RN

Federações do setor produtivo do RN pedem apoio da bancada federal para ampliação do Parque Tecnológico

Os presidentes das três federações que representam os setores produtivos da economia do Rio Grande do Norte, além do Sebrae, enviaram à bancada federal do estado uma carta em que pedem o apoio dos parlamentares para a construção de um novo prédio para ampliar as instalações do Instituto Metrópole Digital (IMD), a fim de atender às demandas do seu Parque Tecnológico.

O documento é assinado pelo presidente da Federação das Indústrias (Fiern), Amaro Sales de Araújo, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária (Faern), José Álvares Vieira, o presidente da Federação do Comércio de Bens e Serviços (Fecomércio), Marcelo Fernandes de Queiroz, e o superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/RN), José Ferreira de Melo Neto.

Os representantes solicitam aos deputados federais e senadores que priorizem o projeto dentre aqueles que farão parte das chamadas emendas de bancada, de modo que sejam garantidos os recursos para construção da estrutura, que são da ordem de R$ 30 milhões, para serem investidos em um período de dois anos. O novo prédio, que já está com os projetos de engenharia e arquitetura prontos, deverá ser levantado ao lado de onde hoje se localiza a atual sede do IMD.

Setor produtivo

O diferencial do IMD, em relação a outros setores da UFRN, é sua forte ligação com o setor produtivo, seja por meio do esforço para que seus cursos se adequem à realidade do mercado, seja por meio de sua missão principal, que é desenvolver um polo de tecnologia da informação em Natal. Para isso, sua estratégia foi criar o Parque Tecnológico Metrópole Digital, que em apenas dois anos de fundação já abriga 47 empresas, que empregam cerca de 700 profissionais.

A meta do Parque é chegar a 100 empresas credenciadas nos próximos três anos, gerando mais de 2 mil empregos. A construção do novo prédio será de fundamental importância para alcançar esse objetivo, devido à necessidade de criação de novos espaços para que se possa atrair projetos financiados por empresas de grande porte, nacionais ou multinacionais.

E o Parque Tecnológico está justamente em uma fase de atuação, dentro de seu projeto de desenvolvimento, voltada para atrair empresas de fora do Rio Grande do Norte e do Brasil. A outra linha de ação que vem sendo feita para desenvolver o polo de TI é estimular a criação de novas empresas nessa área, o que tem sido realizado com sucesso pela incubadora de empresas Inova Metrópole.

A incubadora faz parte da estrutura do Parque e se trata de um órgão voltado para promover o empreendedorismo e a inovação por meio da assistência na criação e desenvolvimento de startups. Isso é feito através do acolhimento de empreendedores e empresas dentro de um de seus programas: o de pré-incubação, o de incubação e o de formação empreendedora. Várias empresas criadas nesse âmbito já se consolidaram e fazem parte do Parque.

Impacto

Apesar de se voltar para o setor de Tecnologia da Informação, as ações do IMD e do seu Parque Tecnológico têm impacto sobre todos os setores da economia. É que as tecnologias da informação e comunicação têm sido a base para um processo global que inclui não apenas a criação de novos negócios, mas também o aumento da produtividade tanto da indústria como do agronegócio e do setor de serviços.

Na área industrial, por exemplo, foi inclusive formulado o conceito de “Indústria 4.0” para designar os impactos que o uso dessas tecnologias tem tido sobre o setor. O próprio Parque Metrópole criou neste ano um projeto voltado especificamente para o desenvolvimento de tecnologias voltadas para as indústrias de pequeno porte do Rio Grande do Norte.

Read More...

Destaques, RN

Rio Grande do Norte terá de qualificar mais de 85 mil trabalhadores para a indústria

Com o avanço das energias renováveis e do conceito de indústria 4.0, as profissões transversais e ligadas à tecnologia estarão entre as mais buscadas nos próximos cinco anos no Rio Grande do Norte. Neste período, o estado tem o desafio de qualificar 85.901 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento. É o que mostra o Mapa do Trabalho Industrial 2019 e 2023, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e publicado nesta segunda-feira (30).

O estudo se propõe a subsidiar a oferta de cursos da instituição, como também a apoiar jovens na escolha da profissão e trabalhadores que desejam se recolocar no mercado. As ocupações têm em sua formação conhecimentos de base industrial e por isso são oferecidas pelo SENAI, mas os profissionais podem atuar em qualquer setor da economia.

O Mapa mostra que no topo do ranking por áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica no Rio Grande do Norte estão as chamadas transversais (3.203), ocupações compreendidas como aquelas cujos profissionais estão aptos a trabalhar em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção, pesquisadores e desenvolvimento. Seguido por energia e telecomunicações (2.017), metalomecânica (1.833), construção (1.507) e informática (1.493).

