Destaques, Dicas, Economia

Reforma da Previdência aprovada: hora de planejar sua aposentadoria

Nessa terça-feira (22), por 60 votos a 19, o Senado aprovou em segundo turno o texto-base da reforma da Previdência, que traz novas regras da aposentadoria, entre eles a idade mínima para se aposentar e o tempo mínimo de contribuição.

Diante dessa realidade, muitos trabalhadores estão inseguros com o próprio futuro. Porém, por mais que essa discussão seja importante, o brasileiro deve ter em mente que, além da aposentadoria pública, ele tem que pensar na privada, pois se hoje o dinheiro já não é o bastante para sobrevivência da maioria dos aposentados, com as mudanças será menos ainda.

Muitas pessoas se preocupam com o crescimento profissional e aumento de sua renda hoje, mas poucas se organizam e poupam dinheiro para garantir qualidade de vida no futuro. E é aí que a educação financeira se encaixa perfeitamente, preenchendo a importante lacuna de aprender a se planejar, não importando a idade.

Sabemos que o salário do INSS é importante para muitos brasileiros, além de ser um direito do trabalhador. Entretanto, esse valor não é suficiente para manter o padrão e a qualidade de vida. Em consequência, uma porcentagem muito grande dos aposentados continuam trabalhando para complementar a renda. “Costumo dizer que a sigla do INSS significa Isso Nunca Será Suficiente, afirma Reinaldo Domingos, PHD em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira..

E ao que tudo indica, os trabalhadores se aposentarão cada vez mais tarde, por conta do crescimento da expectativa de vida do brasileiro. “Minha intenção aqui não é dizer se essa medida é boa ou não, porque ela envolve uma série de fatores, inclusive uma ação preventiva para evitar um déficit nas contas da Previdência. O intuito é informar sobre as mudanças e ajudar os trabalhadores a como agir diante delas, para não comprometer de forma negativa o futuro”, diz Reinaldo Domingos.

Então, o que fazer?

O primeiro passo para mudar é pensar no padrão de vida que deseja ter após se aposentar. Será que para viver dignamente você precisará da ajuda de parentes ou de outras pessoas? Infelizmente, isso acontece com milhões de brasileiros. É importante ter consciência que mesmo tendo trabalhado a vida toda com carteira assinada, contribuindo para o INSS, a quantia recebida dificilmente será suficiente.

Tenha em mente também que o quanto antes você pensar em seu futuro, mais fácil será para poupar dinheiro e atingir a quantia desejada. Há diversas modalidades de investimentos adequadas para a aposentadoria, como previdência privada e tesouro direto. Vale a pena conhecer um pouco mais a respeito.

Fórmula da aposentadoria

“Com base na minha experiência profissional e pessoal enquanto educador financeiro ao longo dos anos, criei uma fórmula da aposentadoria e acredito que ela pode ajudar nesse processo para a construção de um futuro mais saudável financeiramente”, enfatiza Reinaldo. O segredo é encontrar o “número da sua aposentadoria” e saber o quanto quer ganhar mensalmente a partir da data em que decidir parar de trabalhar por obrigação, ou seja, alcançar a famosa independência financeira. Para muitos, pode parecer um sonho distante, “mas afirmo que com organização e planejamento é possível alcançá-la”.

Mas para não correr o risco de o dinheiro acabar de uma hora para outra, esse número deve ser de, no mínimo, o dobro do padrão de vida desejado. Assim, é possível utilizar 50% do que será ganho com os juros mensais, vivendo da forma que planejou, e guardando o restante como reserva, que continuará rendendo também.

Com essa fórmula é possível calcular esse número de forma simples e automatizada, apenas preenchendo os campos indicados com os valores que pretende atingir. Clique aqui, baixe o arquivo e comece hoje mesmo a trilhar o caminho de uma aposentadoria mais sustentável.

Read More...

Destaques, Plantão Policial

Operação da PF combate fraudes em benefícios previdenciários no RN

Uma operação federal deflagrada nesta terça-feira (15) busca desarticular um esquema criminoso que usava documentações falsas para a obtenção de benefícios previdenciários. As fraudes já teriam desviado cerca de R$ 200 mil e chegariam a R$ 1 milhão em longo prazo.

