Pesquisadora da UFRN denuncia “surras e torturas” em Alcaçuz

A pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Juliana Melo, denunciou que presos da Penitenciária de Alcaçuz – localizada em Nísia Floresta, estão sendo torturados, inclusive com choques elétricos, desde a rebelião de janeiro de 2017, que culminou com a morte de 26 detentos. “São espancados, eletrocutados, insultados, privados de comida, de