Mundo

Missão que levou homem à Lua completa 50 anos

(ANSA) – No dia em que o mundo celebra 50 anos desde que a missão Apollo 11 decolou da Terra para levar, pela primeira vez, o homem à Lua, um eclipse lunar parcial iluminará a noite desta terça-feira (16) e poderá ser visto em toda a América do Sul, incluindo no Brasil, África, Europa, Ásia e Oceania.

Há meio século, o mundo parou para acompanhar a decolagem e, quatro dias depois, em 20 de julho de 1969, o pouso bem-sucedido do módulo Eagle. Os astronautas americanos Neil Armstrong e Edwin “Buzz” Aldrin foram os primeiros a pisar em solo lunar exatamente no mesmo dia. Esta foi a maior e mais complexa de todas as explorações feitas pelo ser humano motivada pela disputa entre Estados Unidos e a então União Soviética, que largou na frente na briga e pousou a primeira sonda na Lua em 1966. No entanto, os norte-americanos do programa Apollo, da Nasa, fizeram mais, pisando na Lua três anos depois. Além dos dois países, apenas a China já conseguiu chegar até a Lua.

Neste ano, por ocasião das celebrações, o Google Arts & Culture disponibilizou um acervo com 40 itens sobre a missão, no qual o usuário poderá se colocar no lugar dos astronautas. Além disso, o Google Earth também trará conteúdo com tours e testes sobre a expedição lunar.

Já o eclipse desta noite poderá ser observado a partir das 17h01 (horário de Brasília). Ao todo, ele terá duração de 5 horas e 33 minutos, sendo que a fase de umbra (quando a sombra da Terra começa a ser observada na Lua) será de 2 horas e 51 minutos. O fenômeno acontece sempre que o Sol, Terra e Lua se alinham, e o planeta faz sombra sobre o satélite.

Read More...

Destaques, Universo

Colisão que formou a Lua pode ter dado origem à vida na Terra, diz pesquisa

De acordo com a chamada Hipótese do Grande Impacto, um planeta chamado Theia – do tamanho de Marte – colidiu com a Terra há 4,6 bilhões de anos, e de seus restos a Lua foi formada. Agora, um estudo realizado por pesquisadores da Rice University (EUA) sugere que essa colisão também poderia ter tornado a vida possível em nosso planeta. A pesquisa foi publicada na revista Science Advances.

De acordo com o portal Phys.org, especialistas acreditam que este outro planeta provavelmente trouxe à Terra a maioria dos elementos essenciais para a vida, incluindo carbono, nitrogênio e outros importantes elementos voláteis.

Para chegar a essa conclusão, a equipe realizou uma série de experimentos em laboratório para testar a teoria de que os elementos voláteis chegaram ao nosso planeta após uma colisão com um planeta embrionário e com um núcleo rico em enxofre.

Colisão do planeta Theia

Especificamente, eles criaram as condições de alta temperatura e alta pressão sob as quais o núcleo de Theia poderia ter sido formado, a fim de determinar a porcentagem de enxofre necessária para o núcleo excluir carbono e nitrogênio, deixando-os no silicato do planeta.

Como resultado, eles determinaram que o marcadores de isótopo de carbono-azoto “são consistentes com o impacto que formou a Lua e que envolvem um planeta do tamanho de Marte e com um núcleo rico em enxofre”. Os cientistas afirmam que seu cenário é o primeiro que pode “explicar o tempo e a entrega de elementos voláteis [para a Terra] de uma maneira consistente com todos os testes geoquímicos”.

Rajdeep Dasgupta, um dos autores da pesquisa, ressaltou que essa descoberta também é importante para além do nosso Sistema Solar. Como se observa, o estudo “sugere que um planeta rochoso como a Terra tem mais oportunidades de aquisição de elementos essenciais para a vida se ele é formado e cresce a partir de impactos gigantes com planetas que experimentaram diferentes elementos básicos, talvez a partir de diferentes partes de um disco protoplanetário”.

Read More...

Universo

Missão chinesa consegue cultivar planta na Lua pela 1ª vez

Em feito inédito, semente de algodão germinou no satélite

(ANSA) – Pela primeira vez na história, um material biológico germinou na Lua. A Agência Espacial Chinesa (CNSA) informou nesta terça-feira (15) que uma plantinha de algodão, cultivada dentro de uma pequena estufa ao lado de sementes de batata, leveduras e ovos de mosca-das-frutas, cresceu no satélite natural, marcando um feito importante para a exploração do Universo.

A semente foi levada pela sonda Chang’e-4, que em 3 de janeiro realizou o primeiro pouso no lado oculto da Lua. Essa é a primeira vez que o homem consegue fazer uma planta crescer em um corpo celeste diferente da Terra. As primeiras imagens do broto foram publicadas pela própria agência chinesa, que já recebeu mais de 170 fotos até o momento, segundo a imprensa local. O objetivo do experimento, projetado por 28 universidades do país, é recriar uma pequena biosfera, um ecossistema artificial e autônomo, a fim de testar a possibilidade de cultivar frutas e verduras em outros planetas para o sustento de futuras colônias humanas no espaço.