A Operação Cubo de Rubik foi iniciada pela Força-Tarefa Previdenciária no Rio Grande do Norte, integrada pela Polícia Federal e a Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT), da Secretaria Especial do Ministério da Economia.

Cerca de 15 policiais federais estão cumprindo 3 mandados de busca e apreensão expedidos pela 2ª. Vara da Justiça Federal nas cidades de Natal e São José de Mipibu.

De acordo com a PF, “fraude consistia na utilização de registros civis falsos para se criar dependentes fictícios e posteriormente requerer o benefício previdenciário da espécie pensão por morte. Do total de benefícios fraudulentos já detectados, o prejuízo estimado aos cofres da União é de aproximadamente R$ 200 mil e, em se considerando que tais benefícios poderiam ser pagos até que os falsos dependentes alcançassem a maioridade esse montante poderia chegar a R$ 1,03 milhão, valendo salientar que, com a continuidade das investigações muitos outros beneficiados do esquema poderão ser descobertos e esse valor ser ainda maior”.

O nome da operação é uma alusão ao quebra-cabeça Cubo de Rubik, também conhecido como Cubo Mágico, que possibilita múltiplas resoluções e formatos, tal qual o modus operandi dos fraudadores que se apresentavam com diversas identidades.

Read More...

Destaques, Economia

Primeira parcela do 13º dos aposentados e pensionistas começa a ser paga pelo INSS

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa a pagar nesta segunda-feira (26) a primeira parcela do 13º salário dos aposentados e pensionistas. A data de pagamento varia de acordo com o número final do benefício. O dinheiro será depositado junto com a folha mensal de agosto.

A antecipação vai beneficiar aqueles que, durante o ano, tenham recebido auxílio-doença, auxílio-acidente, aposentadoria, auxílio-reclusão ou pensão por morte e demais benefícios administrados pelo INSS que também façam jus ao abono anual. A parcela dos 50% restantes será paga no fim do ano.

“É o cronograma normal de pagamento. Você recebe sua aposentadoria, ou sua pensão, acrescido dos 50% [do décimo terceiro]”, disse o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, ao anunciar a medida no último dia 5 de agosto, em entrevista à imprensa.

Segundo Marinho, o presidente Jair Bolsonaro, ao assinar a Medida Provisória (MP) 891/2019, transformou a antecipação dos pagamentos em regra. Anteriormente, a gratificação em agosto era determinada com assinatura de decreto presidencial a cada ano.

“Com a medida, a partir de agora, haverá previsibilidade para que, no futuro, os aposentados e pensionistas do INSS possam se programar, uma vez que terão uma garantia real de que receberão esse adiantamento no mês de agosto. Não dependerão mais do poder discricionário do presidente da República na ocasião”, disse o secretário.

A antecipação representará uma injeção de R$ 21,9 bilhões na economia neste terceiro trimestre. Terão direito à primeira parcela do abono anual cerca de 30 milhões de benefícios. Não haverá desconto de Imposto de Renda nessa primeira parcela, que será cobrado apenas em novembro e dezembro, quando for depositada a segunda parte do abono.

Read More...

Destaques, Economia

Antecipação do 13º de segurados do INSS: o que fazer com o valor?

Nesta quinta-feira (22) estará disponível o extrato com os valores disponíveis da primeira parcela do 13º de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O extrato poderá ser acessado através do portal Meu INSS.

A antecipação, feita por meio de medida provisória, corresponderá a 50% do valor do benefício, a ser pago de 26/08 a 06/09, de acordo com o número final da aposentadoria ou pensão.

A estimativa é que essa antecipação libere R$ 21,9 bilhões, beneficiando cerca de 30 milhões de segurados. Para aqueles que têm desconto do Imposto de Renda, o valor será abatido apenas na segunda parcela, que será paga junto com o benefício de novembro.

Mas o que fazer com esse valor? Confira abaixo orientações do presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos.