O diretor regional do SENAI-RN, Emerson da Cunha Batista, analisa que o fato do Rio Grande do Norte ter forte atuação nos segmentos de energias renováveis, com a liderança na geração de energia eólica no país e potencial de crescimento exponencial com a energia solar fotovoltaica reflete no fato de as duas áreas com maior demanda de formação técnica ser a de profissionais transversais e de energia e telecomunicação. Com as ocupações industriais de Técnicos em eletricidade e eletrotécnica e Técnicos em eletrônica liderando a demanda.

“Com a ascensão da indústria de energias renováveis, seja ela solar ou eólica, no estado, estão ligadas diretamente com essas áreas transversais. Porque não é só a instalação de painel solar fotovoltaico, há toda uma rede ligada que interfere e demanda profissionais qualificados. Construção civil não é apenas levantar prédio, há o estudo da acústica instalada nas paredes, da térmica de ambientes, do uso de sensores na parte elétrica para reduzir ou eliminar fiação”, explica ele.

Para 2020, o SENAI-RN tem previsão de 31 mil vagas para matrículas em cursos de educação profissional nas mais diversas áreas de atuação. “Tudo isso requer conhecimento, que deve ser começado o quanto antes para que esses profissionais estejam formados, nesses cinco anos, para atender a indústria e demais áreas que vão precisar deles. E começar hoje”, completa. Os cursos técnicos têm carga horária entre 800h e 1.200h (1 ano e 6 meses) e são destinados a alunos matriculados ou egressos do ensino médio.

Entre as áreas com maior demanda por trabalhadores com cursos de qualificação estão confecção e vestuário, metalmecânica – área que deverá ter um acréscimo com a retomada do crescimento econômico -, além de construção, logística e transporte. E entre as ocupações estão operadores de máquinas para costura de peças do vestuário, padeiros e confeiteiros.

“O SENAI-RN dispõe em suas unidades, em Natal e interior, de cursos que atendem todas as áreas apontadas no mapa. Inclusive com formação e oferta de cursos também por demanda, quando temos listas de espera. Temos cursos nas áreas de construção, confecção, alimentos, panificação, energias, metalmecânica, entre outros, com padrão de excelência e certificação”, lembra o diretor.

Já em nível superior, segundo o Mapa, as áreas de gestão, informática e construção serão as que mais vão precisar qualificar profissionais no período de 2019 a 2023, no estado potiguar.

Read More...

Negócios

Empreendedorismo Jurídico será discutido em Natal

Permitir um olhar estratégico e oferecer momentos de reflexão sobre administração, inovação, carreira e mindset, impulsionando mudanças de pensamento e comportamento, esse é o propósito do I Fórum de Empreendedorismo Jurídico realizado pela CERH Consultoria. O evento acontece no dia 13 de junho, a partir das 13h30, no auditório Albano Franco, na Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte – FIERN.

Direcionado para advogados, gestores de escritórios jurídicos e consultores em gestão empresarial, o evento abordará temas ligados ao cenário, à profissão, ao negócio e à influência da administração na gestão de escritórios jurídicos. A programação do Fórum foi especialmente planejada para propiciar aos participantes um momento único de entendimento e preparação para a disruptura que já se apresenta no mundo do Direito.

“Estaremos numa jornada de oito horas, conectando profissionais que respiram o ambiente jurídico, envolvendo-os em temas atuais, úteis e que vão além do conhecimento técnico, os quais serão conduzidos por profissionais de renome local e nacional das áreas do Direito, Administração e Psicologia. Essa construção de multidisciplinaridade torna o fórum único”, afirmou a administradora e especialista em Gestão Estratégica de Pessoas, Tatiana Costa Pinto, CEO da CERH Consultoria.

Ela reforça que o evento conta com a parceria do advogado André Galvão Medeiros, que trouxe o know-how necessário para compor a formatação do evento, em uma demonstração prática de como as áreas da Administração e do Direito podem se unir para enfrentar cenários competitivos e de mudanças estratégicas.

O evento está com inscrições abertas através do site www.cerh.com.br. O investimento é de R$180 para os que se inscreverem até o dia 31 de maio. Para grupos a partir de três inscrições, desconto de 10% pelo link (veja aqui).

Serviço

I Fórum de Empreendedorismo Jurídico
13 de junho – A partir das 13h30
Auditório Albano Franco – FIERN
Mais informações: (84) 98842-4844 – cerh@cerh.com.br

Read More...

