ativos e é o canal de comunicação preferido de muitas pessoas, que o utilizam diariamente para bater papo, fazer chamadas de voz ou vídeo com seus parentes, amigos e entes queridos.

O aplicativo de mensagens instantâneas chegou ao mercado em 2009. Quase dez anos se passaram e, durante esse período, a plataforma foi atualizada, incorporando novas funções e eliminando recursos obsoletos.

Uso abusivo de WhatsApp pode levar a penalidades como indenização e até prisão

Foto: Pixabay

Levando em conta a evolução que o aplicativo sofreu ao longo dos anos, não surpreende que a empresa tenha decidido parar de oferecer suporte a determinados telefones celulares antigos. A corporação explica que não pode garantir uma experiência de usuário adequada em determinados dispositivos, e é por isso que o aplicativo para de trabalhar neles.

No final de 2016, os primeiros celulares declarados obsoletos pela empresa pararam de usar o aplicativo. Eles eram os seguintes:

  • Dispositivos com Android 2.1 e Android 2.2
  • Dispositivos com o Windows Phone 7
  • iPhone 3GS / dispositivos com iOS 6

Ao longo de 2017, os seguintes smartphones aderiram a esta lista:

  • Telefones com o Nokia Symbian S60
  • Telefones celulares com sistema operacional BlackBerry e BlackBerry 10
  • Celulares com Windows Phone 8.0 e anterior

Abaixo, você pode ver a lista de telefones celulares que não poderão usar o WhatsApp em 2019 e aqueles que não terão mais suporte em 2020:

  • Celulares com o Nokia S40, após 31 de dezembro de 2018
  • Celulares com Android 2. 3.7 e anteriores, a partir de 1º de fevereiro de 2020
  • iPhone com iOS 7, a partir de 1 de fevereiro de 2020

Read More...