“Quem está pensando em usar o valor para pagar dívidas deve analisar a sua situação financeira em primeiro lugar. Se não está conseguindo honrar seus compromissos com sua renda mensal, você está em desequilíbrio financeiro. É preciso traçar um planejamento para tratar o problema na fonte e sair dessa situação de forma definitiva”, orienta Domingos.

Para utilizar o valor da forma mais adequada, é preciso conhecer a situação financeira em que o aposentado ou pensionista se encontra. Veja abaixo:

Endividado ou inadimplente

É preciso conhecer seus ganhos e gastos e elencar todas as dívidas. Assim, saberá quais tem prioridade no pagamento: as de necessidade básica (como energia elétrica, água, gás e moradia) e sobre as quais incidem mais juros (como cheque especial e cartão de crédito).

“Se a primeira parcela do 13º for suficiente para quitar a dívida, faça. Do contrário, poupe o valor e também uma quantia mensal para conseguir quitar ou negociar com o credor. Se for parcelar o pagamento da dívida, tenha certeza de que as parcelas caberão em seu orçamento mensal”, orienta Domingos.

Equilibrado financeiramente

“Quem não tem dívidas, mas também não poupa dinheiro, pode achar que está em situação tranquila, mas na verdade é uma situação preocupante”, alerta. Isso porque havendo um imprevisto financeiro – seja ele positivo ou negativo – pode acabar entrando no endividamento por não ter uma reserva financeira.

“É preciso desenvolver o hábito de poupar, tanto a primeira parcela do 13º quanto uma quantia mensal. Indo na direção oposta ao consumismo exacerbado, você pode conquistar seus sonhos de curto, médio e longo prazos”, orienta o especialista.

Investidor

“Aos que já são investidores, a orientação é usar parte do valor em seus investimentos e direcionar a outra parte para a realização de um novo sonho. Todo dinheiro poupado precisa ter objetivos correspondentes, como uma reserva para emergências, uma viagem dos sonhos ou a reforma da casa, por exemplo”, explica Domingos.

O valor poupado deve ser investido de acordo com o prazo do sonho. Para os de curto prazo, a poupança é bastante indicada. Para os de médio prazo, CDB, LCI e LCA são interessantes, segundo Domingos. Já para os sonhos de longo prazo, é válido considerar títulos do Tesouro e até mesmo a previdência privada.

Fonte: DSOP Educação Financeira

Read More...

Destaques, RN

MPF denuncia médico do INSS por fraude em perícia no RN

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o médico perito do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) Antônio Carlos Barbosa, na cidade de Santo Antônio – distante 70 km de Natal, por atestar falsamente que Maria Josilene Honório de Goes teria deficiência. “As investigações apontam que o médico agiu de forma consciente e voluntária, além de inserir os dados falsos no sistema informatizado do INSS, com a finalidade de proporcionar vantagem ilícita à segurada”, diz o MPF.

A denúncia é baseada em inquérito policial e ação penal que investigam Maria Josilene e Maria José Honório por fraude para obtenção de benefício indevido junto à autarquia. De acordo com o colaborador do MPF na ação, o médico estaria envolvido em diversos casos forjados, com participação do servidor do INSS João Ferreira Cândido Neto, que direcionava perícias específicas para o denunciado.

“Constata-se que, no âmbito da estrutura criminosa que se desenvolveu no INSS para concessão de benefícios fraudulentos, João Ferreira Cândido Neto sempre agendava as perícias médicas para o médico Antônio Carlos Barbosa, a fim de que ele inserisse no sistema do INSS dados falsos”, atesta a denúncia de autoria do procurador da República Fernando Rocha.

A inserção de informações falsas em sistemas ou bancos de dados da Administração Pública com o fim de obter vantagens, ou para causar dano, é crime tipificado nos artigos 71 e 313-A do Código Penal.

O MPF dispensou inquérito policial específico para a denúncia, e pediu que ela tramite em conexão com a Ação Penal 0805631-03.2018.4.05.8400, que a fundamenta.

Read More...