Tecnologia

Mark Zuckerberg promete “maior privacidade” no Facebook

(ANSA) – O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou que está focado em tornar o Facebook uma plataforma concentrada tanto na privacidade quanto na confidencialidade.

A declaração foi publicada na conta oficial do norte-americano, que também divulgou a possibilidade de integrar o Messenger e o WhatsApp.

“Permitiremos enviar mensagens para seus contatos usando cada um de nossos serviços e queremos oferecer a possibilidade de escolher como alcançar seus amigos entre as plataformas. Em seguida, planejamos que estenda essa interoperalidade ao SMS também”, explicou.

Para Zuckerberg, “uma plataforma de comunicações com foco em privacidade se tornará mais importante do que as plataformas abertas”. “As pessoas têm a liberdade de serem expostas e se conectarem de maneira mais natural, por isso as redes sociais são desenvolvidas”. Ele ainda escreveu em seu perfil que pretende possibilitar pagamentos on-line “de forma privada e segura”, além de garantir que as mudanças sigam os gostos dos internautas.

“Hoje em dia já vemos que as mensagens privadas, os stories efêmeros e os pequenos grupos são de longe os formatos de comunicação online que crescem mais rápido“, acrescentou. Por fim, o fundador da rede social admitiu que a reputação do Facebook não é a melhor em relação à privacidade. “Nós mostramos repetidamente que podemos evoluir e criar os serviços que as pessoas querem”.

A declaração foi uma resposta às diversas críticas de que o Facebook foi alvo após o escândalo de vazamento e manipulação de dados.

Read More...

Mundo

Contra terrorismo, Obama alerta para necessidade de equilibrar segurança e privacidade de empresas como Facebook e WhatsApp

David Cameron, atual primeiro-ministro do Reino Unido e líder do Partido Conservador Cameron, advertiu nesta sexta-feira (16) que as empresas de internet devem trabalhar com as agências de segurança para não se tornarem “refúgio seguro” para os terroristas. O primeiro-ministro usou uma conferência de imprensa na Casa Branca para dizer que o Facebook e WhatsApp e não pode ser usado como um caminho secreto para os extremistas para traçar atrocidades longe do alcance do MI5 e do FBI. As informações são do Daily Mail.

Mas o presidente dos EUA, Barack Obama adotou um tom mais cauteloso, concordando apenas que deve haver um “diálogo” sobre como equilibrar a segurança nacional com as preocupações sobre a privacidade dos usuários da web. Cameron cobra das empresas de segurança americana mais empenho para abrir mensagens criptografadas, na sequência das atrocidades em Paris na semana passada, ele disse que as agências de segurança devem ser capazes de interceptar as comunicações entre os extremistas e os suspeitos de terrorismo que usam serviços de mensagens criptografadas e sites de mídia social para traçar atrocidades.

O primeiro-ministro britânico e o presidente dos EUA tentam apresentar uma frente unida em Washington com planos em cyber-segurança. Foto: Reprodução/Getty Images

O primeiro-ministro britânico e o presidente dos EUA tentam apresentar uma frente unida em Washington com planos em cyber-segurança. Foto: Reprodução/Getty Images

Mas a Casa Branca tem sido rígida na ideia de que um “equilíbrio” deve ser atingido entre privacidade e segurança nacional. Obama disse: “Eu não acho que há uma situação em que, com as coisas muito mais perigosas, o pêndulo precisa balançar. O que nós temos que encontrar é um quadro coerente em que os nossos públicos tenham confiança de que seu governo pode tanto protegê-los, mas não abusar da nossa capacidade de operar no espaço cibernético”.

Ainda de acordo com o jornal britânico Daily Mail, um relatório do ano passado sobre o assassinato do Fuzileiro Lee Rigby em Londres concluiu que o Facebook não conseguiu passar informações que poderiam ter evitado sua morte, e que o site é um “refúgio seguro para os terroristas”. Um dos seus assassinos, Michael Adebowale, usou o site para expressar sua intenção de assassinar um soldado “da forma mais gráfica e emotiva” cinco meses antes do ataque.

Antes da reunião, Cameron disse: “Assim como temos trabalhado com o nosso aliado mais próximo, os EUA, para proteger nosso povo e nossos países de ameaças tradicionais, por isso devemos trabalhar juntos para nos defender das novas ameaças como ciberataques”. 

Após o ataque da Coreia do Norte na Sony Pictures, os serviços de segurança do Reino Unido e dos Estados Unidos irão criar uma equipe conjunta de agentes para enfrentar a questão e responder aos ataques. Agentes do GCHQ e MI5 irão trabalhar com os seus homólogos norte-americanos para promover a informação sobre ameaças para ser compartilhado em um ritmo maior. Eles também irão realizar uma série de “jogos de guerra” para testar a capacidade de resistência do Reino Unido e dos EUA em face de ataques cibernéticos. O primeiro exercício irá simular um ataque contra o setor financeiro, por exemplo, em bancos na cidade e na Wall Street, que ocorrerá no final deste ano. Isto será seguido por outros “jogos de guerra” para testar a infra-estrutura nacional crítica, provavelmente irão incluir controle de tráfego aéreo, estações de energia e sistemas de saúde.

