Economia

Pesquisa indica que 33,3% dos consumidores usarão 13º para quitar dívidas

Pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) indica que 33,3% dos consumidores brasileiros usarão o dinheiro da segunda parcela do décimo terceiro salário para quitar dívidas. De acordo com os números, 27,1% irão guardá-lo. Divulgada nesta segunda (14), a pesquisa foi feita com 1,2 mil pessoas em 72 municípios do país, entre 14 a 28 de novembro.

De acordo com a Associação Comercial, esse é o maior porcentual de consumidores cautelosos (60,4%) – somatória daqueles que vão guardar o décimo terceiro ou gastá-lo para pagar dívida – desde 2009, quando a pesquisa começou a ser feita. Em 2014, essa parcela atingiu 50%.

“Isso demonstra um crescimento da desconfiança do brasileiro em relação ao atual momento econômico do país. Os resultados também indicam, como já era esperado, que o Natal em 2015 será bastante modesto”, informou, em nota, Alencar Burti, presidente da ACSP.

O levantamento mostra que 14,6% dos entrevistados comprarão presentes com o salário extra de fim de ano e 6,3% vão viajar (em 2014 essa parcela era de 9,5%). A opção “comprar roupa nova para as festas de fim de ano” foi citada por 2,1% dos entrevistados (no ano passado essa parcela chegou a 1%). “Reformar a casa” foi lembrado por 1% (em 2014 foram 2,4%).

Em 2015 os indecisos somaram 14,6%, ante 16,7% em 2014.

Da Agência Brasil 

Read More...

Economia

Quase 90% dos brasileiros passam dificuldades para quitar dívidas

Pelo menos 89% dos brasileiros dizem estar em dificuldade para quitar suas dívidas. Para solucionar seus problemas de endividamento, 20% dos entrevistados disseram ter vendido algum bem nos últimos 12 meses.

Em parte, isso é explicado pela percepção de queda da renda com perda do poder de compra, apontados pelo estudo Retratos da Sociedade Brasileira – Renda e Endividamento, divulgado nesta quarta (9) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Segundo o levantamento, 42% dos brasileiros consideram que sua renda diminuiu nos últimos 12 meses. Deste total, 22% avaliam que a renda caiu muito e 20% dizem acreditar que a renda diminuiu pouco. No mesmo período, 59% perceberam piora no poder de compra.

Quanto menor a renda familiar, maior a percepção de que sua renda foi reduzida ao longo do tempo – no caso, essa é a situação em que se encontram 35% das pessoas com renda familiar superior a cinco salários-mínimos, e 46% dos com renda familiar inferior a um salário-mínimo.

No que se refere ao poder de compra, 59% dos entrevistados disseram ter percebido piora ao longo dos últimos 12 meses – para 34% a sensação é de muita perda, enquanto para 25% a sensação é de pouca perda.

Os moradores do Sudeste e do Sul do país são os que mais sentiram o problema –  65% dos entrevistados em cada região. Os do Nordeste foram os que menos perceberam a queda do poder de compra (51%). Nas regiões Norte e Centro-Oeste, o índice está em 56%.

Com a perda do poder aquisitivo, 29% disseram ter sentido dificuldade para pagar aluguel ou prestação da casa própria. Em setembro de 2012, o índice correspondia a 19% e, no mesmo mês de 2013, a 16%. Entre os entrevistados na atual pesquisa, 57% disseram não ter dificuldades com esse tipo de dívida – percentual inferior aos registrados em 2012 (67%) e 2013 (76%).

De acordo com a pesquisa, esse tipo de dificuldade atinge mais intensamente aqueles que vivem em cidades com mais de 100 mil habitantes (31%), do que os que moram em municípios com até 20 mil habitantes (23%). Mas 60% das pessoas dizem ter passado por dificuldade para pagar as contas ou compras a crédito. Em 2012 o percentual estava em 45% e, em 2013, 47%.

