Negócios

Crescimento econômico do Nordeste atrai cada vez mais investidores

Ainda que o Brasil nos últimos anos tenha enfrentado uma crise no setor econômico, o Nordeste continua atraindo os olhares de investidores. Tudo isso porque a região, entre os anos de 2002 e 2017, foi a que mais se desenvolveu em todo o País. Neste período, de acordo com dados do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), o Produto Interno Bruto (PIB) da região cresceu, em média, 3,5% por ano.

Diante de tamanho desempenho econômico e sendo o Nordeste um dos principais polos tecnológicos do País, a Aktie Now, empresa especializada em tecnologia para atendimento ao cliente e maior parceira da Zendesk na América Latina, decidiu expandir seus negócios e, no mês de fevereiro, chegou em Recife com sua primeira sede na região. De acordo com Bruno Stuchi, CEO da Aktie Now, a empresa tem vasta experiência em players relevantes do varejo e da indústria.

“Na região, há um grande potencial com empresas que conhecem as características de seus clientes. A Aktie Now inaugura uma sede física e uma estrutura de vendas para ampliar o alcance, além de conhecer empresas que querem transformar seu atendimento com as vantagens e cases de aplicação que temos em nível nacional, e em breve, internacional”, explicou.

Ainda segundo o CEO, com a ida para o Nordeste a empresa espera aumentar sua rede de atendimento e levar para a região soluções de suporte ao cliente da maneira mais efetiva possível. Sobre a escolha de Recife para a nova sede, Stuchi conta que escolheu a capital pernambucana “pela sua importância econômica e por um estudo prévio de clientes potenciais baseados em Pernambuco. Além de empresas de tecnologia, há grandes varejistas, o Porto de Suape e um enorme potencial econômico que iremos explorar a partir deste momento”.

Customer Experience e sua importância

Um dos principais braços da empresa é o conceito de Customer Experience (experiência do cliente, em tradução livre) e é justamente isso que a Aktie Now busca mostrar ao expandir seus serviços para além do Nordeste. “Aqueles que não se atentam aos avanços tecnológicos diários e não se preocupam com a experiência de compra do cliente antes, durante e depois, não têm grandes chances de ver seu negócio progredir”, afirmou o CEO.

Segundo pesquisa divulgada pelo Gartner, 80% dos clientes tendem a trocar de empresa após uma experiência ruim. “O perfil do consumidor mudou, eles estão cada vez mais exigentes e bem informados, por isso a oferta de um serviço de atendimento de qualidade, e personalizado, é essencial para o desenvolvimento dos negócios”, explica Ivan Preti, arquiteto de soluções da Zendesk, principal parceira da Aktie Now na oferta de softwares de relacionamento com o cliente.

Para Stuchi, as empresas estão cada vez mais se interessando em melhorar seus relacionamentos com os clientes, “uma vez que a experiência do consumidor tem sido o ponto focal das empresas que entendem sua influência na competitividade externa”, comentou.

Read More...

Brasil

Conab vai remover 13 mil toneladas de milho para atender as regiões Norte e Nordeste

A primeira operação do ano para remoção de milho dos estoques do governo federal para atender pequenos criadores de animais será realizada no próximo mês (fevereiro), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). São 13,2 mil toneladas destinadas a estados das regiões Norte e Nordeste.

O grão está estocado em armazéns localizados em municípios de Mato Grosso e será distribuído para unidades da Conab em Maceió e Palmeira dos Índios/AL (1.700 t), Manaus/AM e Boa Vista/RR (700 t), Iguatu, Maracanaú, Russas, Sobral e Tauá/CE (4.620 t), Campo Maior, Parnaíba e Teresina/PI (4.862 t) e Natal e João Câmara/RN (1.400 t).

Para habilitação, o proponente deve cumprir o Regulamento para Contratação de Serviços de Transportes da Conab e instruções do aviso. Os embarques deverão iniciar em 48 horas após a convocação realizada pela Conab e os embarques diários nas unidades onde estão estocados os grãos deverão ser realizados em quantidades compatíveis com as capacidades diárias de recepção nas unidades de destino.

O edital do Aviso de Frete Nº 008/2019 já está disponível no site da Conab, devendo ser observado o cronograma e demais instruções nele contidas.

Read More...

Destaques, Educação

Senado analisa cotas nas universidades do Nordeste para estudantes do semiárido

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) apresentou à Comissão de Educação (CE) um projeto que cria uma cota nas universidades federais do Nordeste para estudantes que tenham cursado o ensino médio integralmente em escolas públicas do semiárido (PLS 282/2018).

O senador explica na justificativa que sua proposta não estabelece uma reserva de vagas além das já determinadas pela Lei das Cotas (Lei 12.711, de 2012), que é de 50%. Determina apenas que 30% das vagas reservadas sejam destinadas a estudantes de escolas públicas do semiárido, após aplicada a cota para estudantes negros, indígenas ou com deficiência. O texto em análise ainda cria a mesma cota de acesso para as instituições federais de ensino técnico de nível médio do Nordeste.

