Mundo

Informações na internet podem comprometer visto americano e entrada nos EUA

Os perfis em redes sociais e publicações na internet podem revelar muito sobre uma pessoa. E é com o propósito em descobrir as reais intenções e histórico dos aplicantes para os vistos de turismo, estudo ou trabalho, que o Consulado Americano vem analisando os nomes na web. Ainda que as regras de análise tenham sido publicadas oficialmente pelo Governo Americano recentemente, os agentes de imigração já vêm realizando esta busca ocasionalmente há pelo menos dois anos, segundo a advogada em direito de imigração, Gisele Ambrosio.

O objetivo do Governo Trump em reforçar o controle de imigrantes e visitantes no país, por meio da averiguação de dados já afeta milhares de pessoas. A pesquisa pode informar ou não situações como, violações de status, inconsistência de fatos e intenção preconcebida (viajar com visto de turista ou estudante, mas com planos de morar e trabalhar), entre outras coisas. Tais informações, consequentemente, contribuem para a decisão do oficial americano.

“Estas situações são recorrentes no escritório. Já tive vários clientes em consulta, que, após viajarem com visto de turista e realizarem algum tipo de trabalho durante este período, em que supostamente estariam de férias, tiveram seu visto negado porque a imigração descobriu que haviam trabalhado em solo americano sem o visto apropriado”, afirma a advogada.

Para Ambrósio, a falta de informação acerca das regras do visto e até mesmo a descrença do que a imigração americana possa encontrar nas Redes Sociais fazem com que os brasileiros coloquem tudo a perder. “Não devemos subestimar a capacidade da imigração em obter qualquer informação sobre a pessoa, principalmente o que é colocado na internet”, alerta.

Outro erro comum, segundo Dra Ambrosio, é quando a pessoa viaja e descumpre as condições do visto, como por exemplo, excedendo o tempo limite de permanência no país. Esta conduta poderá resultar em varias coisas negativas, como deportação, negação de um outro visto, ou negação de entrada no país em uma visita futura.

Sobre Dra. Gisele Ambrósio

Advogada atuante há 16 anos na Califórnia, Dra. Gisele é responsável por levar à Terra do Tio Sam diversas personalidades, como os skatistas brasileiros, campeões mundiais, Kevin Hoefler e Letícia Bufoni, bem como os músicos Supla e seu irmão João Suplicy, entre outros nomes brasileiros e de diferentes partes do mundo.

Há oito anos, Dra. Gisele Ambrósio é a advogada do Consulado Geral do Brasil em Los Angeles. Durante este período, ela tem atuado em vários casos internacionais complexos.

Read More...

Atualidade, Destaques

As redes sociais estão roubando sua produtividade e seu tempo de vida

Uma das palavras mais recorrentes hoje no mundo corporativo é “produtividade”. No centro dessa palavra, está o famoso ditado: “tempo é dinheiro”. Assim como os alquimistas buscaram a pedra filosofal no passado, muitas pessoas atualmente buscam o segredo de ser mais produtivo.

Ser produtivo é uma fórmula simples, mas difícil de ser executada. É fazer mais coisas com menos recursos, no caso, o tempo. O problema é que a cada dia parece que as 24 horas diminuíram. A cada dia estamos dormindo menos, aproveitando menos nosso tempo vago e, por outro lado, o tempo no trânsito aumentou, a pressão no trabalho também, o que pode acarretar em horas extras de trabalho em casa, que muitas vezes não será remunerado.

Um dos grandes vilões dessa falta de tempo, caro leitor, está em suas mãos agora: os aparelhos eletrônicos. Passamos cerca de 9 horas diárias em frente às telas eletrônicas. Em grande parte desse tempo, estamos nos distraindo nas redes sociais. E nas outras? Trabalhando, claro. Quem nunca respondeu uma mensagem de trabalho em horário de lazer?

O problema é a utilização exagerada dos aparelhos eletrônicos, tanto para distração quanto para o trabalho fora de hora. Essa dinâmica tem gerado, para nós, estresse no cotidiano, perda recorrente de memória e falta de foco em âmbito pessoal e profissional. Há aí um “borrão” entre o pessoal e o profissional. A soma disso tudo é uma sociedade cansada, deprimida e estressada.

