Destaques, Natal

Pessoas com obesidade terão atendimento gratuito em Centro de Saúde da UnP

Dados do Ministério da Saúde de 2017 apontam que Natal apresenta 73% da sua população com excesso de peso, destes, 18,5% são obesos. Neste contexto, a partir do dia 27 de maio a UnP, integrante da rede Laureate, estará realizando uma triagem para um novo projeto de Extensão voltado para pessoas com obesidade.

O Núcleo de Atendimento Multiprofissional para Pessoa com Obesidade (Nampo) da Escola de Ciências da Saúde do Campus Natal visa promover melhor qualidade de vida a esses pacientes e acompanhá-los no pré-operatório de cirurgia bariátrica. As triagens serão feitas no Centro Integrado da Saúde (CIS), na Unidade Salgado Filho.

Os serviços gratuitos estarão disponíveis para pacientes a partir de 18 anos e, de acordo com a professora Fabiana Carvalho, entre as atividades estão programadas consultas com nutricionista, acompanhamento com psicólogo, fisioterapeuta e educador físico.

Para profissionais, o modo de viver da sociedade moderna vem determinando uma situação desfavorável para a saúde dos indivíduos. O Nampo também irá promover ações de prevenção à obesidade, contribuindo para melhorar os índices de excesso de peso e obesidade na cidade e no Estado do RN.

SERVIÇO

Triagem para Atendimento de Pessoas com Obesidade
Data: a partir de 27 de maio.
Local: CIS UnP (R. Gen. Francisco Monteiro, nº 371 – Lagoa Nova, Natal-RN).
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 7h às 22h.

Read More...

Brasil

Falta de incentivo do governo complica área da saúde no Brasil

Anúncios recentes do fechamento de multinacionais farmacêuticas no Brasil, que planejam investir na produção de medicamentos mais inovadores ao invés da produção em escala de produtos considerados mais simples e baratos, alertam para um problema que a área da saúde enfrenta no país: falta de incentivo do governo. Os altos impostos para os trabalhos de pesquisa e desenvolvimento de drogas inovadoras recolhidos pelo governo brasileiro das multinacionais, tornando a produção extremamente onerosa e inviabilizando o processo, está entre a principal razão para a fuga dessas indústrias para países onde o custo é bem menor.

“O Brasil passa por um longo período de crise na saúde pública, falta iniciativas capazes de gerar saltos de qualidade na sua gestão. É urgente nossos governantes buscarem meios de aprimorá-la e otimizar os recursos dispensados para a área, promovendo uma reforma da estrutura do financiamento do sistema para que se alcance a necessária universalização do atendimento e da qualidade dos serviços de saúde prestados à população”, diz Luiz Monteiro, presidente da PBMA – Associação Brasileira das Empresas Operadoras de PBM (Programa de Benefício em Medicamentos).

Para o presidente da instituição, é indispensável que se aumente a capacidade do investimento estatal, mas o investimento público pode e deve estar acompanhado da iniciativa privada. “Para isso, é necessário que sejam criados atrativos para tal”, argumenta Monteiro, que critica entre outros pontos a dificuldade da população no acesso aos medicamentos. “Cuidar desse quesito deve fazer parte de qualquer programa de governo. É necessário que se pense, por exemplo, em um modelo de incentivo fiscal às empresas que queiram oferecer benefícios de custeio das prescrições médicas a seus colaboradores e dependentes, para garantir a possibilidade de um tratamento adequado”, completa.

Segundo dados da PNAD – Pesquisa Nacional do Amostra de Domicílios, do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a maior despesa das famílias brasileiras em saúde é com acesso a medicamentos. De acordo com o órgão, os gastos com farmácia se aproximam de 80% dos gastos com saúde. “Infelizmente, a falta de condição em custear o remédio prescrito pelo especialista muitas vezes leva a pessoa a interromper o tratamento. Além de colocar a própria vida em risco, essa situação agrava ainda mais os custos que se tem com os cuidados com a saúde”, conclui o presidente da PBMA.

Read More...

Destaques, RN

Secretaria de Saúde esclarece sobre casos de influenza no RN

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) veio a público esclarecer que a informação que vem circulando nas redes sociais sobre a ocorrência de um surto de influenza no Rio Grande do Norte é falsa.

“Desde o início de 2019 até 02 de maio, às 11h, foram confirmados 42 casos de influenza, dos quais 34 foram de H1N1; um de influenza A não subtipado; três de Influenza A Sazonal H3; três de Influenza A e um de Influenza B. Esses números não representam surto da doença, estando dentro do esperado, de acordo com a sazonalidade da influenza”.