Read More...

Ciência

Empresa lança primeiro smartphone que garante a navegação anônima usando o Tor

O novo smartphone poderia se tornar o dispositivo disponível comercialmente mais seguro do mundo, de acordo com seus criadores. O BOSS Phone foi desenvolvido especificamente para a segurança e privacidade, integrando o sistema operacional do Android Lollipop com o software que garante o anonimato online. As informações são do Daily Mail.

O telefone irá custar US$355, e tem uma tela de sete polegadas, além de rotas de todo o seu tráfego através de The Onion Router, a rede on-line que permite o anonimato. Isso significa que os usuários podem fazer upload de fotos e vídeos, aplicações de uso e enviar e-mails, sem medo de poder ser interceptado por terceiros.

BOSS2

David Briggs, o empresário de San Diego por trás do projeto para o desenvolvimento do telefone, primeiro veio com a ideia depois que ele tentou, mas não conseguiu fazer upload de um vídeo do YouTube enquanto participava do casamento de seu irmão na Turquia. O acesso ao YouTube foi bloqueado por dois meses após gravações que pareciam ser de conversas de funcionários turcos discutindo na Síria vazaram lá. Briggs disse que queria dar às pessoas a liberdade de usar seus smartphones sem restrições.

The Onion Router, ou Tor, como também é conhecido, usa camadas de criptografia que podem ajudar a defender contra análise de tráfego. Briggs, que havia desenvolvido um protótipo de seu dispositivo está agora em busca de apoio no site crowdfunding Indiegogo. Ele disse: “BOSS Phone está sendo fabricado com a privacidade do usuário em foco. Os dispositivos serão testados pelo Tor/Guardian para determinar que o software incluído está configurado corretamente. Esta rede especial e navegador é usado por pessoas comuns, militares, jornalistas, policiais, ativistas e quem quer comunicações absolutamente seguras e navegação na Internet. Como os nossos dispositivos móveis se tornam mais poderosos e essencial à nossa vida diária, eles estão cada vez mais utilizado para tarefas mais importantes, como bancário e comercial, e estão, portanto, crescendo exponencialmente a mais vulneráveis ​​e a uma grande variedade de predadores online”.

O smartphone irá utilizar o The Onion Router, ou Tor, como também é conhecido, que usa camadas de criptografia para ajudar a defender contra análise de tráfego. Foto: Divulgação

O smartphone irá utilizar o The Onion Router, ou Tor, como também é conhecido, que usa camadas de criptografia para ajudar a defender contra análise de tráfego. Foto: Divulgação

No entanto, o uso do TOR pode ser controverso, pois ele também é explorado por criminosos e pedófilos para ajudar a mascarar atividades online ilegais. O navegador abriga o que é conhecido como o líquido escuro, ou deep web, uma subseção oculta da internet que não aparece em pesquisas e é usado para compartilhar informações hackeadas, tráfico de drogas e de mercadorias ilegais.

Biggs afirma que o telefone terá uma autonomia de mais de 20 horas e sua grande tela – em sete polegadas que será um dos maiores telefones no mercado – deve ser atraente para os usuários. Ele espera começar a vender modelos comerciais do BOSS Phone em outubro deste ano. Sobre os modelos atuais de smartphones com telas consideradas pequenas, Briggs disse: “Eles são inúteis para quase tudo, exceto mensagens de texto e chamadas. E mesmo assim, se você tem dedos grandes você está em apuros. Com o BOSS você não está limitado pelo tamanho”.

Read More...

Brasil

Declaração de privacidade que circula no Facebook é falsa

Boatos sobre roubo de dados pessoais voltaram a circular no Facebook após a rede anunciar nova atualização na política de privacidade. Uma mensagem diz “que o Facebook tem optado por incluir software que permite o roubo de dados pessoais” e por isso a pessoa ‘deveria’ publicar uma declaração impedindo o uso indevido dos dados. Mas o texto trata-se apenas de um hoax, que nada mais é que uma mensagem falsa compartilhada em grande escala na web.

Mesmos se a informação de roubo fosse verdade, uma simples declaração não adiantaria de nada, pois, com base em leis inexistentes como a “Convenção Berner”, o “Estatuto de Roma” (que existe, mas não contempla ações em redes sociais e a “UCC 1 1-308-308 1-103” (apenas números sem sentido), não teria efeito algum sobre as políticas de privacidade do site. A mídia social Facebook realmente atualizou sua privacidade, que começa a valer em 1º de janeiro, e é possível conhecer detalhes aqui.

Confira abaixo o hoax que está sendo compartilhado por usuários no Facebook, atualmente:

hoax

Read More...