Destaques, Política

Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil

(ANSA) O deputado federal e capitão reformado Jair Bolsonaro, do PSL, foi eleito neste domingo (28) como o novo presidente do Brasil. Com 94,44% das urnas apuradas, o ex-militar tem 55,54% dos votos válidos e não pode mais ser alcançado por Fernando Haddad (PT), com 44,46%.

Aos 63 anos de idade e dono de uma carreira parlamentar de três décadas e marcada por declarações preconceituosas, Bolsonaro conseguiu consagrar a extrema direita brasileira na esteira do antipetismo que tomou conta do país em função dos escândalos de corrupção e da crise econômica.

Com o lema “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, o presidente eleito entrou na disputa apoiado por uma base fiel e barulhenta, mas ainda visto como um vitorioso improvável no cenário político.

No entanto, a inelegibilidade de Lula o catapultou à condição de favorito, status fortalecido pelo atentado cometido por Adélio Bispo de Oliveira em Juiz de Fora (MG). Além disso, Bolsonaro ganhou impulso a partir de setembro, quando o eleitorado passou a identificar Haddad como o candidato do PT e de Lula, fazendo sua rejeição disparar. A opção do eleitorado conservador pelo deputado federal como o mais indicado para derrotar o petismo esvaziou as candidaturas de Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Henrique Meirelles (MDB) e Alvaro Dias (Podemos) e quase resolveu a eleição no primeiro turno, quando Bolsonaro teve 46% dos votos válidos, contra 29% de Haddad.

Segundo turno

Com “uma mão na faixa”, em suas próprias palavras, o capitão reformado optou por não participar de nenhum debate no segundo turno, apesar de ter sido liberado pelos médicos nos 10 dias finais de campanha. O próprio Bolsonaro reconheceu que essa foi uma decisão “estratégica”.

Focando seu discurso no combate à corrupção, aos “ativismos” e ao PT, o candidato do PSL ampliou sua vantagem para Haddad nas pesquisas até a reta final da disputa. Quando ele se encaminhava para uma vitória acachapante, ameaças de seu filho Eduardo Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF) e a promessa da boca do presidenciável de “varrer do mapa os bandidos vermelhos” deram início a um movimento de redução de sua vantagem.

Já na véspera do pleito, ícones do combate à corrupção, como o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa e o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, odiados pelo PT, declararam apoio explícito a Haddad, ao contrário de Ciro Gomes (PDT). O movimento pró-Haddad, no entanto, não foi suficiente para reverter a disputa.

Bolsonaro iniciará a transição econômica já nesta segunda-feira (29) e pegará um país dividido, com dezenas de milhões de pessoas com medo de seus arroubos autoritários. Ainda assim, deve contar, ao menos no primeiro momento, com apoio no Congresso das bancadas da bala, ruralista e evangélica para implantar sua agenda.

Bolsonaro também terá a benevolência do mercado financeiro, empolgado com a perspectiva de uma política econômica liberal implantada pelo futuro ministro Paulo Guedes.

Read More...

Destaques, Política

Qual o horário de votação no segundo turno das Eleições 2018?

O segundo turno das eleições 2018 será realizado neste domingo, dia 28 de outubro. Por isso, os eleitores deverão comparecer aos locais de votação entre as 8h e as 17h (horário local).

Aqueles que estiverem na fila das seções eleitorais após às 17h ainda poderão votar.

Caso perca o prazo e não consiga votar, o eleitor terá até 60 dias para justificar o voto em qualquer cartório eleitoral.

Mesmo os que não votaram no primeiro turno, poderão votar normalmente neste segundo turno. Cada turno é visto como uma nova eleição.

O que precisa levar para votar

Para votar, é necessário apresentar um documento oficial com foto, como carteiras de identidade, de trabalho, nacional de habilitação, certificado de reservista, Documento Nacional de Identidade (DNI) ou passaporte.

Certidão de nascimento e de casamento não valem como prova de identidade na hora de votar.

Eleitores que fizeram o cadastramento biométrico podem apresentar somente o e-Título, por substituir o documento oficial com foto. O aplicativo de celular da Justiça Eleitoral pode ser baixado gratuitamente e está disponível para iOS e Android.

Read More...

Destaques, RN

Fátima Bezerra diz que vai garantir diálogo com os setores produtivos

Ao participar da edição especial do Fórum FIERN Caminhos do RN, a candidata ao governo do Estado, senadora Fátima Bezerra (PT), assegurou que haverá diálogo com os representantes dos setores produtivos, se for eleita na votação do próximo domingo, dia 28 de outubro. “É necessário estreitar os laços com a produção. Já estive aqui [na Casa da Indústria], nesta campanha, e também nas demais entidades empresariais, assim como nas que representam os trabalhadores e os movimentos sociais”, afirmou a candidata.

A senadora destacou que o programa de governo apresentado por ela, nesta eleição, incorpora sugestões do MAIS RN. Ao comentar o diagnóstico feito pelo MAIS RN, a senadora reconheceu a necessidade de o Estado buscar equilíbrio nas contas. “Os seminários temáticos que fizemos para discutir as propostas que apresentamos começou pela discussão do problema fiscal, que precisa ser enfrentado para termos um modelo de desenvolvimento que traga emprego”, disse.

Ela acrescentou que com os apoios conquistados no segundo turno assegura maioria, caso eleita, na Assembleia Legislativa. “Digo isso para ressaltar a governabilidade do meu projeto”, acrescentou a petista, ao citar o apoio do presidente da ALRN, Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), e de pelo menos metade dos deputados estaduais eleitos, e dois federais – Benes Leocádio (PTC) e Rafael Motta (PSB). “É preciso união para tirar o Rio Grande do Norte da crise. Nesse momento, a bandeira que nos une é o desafio de tirar o Estado desta situação”, afirmou.

fátima bezerra

Fátima Bezerra aproveitou para defender ajustes nos programas de incentivo ao crescimento como Proadi e Progás. Ela disse que o Proadi deverá ser ampliado para que possa beneficiar as pequenas e médias empresas. Também apontou a necessidade de implementar um programa de Parcerias Público Privada.