Sabendo disso, líderes de empresas multinacionais, como Zuckerberg e o falecido Steve Jobs, sempre tentaram reduzir o número de questões para resolver no cotidiano e isso inclui até o quê e como se vestir. Ambos escolheram somente um conjunto de roupas, assim conseguiriam focar em problemas de suas empresas com mais facilidade.

O que esses líderes nos ensinam? Fazer várias coisas ao mesmo tempo, ou seja, ser multitarefas, pode não ser sinônimo de produtividade. Pode ser sinônimo de coisa malfeita. Focar é importante. Saber dosar o momento de trabalhar, se distrair e descansar também.

O que não contam nas empresas é que, assim como o tempo é dinheiro, o dinheiro é tempo. O dinheiro parece ser ilimitado, um papel que pode ser produzido, perdido e ganhado infinitamente. Mas o seu tempo de vida, esse não. Esse é limitado e efêmero. A produtividade real, ou seja, aproveitar o tempo que temos, deve ser muito bem selecionada e equilibrada entre o pessoal e o profissional.

*Artigo especial de Leonardo Torres, professor, palestrante e doutorando em comunicação e cultura midiática.

Read More...

Mundo

Você está sendo vigiado e provavelmente perderá seu emprego

“Deus sonhou o homem, o homem sonhou a máquina e a máquina sonha Deus”, frase do pensador Dietmar Kamper. Esta frase nunca foi tão atual. Hoje, todos os dias, somos bombardeados de notícias sobre os avanços da tecnologia e, na maioria das vezes, não paramos para nos perguntar sobre suas consequências.

As tecnologias de vigilância estão cada vez mais avançadas. Hoje, alguns metrôs pelo mundo já conseguem identificar cada cidadão. Mas não é somente nas cidades. As redes sociais sabem tudo. Somos vigiados das ruas às redes. Os nossos aparatos gravam tudo: textos, áudios, etc. Você por acaso já leu os termos de uso das redes sociais que utiliza?

A quantidade de dados que tais empresas recebem de nós é gigantesca. Esses dados viram informações para as mais elaboradas estratégias de marketing. No fim, trabalhamos para tais máquinas e entregamos nossos dados para elas nos venderem coisas. Mark Zuckerberg nos conhece melhor do que nossas próprias mães, afinal, ele é dono de pelo menos três redes sociais super famosas do mundo.

Foto: Pixabay

Além disso, as inteligências artificiais estão cada vez mais desenvolvidas. Com a vigilância, elas aprendem cada vez mais sobre nós e nossas profissões, sobre o que fazemos e como fazemos. Yuval Noah Harari afirma que até 2050 muitas profissões irão se extinguir. Muitos setores serão automatizados.

A tecnologia tem nos distanciado. A depressão, o suicídio e as redes sociais estão mais ligados do que imaginamos. Paralelamente ao desenvolvimento dos computadores e da internet, a taxa de suicídio no mundo aumentou cerca de 60%, segundo a OMS. No ritmo do pensamento de Yuval, que haverá uma grande mudança social nos próximos anos, acredito que o setor que mais deva evoluir, não visando o mercado, mas por necessidade social, é o da Psicologia.

O sentido de vida foi perdido e deve ser retomado. Os remédios não darão conta do vazio da alma humana. Sem uma inteligência emocional e uma saúde psíquica, estaremos fadados no mínimo às histerias coletivas, no máximo à extinção. E as redes sociais têm corroborado muito com
esse prognóstico.

O fato é que, se a máquina está nas ruas e nas redes, presa aos nossos corpos com os aparelhos de última geração, registrando para o bem ou para o mal até nossos batimentos cardíacos, ela tende para a onisciência, onipresença e onipotência. Com certeza, sonha ser Deus.

*Artigo publicado por Leonardo Torres, 28 anos, Palestrante, Professor e Doutorando em Comunicação e Cultura Midiática.

