Negócios

Braziliex consegue liminar e Bradesco terá de reabrir conta da exchange

Após ter sua conta fechada fora dos padrões do Banco Central, a exchange de criptomoedas Braziliex conseguiu uma liminar para que o banco Bradesco reabra a sua conta. Caso o banco descumpra a decisão, uma multa diária de mil reais será aplicada.

O CEO da Braziliex, Ricardo Rozgrin, explica que eles são uma instituição séria e acabaram sendo prejudicados. “Todas as transações geram nota fiscal, levamos as criptomoedas como o futuro do mercado e essa decisão judicial mostra como as grandes instituições devem olhar com atenção e seriedade esse setor”, ressaltou.

A exchange também conseguiu uma outra liminar, no Rio de Janeiro, para o que o banco Sicoob não encerre as atividades da exchange. A empresa já havia sido comunicada pela instituição que sua conta seria encerrada.

Sobre a Braziliex

Criada pelos desenvolvedores Marcelo e Ricardo Rozgrin, a Braziliex possui atualmente mais de 60 mil clientes ativos. A exchange opera com 28 moedas, oferecendo aos investidores acesso direto a elas por meio de reais (R$).

A empresa é uma das únicas brasileiras a desenvolver uma plataforma proprietária do zero, ou seja, que tem a total autonomia na evolução do software da exchange. Desenvolvendo seu próprio sistema de transação, a Braziliex conta também com a parceria de especialistas em sistemas bancários para garantir a segurança das operações.

Read More...

Negócios

Grupo Bitcoin Banco anuncia compra da Zater e investimento de R$20 milhões

O Grupo Bitcoin Banco anunciou a compra de 40% da exchange Zater Capital, que tem sedes em São Paulo e no Rio de Janeiro. O novo sócio investidor vai aportar R$20 milhões na corretora para a movimentação do livro de ofertas, ampliação tecnológica, sustentação do OTC e expansão de suas ações.

A compra é estratégica para o Grupo Bitcoin Banco, com sede em Curitiba, que adquiriu a exchange NegocieCoins em setembro do ano passado e tornou a corretora uma das líderes em transações no mercado de criptomoedas, com movimentações de mais de R$ 700 milhões ao mês e cerca de 50 mil clientes. O Bitcoin Banco, uma das empresas do grupo, possui uma agência física para atendimentos a investidores em Curitiba e, com a compra da Zater, também abrirá nos próximos meses, uma unidade para atendimento físico e operações em São Paulo.

Zater

A Zater tem como foco o balcão de OTC. Ou seja, é voltada para clientes que transacionam grandes quantias, acima de 100 bitcoins. Segundo seus criadores, um dos grandes diferenciais é a plataforma da exchange, que apresenta um sistema de segurança avançado e escalabilidade para receber um grande número de clientes, especialmente aqueles que movimentam quantias menores no livro de ofertas. Na prática, é uma exchange destinada aos traders profissionais e àqueles que têm mais experiência no mercado.

Grupo Bitcoin Banco Zater

Os diretores do Grupo Bitcoin Banco ao lado dos sócios da Zater Capital

“Queremos ser reconhecidos como uma plataforma global dedicada ao trade profissional e por isso já estamos implantando novas ferramentas e funcionalidades únicas para o mercado de criptomoedas, além de ampliar a capacidade de transacionar um grande número de moedas virtuais. E o Grupo Bitcoin Banco será essencial para nos ajudar com isso”, afirma Fernando Zanatta, um dos sócios da Zater.

A plataforma da Zater também tem a mobilidade como destaque. A unidade da empresa no Rio de Janeiro é especializada no desenvolvimento de aplicativos para Android e iOS, por meio do qual é possível realizar todas as operações de compra e venda.

Com a aquisição, as operações corporativas da Zater – como administrativo, jurídico, marketing e comercial – serão dirigidas para Curitiba, enquanto São Paulo e Rio de Janeiro permanecem com os braços tecnológicos. Todas as campanhas e estratégias do Grupo Bitcoin Banco também serão estendidas à nova corretora do grupo.

Read More...