RN

Atividade da construção potiguar segue em dificuldades, revela FIERN

A Sondagem Indústria da Construção, elaborada pela FIERN, aponta que a atividade do setor sofreu forte contração em abril e ficou abaixo do padrão usual para o período. Com esse resultado, o índice alcançou o nível mais baixo para um mês de abril, da série histórica iniciada em 2010. Acompanhando o desempenho negativo da atividade, o número de empregados também caiu. O nível médio de Utilização da Capacidade de Operação (UCO), por sua vez, manteve-se baixo e estável entre março e abril, em 46%.

Em maio, os indicadores de expectativas caíram pelo segundo mês consecutivo, após o pico de otimismo registrado em março, e retomaram ao nível de dezembro de 2018. Portanto, as perspectivas dos empresários da Indústria da Construção em relação aos próximos seis meses encontram-se negativas no que diz respeito ao nível de atividade, às compras de insumo e matérias-primas, aos novos empreendimentos e serviços e ao número de empregados. Por sua vez, a intenção de investimento registrou recuo pelo terceiro mês consecutivo.

Comparando-se os indicadores avaliados pela Sondagem Indústria da Construção potiguar com os resultados nacionais divulgados em 23/05 pela CNI, observa-se que, de um modo geral, as avaliações convergiram, com a diferença de que na indústria nacional, as perspectivas com relação ao nível de atividade, às compras de insumos, aos novos empreendimentos e ao número de empregados se mantem positivas, embora menos otimistas, e o índice de intenção de investimento ficou estagnado, após três quedas consecutivas.

Read More...

Destaques, RN

Fátima Bezerra tem 53,5% dos votos válidos e Carlos Eduardo 46,5%, diz pesquisa Fiern/Certus

De acordo com a última pesquisa Fiern/Certus, divulgada neste sábado (27), a petista Fátima Bezerra desponta na preferência do eleitores potiguares quando se trata de governar o Rio Grande do Norte. Pelo levantamento, ela supera Carlos Eduardo nas pesquisas espontânea e estimulada.

A última pesquisa FIERN/Certus ouviu 1.410 eleitores maiores de 16 anos em 40 municípios do estado. Ela foi realizada entre os dias 22 e 25 de outubro, com intervalo de confiança de 95%, e registrada na Justiça Eleitoral sob o número RN-04070/2018. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Pesquisa Espontânea

Fátima foi citada por 41,70% dos eleitores na pesquisa espontânea. Já Carlos Eduardo recebeu 35,89%. Os eleitores que não sabem em quem votar acumulam 12,13%. Outros 10,07% não têm candidatos.

Pesquisa Estimulada

Se a eleição fosse hoje, no cenário ESTIMULADO para governador, onde os entrevistadores expõem quais candidatos disputam o cargo, Fátima Bezerra somaria 46,45% das intenções de voto enquanto Carlos Eduardo 40,35%. Outros 9,50% disseram que não votariam em nenhum dos candidatos.

Pesquisa estimulada fiern certus governo rn fatima bezerra carlos eduardo 2018

Se a eleição fosse hoje no cenário estimulado apenas com os votos válidos:

  • Fátima Bezerra 53,50%
  • Carlos Eduardo 46,50%

Perfil do eleitor – Fátima Bezerra

O eleitorado da candidata Fátima Bezerra é formado 55,27% por mulheres, por pessoas na faixa etária de 25 a 34 anos (22,14%) e com faixa salarial de até 3 salários mínimos (81,53%).

Perfil do eleitor – Carlos Eduardo

O eleitorado do candidato Carlos Eduardo é formado 51,67% por homens, por pessoas na faixa etária de 45 a 59 anos (23,20%) e com faixa salarial de até 3 salários mínimos (66,61%).

No voto casado para Presidente e Governador

Rejeição

Com relação à Fátima Bezerra, o que os entrevistados disseram:

  • Não votaria nela de jeito nenhum 42,41%
  • Votaria nela com certeza 41,91%
  • Poderia votar nela 14,68%
  • Não respondeu 0,92%%
  • Não sabe 0,07%

Com relação a Carlos Eduardo, o que os entrevistados disseram:

  • Não votaria nele de jeito nenhum 41,42%
  • Votaria nele com certeza 36,60%
  • Poderia votar nele 20,85%
  • Não respondeu 0,99%
  • Não sabe 0,14%

Quem, na sua opinião, vai ganhar a eleição para governar o RN?

Ao serem questionados, independente do voto que decidiram, os entrevistados responderam o seguinte:

  • Fátima Bezerra 58,79%
  • Carlos Eduardo 26,38%
  • Não Sabe 14,68%
  • Não Respondeu 0,14%

Confira o comparativo dos votos da 1ª e da 2ª Pesquisa Fiern/Certus sobre o 2º Turno:

Pesquisa Fiern Certus carlos eduardo e fátima bezerra

Read More...