Os organismos vivos presentes no interior da estufa são constantemente abastecidos com água, ar e nutrientes, mas, segundo os pesquisadores chineses, o desafio mais difícil é manter o clima adaptado para o crescimento da planta na Lua, onde as temperaturas oscilam entre 173ºC abaixo de zero e mais de 100ºC.

As sementes, aponta a imprensa local, foram submetidas a um tratamento biológico para ficar adormecidas durantes os 20 dias de viagem da Terra à Lua, e seu crescimento se deu quando o centro de controle enviou um comando para ativar a irrigação no recipiente.

Tentativas parecidas de cultivo foram feitas a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS), mas nunca fora dela. Em agosto de 2015, o experimento de jardinagem chamado “Veggie” realizou o primeiro plantio de alface romana no espaço, após meses de tentativas e erros. Em janeiro de 2016, surgiu a primeira flor, uma zínia laranja, enquanto em abril de 2018, ocorreram os primeiros cultivos de cereais na ISS. 

Read More...

Curiosidades, Destaques

Como você pode se beneficiar de cada fase da lua?

Se você é uma daquelas pessoas que olha para o céu cada vez que surge uma bela lua, você provavelmente se sente atraído por conhecer suas qualidades e aprender sobre a energia que cada fase transmite .

Cada fase lunar pode ser uma oportunidade de trabalhar em certos aspectos da nossa vida, então, se você sempre considerou isso especial, talvez você possa colocar algumas dessas dicas em prática.

Lua Nova

A lua nova marca o início do ciclo lunar. É uma oportunidade para começar a renovar, focar nossos objetivos. A lua nova também é um momento em que podemos explorar a nossa escuridão e aprender sobre o nosso espírito na sua forma mais autêntica e verdadeira.

Neste momento, pergunte-se o que gostaria de obter e, em seguida, faça um esforço para que isso aconteça . Você pode escrever uma lista de objetivos, meditar, iniciar um novo projeto ou usar mantras para atrair o que deseja.

A lua nova também é um momento em que podemos banir o que já não nos serve, liberando-nos de velhos hábitos e padrões. Tome nota de onde você está nesse momento e honre seu presente.

Lua crescente

lua crescente

Foto: Seth0s / Pixabay

Esta fase vai da lua nova à lua cheia e é a fase em que a luz aumenta. Neste momento, o que foi iniciado com a lua nova é continuado e testado, tornando o momento ideal para fazer mudanças e reforçar o que foi solicitado. É benéfico trabalhar as mudanças.

Este é também o momento perfeito para continuar a promover um novo projeto e garantir que ele esteja na direção certa.

Lua cheia

lua cheia

Foto: Mhy / Pixabay

Nesta lua é hora de colher as recompensas de tudo o que se manifesta. A lua cheia é o clímax energético deste ciclo, quando realmente vemos que nosso trabalho duro dá frutos e é quando o luar ilumina o que funcionou e o que não funcionou para nós.

Como com a lua nova, a lua cheia será colorida pela energia do signo em que está. Durante este tempo, lembre-se do que você trabalhou durante a lua nova. Nesta lua percebemos onde estamos e o que precisamos. Também é um bom momento para decidir o que devemos deixar de lado.

Esta fase lunar é perfeita para celebrar, dançar, refletir e ouvir sua intuição.

Lua minguante

lua minguante

Foto: Maryh0 / Pixabay

Com a chegada do quarto-minguante da lua, é bom rever o que fizemos para ver o que já não funciona a nosso favor. É quando os velhos hábitos são reconhecidos e é decidido deixar tudo que já não serve. É um bom momento para ver onde estamos e termos uma comunicação honesta.

Fazer mudanças pode demorar um pouco, mas o melhor que você pode fazer é reconhecer tudo o que deseja mudar, de modo que, pouco a pouco, você pode mudar de onde você estava.

Use as energias da lua a seu favor com estas dicas!

Read More...

Mundo

Agência espacial russa procura astronautas para viagens à Lua

(ANSA) – A Rússia está procurando entre seis e oito aspirantes a astronautas que deverão viajar no Federatsiya, uma nova nave espacial ainda em fase de criação, até a Lua. O anúncio foi realizado pela Agência Espacial Russa, a Roscosmos, da qual o vice-presidente, Aleksandr Ivanov, explicou que a “inscrição acontecerá até o fim do ano” por correio ou pessoalmente e que “as conclusões serão feitas até o fim de dezembro”.

De acordo com a agência, podem se candidatar ao cargo de astronautas todos os cidadãos de nacionalidade russa de até 35 anos que tiverem entre 1,5 m e 1,9 m, até 90 quilos, que sejam formados em engenharia ou em TI, que tenham diploma de pilotagem e experiência na indústria aeronáutica ou espacial e que tenham conhecimento de ao menos uma língua estrangeira, de preferência o inglês. Os participantes terão que participar de testes de aptidão profissional, acadêmica e física e de exames médicos e psicológicos. A Rússia deve iniciar seus voos à Lua da Terra em 2025, enquanto a aterrissagem no satélite está prevista para 2031.

Read More...