A expectativa para 45% dos entrevistados é que, nos próximos seis meses, a renda não sofrerá alterações. No entanto, 37% acreditam que ela diminuirá e 14% que a renda aumentará. De acordo com a CNI, a preocupação em perder o atual padrão de vida atinge 83% dos entrevistados em 2015. Em 2009 o índice estava em 90% e, em 2012, 76%.

A pesquisa identificou que 37% dos entrevistados se endividaram nos últimos 12 meses com o objetivo de cobrir despesas ou as de sua família. Em 2012, 30% deles se encontravam nessa situação, passando a 34% no ano seguinte.

Segundo o levantamento, 34% dos brasileiros ficaram mais endividados nos últimos 12 meses, sendo 11% muito mais endividados e 23% mais endividados. Ao longo do período, o problema atingiu mais mulheres (37%) do que homens (32%).

Entre os entrevistados que disseram ter aumentado suas dívidas, 53% avaliam que isso aconteceu sem planejamento, em função de alguma dificuldade ou necessidade não prevista. A maior parte das dívidas foi em decorrência do aumento das despesas (82%), e 43% dizem foi devido à redução da renda.

O pagamento de dívidas anteriores foi o fator que mais contribuiu para o aprofundamento das dívidas dos brasileiros nos últimos 12 meses, correspondendo a 30% das citações. Em segundo lugar estão os pagamentos de gastos correntes da casa, como aluguel, água, luz, telefone e compras do mês, com 28% de registros.

A pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira – Renda e Endividamento entrevistou, entre os dias 18 e 21 de julho, 2002 pessoas em 141 municípios. A CNI divulgou também uma outra frente da pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira, na qual aborda questões relativas ao mercado de trabalho.

Agência Brasil 

Read More...

Brasil

Dividas podem ser negociadas online em 44 empresas, através do Super Feirão Limpa Nome da Serasa

O Super Feirão Limpa Nome da Serasa começa nesta terça (04), dia escolhido pelos consumidores para quitar suas dividas.

Para que seja possível que vários indivíduos comecem 2015 de bem com as dividas, ou que tenham a possibilidade de gastar mais no fim do ano, a Serasa está promovendo  o Super Feirão Limpa Nome, segundo as pesquisas feitas pelo próprio órgão, terça-feira é o dia mais procurado pelos consumidores interessados neste serviço, já que os credores e devedores retomam as suas atividades na segunda-feira. O evento será organizado pelo Serasa Experian, e acontecerá também na internet, de 04 a 14 de novembro, para todo o Brasil.

foto: divulgação

foto: divulgação

Até agora foram registradas 44 empresas de vários ramos, como financeiras, varejo e serviços, já confirmaram participação. Poderao negociar pela internet os devedores do Banco do Brasil, Bahamas Card, Cetelem, Banco da Amazônia, Banco Industrial do Brasil, Banco Itaucard, Banco Mercantil do Brasil, Banco Pan, Carrefour, Credsystem, Deva Veículos, EDP Bandeirante Energia, EDP Escelsa, Eletrobrás Distribuição Acre, Eletrobrás Distribuição Manaus, Eletrobrás Distribuição Roraima, Financeira Itaú CBD S/A, GVT, Hipercard ADM Cartões Crédito, HSBC, Intelig, Itaú, Itaú Unibanco Financeira S/A, Itaucred, Leader Card, Losango, Luizacred S/A, Manaus Ambiental, OI móvel, OI S.A, Omni Financeira, Porto Seguro Cartões, Portocred, Recovery, Santander, Santander Financiamentos, Supermercado Bahamas, TIM celular e Vivo.

O Super Feirão surge em um momento de alta inadimplência, que de janeiro a setembro de 2014, cresceu 4,2% comparado ao ano passado, segundo o Serasa. De acordo com o superintendente do órgão, mesmo que o consumidor consiga limpar seu nome, ele deve se reeducar financeiramente e não realizar compras desnecessárias que fujam de seu orçamento. O conselho é ter organização, já projetando despesas fixar anuais com IPVA e IPTU.

Para mais informações, basta entrar no site da Serasa.

Read More...