A candidata aproveitou para afirmar que é preciso instituir uma lei voltada ao estímulo das micro e pequenas empresas. “Precisamos implementar um modelo de desenvolvimento no estado e eu tenho certeza de que o turismo é um caminho para gerar emprego e renda”, afirmou. “Precisamos melhorar a qualidade de vida do nosso povo”.

Ela disse considerar também melhorias na segurança pública como um dos aspectos fundamentais para atrair investimentos. A candidata reconheceu que os empresários precisam de segurança física e patrimonial para que tenham a tranquilidade de investir e gerir suas atividades. Segundo Fátima Bezerra, “a insegurança deve ser enfrentada com recursos para melhorar nas condições de trabalho das forças policiais, ampliação do efetivos, estruturação de um setor de inteligência e medidas preventivas”.

Read More...

Destaques, RN

Ajuste fiscal e retomada do desenvolvimento são “prioridades” para Carlos Eduardo

O candidato ao governo do estado, Carlos Eduardo (PDT), afirmou na edição especial do Fórum Caminhos do RN, realizado na Casa da Indústria, que se for eleito no próximo domingo, 28, o ajuste fiscal e a retomada do desenvolvimento serão as principais prioridades do seu governo. “No dia 2 de janeiro encaminharei à Assembléia Legislativa os primeiros decretos”, anunciou.

Carlos Eduardo disse que irá convocar todas as forças organizadas da sociedade e os poderes para dialogar e resolver os problemas do estado. “Todos têm de dar sua parcela de contribuição”. Acrescentou que o estado dará o exemplo, fazendo o “dever de casa” e que será necessário um pacto e corresponsabilidade para o estado superar a crise.

“Vamos atuar como força tarefa e contamos com a parceria indispensável do setor produtivo”, disse o candidato, adiantando que ouvirá as entidades representativas dos empresários quanto à indicação do secretário de Planejamento.

governadoria do rio grande do norte governo

Ele defendeu a redução do tamanho do estado e uma reforma administrativa, como saídas para o estado diminuir seus custos. Lembrou que fez isso quando foi prefeito de Natal, em 2013, eliminando secretarias, reduzindo despesas com cargos comissionados, cortando funcionários fantasmas, contas de telefones, combustíveis e passagens aérea, entre outras medidas. “Trago a experiência de quem já foi prefeito de Natal quatro vezes”.

Carlos Eduardo anunciou a criação da Agência Público-Privada, com participação de representantes do setor privado e secretários e técnicos do governo. Explicou que se trata de um fórum liderado diretamente pelo governador, com objetivo de reter investimentos e levar segurança aos investidores. O órgão, que não representará custo adicional ao caixa estadual, se reunirá mensalmente para discutir e resolver pendências relacionadas ao setor empresarial. “Será uma espécie de poupa tempo, para combater a burocracia e possibilitar que o Rio Grande do Norte retome o desenvolvimento”.

O candidato do PDT afirmou para os empresários que o futuro governo estadual precisa estar em sintonia com o governo federal para poder retomar a normalidade financeira e que contará com apoio do PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, para ajudar a trazer recursos para o Rio Grande do Norte. “Não podemos ser o estado mais violento do país e com salários atrasados”.

Na sabatina, Carlos Eduardo descartou aumento de impostos; assegurou mais apoio às microempresas e ao Pró Sertão; reorganização e fortalecimento do Programa do Leite; agilização da transposição das águas do rio São Francisco; e incluir o RN na Transnordestina.

Ele também tranquilizou os fornecedores e terceirizados. Disse que o governo conversará e analisará cada contrato e os que estiveram adequados à realidade financeira serão mantidos. “Buscaremos parceria e diálogo incessante, vamos dar as mãos e resolver nossos problemas”, afirmou.

Read More...

Destaques, Natal

Organização diz que mais de 30 mil pessoas foram às ruas de Natal em ato pró-Bolsonaro

Em Natal, mais de 30 mil pessoas saíram às ruas em manifestação favorável ao candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro e “contra às candidaturas do PT em nível nacional e estadual”. O ato intitulado #PTaquinao foi organizado por diversos grupos de direita do Rio Grande do Norte, liderados pelo Força Democrática.

A concentração aconteceu no cruzamento das avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira e, em seguida, a passeata percorreu ainda as avenidas Nascimento de Castro e Romualdo Galvão, com percurso total de 1,6 quilômetros.

O movimento superou as expectativas da organização. “Este é o último evento grande antes do segundo turno das Eleições marcado para o próximo domingo (28). Conseguimos reunir mais de 30 mil pessoas, um número maior do que o estávamos esperando. Do início da concentração até o final da passeata, as pessoas interagiram de uma forma muito bonita, todo mundo junto, num só coro pelo nosso País. Foi fantástico. Mostramos a força de Natal, mostramos que o Rio Grande do Norte não vai aceitar mais o PT e vamos mostrar isso também nas urnas”, afirmou Carlos Reny, um dos organizadores da manifestação.

“Neste ato, foi permitida a participação de políticos e lideranças partidárias”, disse a organização. Andrea Ramalho, esposa do governadorável Carlos Eduardo, compareceu à manifestação representando o candidato, que está cumprindo agenda de campanha no interior do RN. Neste domingo, várias cidades do País realizaram manifestações em favor do candidato Jair Bolsonaro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Read More...