Read More...

Destaques

Operação Direct: MPRN investiga pedofilia por rede social

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou na manhã desta segunda-feira (26) a Operação Direct, que investiga atos de pedofilia por meio de rede social e o envio de conteúdo pornográfico por parte de um homem para uma criança de 10 anos, que mora na Grande Natal. Equipes do Ministério Público de São Paulo, com acompanhamento de uma promotora de Justiça do MPRN, cumpriram mandado de busca e apreensão na capital paulista, onde o investigado mora.

De acordo com as investigações do MPRN, no ano passado o aliciador usou o serviço de mensagem direta de uma rede social da criança para estabelecer o primeiro contato. Após algumas conversas, o homem passou a tentar seduzir a criança e chegou a enviar foto com conteúdo pornográfico para ela. Na troca de mensagens, o aliciador usava perfis falsos. O nome da operação é uma alusão a esse serviço de mensagens diretas disponível na rede social.

“A mãe estava atenta à navegação da criança na internet e em certo momento acabou vendo a troca de mensagens e procurou o Ministério Público do Rio Grande do Norte. Iniciamos a investigação imediatamente. Usamos uma metodologia de cruzamentos de dados, fazendo com que a apuração fosse praticamente toda virtual até conseguirmos localizar o aliciador”, explicou a promotora de Justiça Liv Severo, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), órgão do MPRN. A promotora foi quem, com apoio do MPSP, cumpriu o mandado de busca e apreensão nesta segunda-feira.

No cumprimento do mandado, foram apreendidos o computador do suspeito e outros dispositivos de informática. O promotor de Justiça Fausto França, coordenador do Gaeco, ressaltou a importância da operação Direct. “Essa operação serve para mostrar que o ambiente da internet não é sem lei. O material apreendido na casa desse homem será trazido para Natal e vai ser analisado pela equipe do Laboratório de Computação Forense do Gaeco, que atua no assessoramento técnico desde o início. Durante essa etapa, será possível desenvolver algumas linhas de pesquisa da investigação e apurar se essa criança é a única vítima desse aliciador ou se ele mantém o mesmo tipo de contato com outras pelo país”, explicou.

A promotora Sandra Angélica Pereira Santiago, coordenadora do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça da Infância e Juventude, destacou ainda que os pais e responsáveis devem ficar atentos e monitorar as redes sociais e a navegação dos filhos na internet. “A operação Direct só foi deflagrada porque a mãe dessa criança conseguiu ver as mensagens que o aliciador mandou para ela e procurou o Ministério Público do Rio Grande do Norte para pedir ajuda. Esse exemplo deve ser seguido para evitar que outras crianças sejam vítimas, cabendo aos pais manterem um diálogo aberto com os filhos, acompanhar a navegação das crianças e orientá-las”, concluiu.

Após a análise do material apreendido, o aliciador paulista poderá ser denunciado pelo assédio à criança e ainda por armazenar o conteúdo pornográfico envolvendo criança.

Read More...

Tecnologia

Twitter flexibiliza limite de 140 caracteres

(ANSA) – O Twitter, a rede social que permite apenas 140 caracteres por mensagem, apresentou nesta segunda-feira (19) uma nova forma de compartilhar vídeos, fotos, enquetes e até GIFs sem perder os poucos toques disponíveis.

A partir de agora, nenhum desses recursos contará para o limite de caracteres estipulado pelo Twitter, assim como o “reply”, forma de responder a outro usuário, e links.

O microblog mais direto da web apareceu em 2006 com o intuito de disseminar notícia e informação de forma rápida e objetiva. Na época, 10 anos atrás, as operadoras de celular adotavam a padronização de 160 toques para cada SMS. E, por convenção, a rede social também incorporou a ideia: 140 caracteres para o texto e mais 20 para o nome do usuário.

Essa limitação acabou virando a marca da rede, que se tornou uma das mais populares entre os internautas. Contudo, o Twitter vive hoje uma estagnação no número de usuários, o que fez com que seus criadores começassem a pensar em formas de inovar os recursos da rede social.

Read More...