“Historicamente a origem social dos indivíduos tem funcionado como o principal filtro de acesso à educação superior. Neste sentido, o habitante do semiárido já começa em desvantagem, frente à escassez de recursos a que a região é sujeita. Isto é inaceitável do ponto de vista social e ético. Não podemos permitir que a pobreza seja um destino. E a educação é um ótimo meio para enfrentar o problema”, pontua Bezerra Coelho.

A região do semiárido é composta por 1.262 municípios do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e Minas Gerais. Tem uma população de cerca de 26 milhões de pessoas, concentrando o maior percentual da população rural brasileira. Estima-se que cerca de 41% dos habitantes do semiárido são crianças e adolescentes, e na maior parte da região o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) varia de “muito baixo” a “baixo”.

Agência Senado*

Read More...

Negócios

McBrasil tem o sabor do Nordeste: queijo coalho é o ingrediente principal!

Após alguns dias de suspense, o McDonald’s divulgou qual será o queijo brasileiro do McBrasil. E o ingrediente não poderia ser mais típico: o queijo coalho! O sanduíche, inspirado na gastronomia nordestina, traz uma combinação de dois hambúrgueres, mix de folhas, bacon e maionese verde no pão de brioche e estará disponível a partir do dia 24 de abril, juntamente com os outros Campeões da Copa.

Bastante popular, apesar de ter a sua origem no nordeste do Brasil, o queijo coalho é consumido e saboreado em todo o país, e pela primeira vez aparece como o protagonista de um sanduíche do McDonald’s. De características tropicais e com a cara do brasileiro, não poderia ser o ingrediente mais perfeito para fazer uma homenagem à seleção pentacampeã mundial.

“Estamos na quinta edição dos sanduíches da Copa, uma campanha tão esperada pelos consumidores e que só existe no Brasil. O McBrasil teria que surpreender. Por isso, que escolhemos um ingrediente tão popular e com a cara do nosso país para representar a nossa seleção campeã. Além claro, de outros elementos da nossa gastronomia, como a maionese verde”, afirma Roberto Gnypek, vice-presidente de Marketing do McDonald’s Brasil.

Além do McBrasil, fazem parte dos Campeões da Copa: McAlemanha, McEspanha, McUruguai, McArgentina, McInglaterra, McFrança e McItália. São todos sanduíches indulgentes, desenvolvidos com ingredientes selecionados, com o toque especial da Linha Signature. Além disso, pela primeira vez, as McFritas também ganham versões personalizadas e o McBrasil fará parte do cardápio todos os dias da semana.

Confira os dias da semana que os sanduíches estarão disponíveis:

Dia da Semana

Sanduíche

Domingo

McItália

Segunda-feira

McFrança

Terça-feira

McEspanha

Quarta-feira

McAlemanha

Quinta-feira

McUruguai

Sexta-feira

McInglaterra

Sábado

McArgentina

Todos os dias

McBrasil

Read More...

Destaques, Educação

Nordeste tem a maior taxa de analfabetismo do país, aponta IBGE

Mais da metade da população brasileira de 25 anos [ou mais] tinham concluído apenas o ensino fundamental em 2016. O dado foi divulgado nesta quinta-feira (21) pela Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio, a PNAD contínua, feita pelo IBGE. Ao todo, mais de 66 milhões de brasileiros nesta faixa etária tinham apenas o ensino fundamental completo, enquanto menos de 20 milhões (15%) tinham o ensino superior completo.

A taxa de analfabetismo em 2016 ficou em torno de 7,2%, o que representa cerca de 11,8 milhões de pessoas. Entre as regiões mais afetadas pela falta de alfabetização está o Nordeste, com mais de 14,8% da população, longe dos 3,6% da região Sul. O Nordeste registra ainda cerca de 52,6% da população de 25 anos ou mais sem o ensino fundamental completo.

A analista do IBGE, Marina Águas, ressalta que os números são ainda mais preocupantes na região Nordeste quando se leva em conta a diferença racial.

“A parte do Nordeste e Norte do país tem historicamente um grau de desenvolvimento econômico diferenciado com relação ao centro-sul do país. Então, o que a gente mostra? Que exatamente, os indicadores de escolaridade não são tão positivos com relação às outras regiões do país. Se pegar as diferenças com relação à cor ou raça, torna-se ainda mais impactante.”

Na questão de cor e raça, levantada pela especialista, a pesquisa do IBGE dá dados que comprovam a diferença na escolaridade. A taxa de analfabetismo entre os idosos negros é quase o dobro na comparação com os brancos. Se entre os negros os números chegam a 30,7%, os brancos representam 11,7%. Entre a população de 25 anos ou mais, apenas 8,8% tinha nível superior, enquanto entre os brancos a taxa atingiu 22,2%.

Outro ponto que chama atenção no levantamento é de que apenas 30,4% da população até três anos de idade frequentavam a creche. Já na população entre 6 e 14 anos, a taxa de escolarização atingiu cerca de 99,2% da população.

A pesquisa também aponta que, entre a população com 14 a 29 anos, 24,8 milhões não frequentavam a escola e não tinham completado todo o ciclo escolar até a conclusão do ensino superior. Os homens representam 52,3% desse total, enquanto entre as mulheres o percentual era de 30,5%.

Read More...