A Sesap reforça que para redução do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, especialmente as de grande infectividade, como vírus Influenza, é importante que além da vacinação, sejam adotadas medidas gerais de prevenção, tais como:

  • Frequente higienização das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de influenza;
  • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença;
  • Orientar o afastamento temporário (trabalho, escola etc.) até 24 horas após cessar a febre.

Por fim, a secretaria informa que os indivíduos que apresentem sintomas de gripe devem:

  • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença (até 7 dias após o início dos sintomas)

Read More...

Destaques, Educação

Universidade Aberta do SUS disponibiliza cursos EAD gratuitos a profissionais da saúde

Até o dia 30 de junho, profissionais da área de saúde podem se matricular em cursos totalmente gratuitos, disponibilizadas pela plataforma Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS). São quatro as opções de cursos: Introdução à Avaliação em Saúde; Gestão Local de Desastres Naturais para a Atenção Básica; O Fazer da Saúde Indígena; e Conhecendo a Realidade da Saúde Indígena no Brasil. Todas as formações têm carga horária de 60 horas.

As quatro especializações são realizadas pela Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp) mas, de acordo com a UMA – SUS, quase 40 instituições de ensino superior formam a rede colaborativa oferecendo cursos na modalidade Educação a Distância (EAD). Com isto, quase 100% dos municípios brasileiros são contemplados com as capacitações educacionais.

Coordenado pelo Ministério da Saúde, em conjunto com a Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES/MS) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Sistema UNA-SUS foi criado em 2010 como uma plataforma de qualificação e educação contínua dos profissionais que atuam no Sistema Único de Saúde. Saiba mais abaixo e saiba como se matricular na página da UNA-SUS:

  1. Introdução à Avaliação em Saúde

O curso de Introdução à Avaliação em Saúde é direcionado para os profissionais da área que exercem atividades clínica, de gestão e de educação permanente. São cinco módulos que tratam de questões como: práticas de monitoramento e avaliação para qualificar a Atenção Básica; diferenciam a avaliação interna e externa; avaliação de estrutura, processos e resultados; julgamento de mérito e relevância; avaliação e monitoramento; reconhecer as principais diferenças entre abordagens qualitativas e quantitativas de investigação da realidade (saiba mais aqui).

  1. Gestão Local de Desastres Naturais para a Atenção Básica

O curso de Gestão Local de Desastres Naturais para a Atenção Básica visa habilitar os profissionais de saúde a gerir as ações locais ligadas à atenção básica e às etapas de gestão desses riscos. Os profissionais conhecerão os conteúdos com base na Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) que foca na gestão de riscos e desastres a partir da identificação dos problemas e das necessidades de saúde em locais de risco acentuado.

  1. O Fazer da Saúde Indígena

O curso sobre o Fazer da Saúde Indígena tem como objetivo dar visibilidade à temática, que é pouco abordada nos cursos de saúde brasileiros. Os profissionais aprenderão sobre as relações entre os contextos históricos, políticos e sociais e as bases legais que devem orientar os atendimentos à população indígena.

A formação tem como base a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas e contém recomendações sobre a formação dos profissionais para que atuem no subsistema de saúde indígena (SASISUS), constituído em 1999 (saiba mais aqui).

  1. Conhecendo a realidade da Saúde Indígena no Brasil

Este módulo é complementar ao que aborda o Fazer da Saúde Indígena e visa capacitar o profissional para prestar atendimento qualificado e específico à esta população. Segmentado em três módulos, o curso ensina conceitos como a atenção diferenciada, a política de saúde e a epidemiologia aplicadas à prestação dos serviços (saiba mais aqui).

Fonte: Agência E+B

Read More...

Destaques, Negócios

Arena das Dunas amplia opção de saúde com academia crossfit

No mês em que comemora cinco anos de fundação, a Arena das Dunas reforça ainda mais sua vocação de centro de negócios, lazer, esporte e cultura com a inauguração de uma academia crossfit. A Base abriu às portas ao público, oficialmente, neste sábado (26).

Com 800 metros quadros, o box conta com sala de dança, ginástica e artes maciais, espaço kids, consultórios para nutricionistas e fisioterapeutas, além do espaço para o crossfit e aulas específicas diretamente relacionadas à modalidade, como levantamento de peso olímpico, ginástica e endurance.

Concentrar todas estas atividades no mesmo espaço, com conforto e segurança, além de ter um estacionamento coberto, foi o que levou os proprietários – o casal Denise e Edson Borba e o amigo Danilo Mendonça – a escolherem a Arena das Dunas para a instalação da nova unidade.

A academia está localizada no térreo da Arena, entre a entrada do setor administrativo e a entrada do Arena Office (espaço empresarial construído nos camarotes). A Base é a primeira academia crossfit situada dentro de uma arena de Copa do Mundo.

Read More...