Destaques, Natal

Inflação subiu 0,14% no mês de junho em Natal

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da cidade do Natal, calculado pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (Idema), registrou no mês de junho uma variação positiva de 0,14% em relação ao mês anterior. Com este resultado, a variação no ano ficou em 2,41%, nos últimos doze meses (de Julho/18 a Junho/19) atingiu 3,76% e 473,52% desde o início do Plano Real.

Também contribuiu no índice de inflação o aumento médio de 0,35% nos preços dos produtos que compõem o grupo Alimentação e Bebidas, o de maior peso na formação do IPC. Os itens que mais contribuíram para esse aumento de preços foram: Óleo e Gorduras (5,60%), Leites e Derivados (3,54%), Tubérculos, Raízes e Legumes (3,08%), Carnes e Peixes Industrializados (2,95%), Sal e Condimentos (2,67%) e Panificados (2,52%).

A pesquisa de preços constatou aumento no grupo Vestuário que apresentou neste período uma variação positiva de 0,41% em função dos itens: Calçados e Acessórios (1,11%), Roupa Masculina (0,89%) e Roupa Feminina (0,43%). Já o grupo Saúde e Cuidados Pessoais apresentou uma variação positiva de 0,35%. Os itens que mais contribuíram para esses aumentos de preços foram: Serviços Laboratoriais e Hospitalares (4,34%), Plano de Saúde (1,39%), Serviços Médicos e Dentários (0,77%) e Higiene Pessoal (0,75%).

Cesta Básica

O custo da cesta básica teve uma redução de 0,05% em relação ao mês anterior. Dos treze produtos que compõem a Cesta Básica, sete tiveram variação negativa: Feijão (-10,51%), Açúcar (-2,96%), Farinha (-2,56%), Óleo (-0,77%), Margarina (-0,62%), Frutas (-0,02%) e Carne de Boi (-0,01%) e seis tiveram variação positiva: Tubérculos (6,81%), Arroz (1,39%), Legumes (1,29%), Leite (0,63%), Café (0,61%) e Pão (0,50%).

O custo com alimentação por pessoa foi de R$ 354,65. Para uma família constituída por quatro pessoas, esse valor alcançou R$ 1.418,60. Se a essa quantia fossem adicionados os gastos com Vestuário, Despesas Pessoais, Transportes etc., o dispêndio total seria de R$ 4.374,43.

Inflação Natal

  • Junho de 2019
  • Variação no mês: 0,14%
  • Variação no ano: 2,41%
  • Últimos doze meses: 3,76%
  • Valor da cesta básica: R$ 354,65

IPC MENSAL – 2019

  • Jan: 0,41%
  • Fev: 0,38%
  • Mar: 0,54%
  • Abr: 0,63%
  • Mai: 0,28%
  • Jun: 0,14%

Read More...

Natal

Inflação subiu 0,28% em Natal no mês de maio

Impulsionado pelo aumento da gasolina e do óleo diesel, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da cidade do Natal subiu 0,28% em maio, segundo levantamento divulgado pela Coordenadoria de Estudos Socioeconômicos do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (Idema).

Também influiu no índice de inflação o aumento médio de 0,27% nos preços dos produtos que compõem o grupo Alimentação e Bebidas, o de maior peso na formação do IPC. No ano, a inflação dos alimentos chega perto dos 5%.

A pesquisa de preços constatou aumento de 4,34% nas carnes, de 4,20% nas hortaliças e verduras; 3,41% nas frutas, e de 2,69% nas carnes de aves e ovos. Já o item Combustíveis teve aumento de 3,14%, enquanto o transporte público subiu 1,47% em relação ao mês anterior.

Com os 0,28% de maio, o acumulado da inflação nos cinco primeiros meses de 2019 foi a 2,27% e nos últimos doze meses, 4,88%.

O custo da cesta básica ficou estável. Teve uma redução de 0,27%, basicamente em consequência da queda de preços do feijão (-10.63%) e do arroz (-4,11%). Dos treze produtos considerados essenciais para a sobrevivência de uma pessoa, sete tiveram variação positiva, entre eles, o açúcar (8,03%) e o pão (2,55%). O custo com alimentação por pessoa foi de R$ 354,82, ou 35,5% do salário mínimo. Para uma família constituída por dois adultos e duas crianças, o valor sobe para R$ 1.419,28.

INFLAÇÃO NATAL

Maio de 2019

Variação no mês: 0,28%
Variação no ano: 2,27%
Últimos doze meses: 4,88%
Valor da cesta básica: R$ 354,82

IPC MENSAL – 2019

Jan: 0,41%
Fev: 0,38%
Mar: 0,54%
Abr: 0,63%
Mai: 0,28

Read More...

Destaques, Economia

Inflação em Natal teve alta de 0,41% no mês de janeiro

O conjunto de produtos que formam o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,41% na cidade do Natal no mês de janeiro, segundo dados coletados pela Coordenadoria de Estudos Socioeconômicos do Idema/RN – Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte.

O índice, que está na faixa média dos meses de janeiro, foi puxado pelo grupo Alimentação e Bebidas, o de maior peso no orçamento doméstico. Neste item, os preços tiveram alta de 0,91%, puxados pelos cereais, leguminosas e oleaginosas, que subiram, em média, 10,46% no mês; pelos legumes, raízes e tubérculos (3,40%); açúcar (1,68%); frutas (1,37%) e carnes (0,82%).

O grupo Educação apresentou variação positiva de 3,29%, em função, principalmente, da elevação de preços de cursos (4,52%) e papelaria (3,24%).

No dos transportes, que tem o segundo maior peso na formação do índice (12,75%), houve deflação no período. Os preços caíram (-1,04%), acompanhando a cotação do petróleo e a redução de preços da gasolina nos postos de combustíveis.

De acordo com pesquisa da ANP, o preço médio da gasolina vendida ao consumidor no final de janeiro, em Natal, era de R$ 4,08, com viés de baixa.

“O grupo Alimentação teve variação expressiva no item Cereais, Leguminosas e Oleaginosas em razão do período de escassez de chuvas em nosso estado. Já os itens do grupo Educação, que mantêm certa estabilidade durante o ano, sofreram significativo aumento, em virtude da volta às aulas”, disse o subcoordenador de Estudos Socioeconômicos do Idema, Azaías Bezerra.

Cesta básica

cesta-basica
Foto: IDEME

O Idema registrou variação positiva de 1,9% nos preços dos alimentos que compõem a cesta básica. Dos treze produtos pesquisados, oito tiveram aumento. Destaque para o feijão, que subiu 12,7%. Com isso, o custo da cesta para alimentação de um adulto foi de R$ 337,95.

Para uma família de quatro pessoas, esse valor alcançou R$ 1.351,80. Se fossem adicionados os gastos com vestuário, despesas pessoais, transportes etc., o dispêndio total seria de R$ 4.168,44.

Read More...