Destaques, Educação

Interesse pelo curso superior EAD aumenta no Brasil

Conciliar trabalho, filhos, afazeres pessoais, entre outros compromissos mais a responsabilidade de fazer um curso superior, não é tarefa fácil. Mas essa barreira vem deixando de existir com a possibilidade de cursar uma graduação ou pós-graduação na modalidade EAD. E essa opção já chega a quase 2 milhões de matrículas, o que representa 21% do total do ensino superior do país conforme o último Censo de Educação Superior.

Assim como a demanda é crescente, a oferta de faculdades a distância também. Nos últimos quatro anos, o número de polos saltou de quase 5 mil para mais de 15 mil. A tendência é aumentar ainda mais o interesse pela modalidade, mas antes de efetuar matrícula vale conhecer o próprio perfil como estudante e observar se terá vantagem ou desvantagem investindo na modalidade de educação à distância.

Entre as vantagens, o estudante organizar o próprio tempo podendo conciliar afazeres, como trabalho e estudo, além de não ser necessário o deslocamento todos os dias para à faculdade. Por conta das multiplataformas de acesso à web, o estudo também pode ser feito em dispositivos móveis. Já quanto às desvantagens, depende do aluno organizar seus horários de dedicação às aulas a distância e da disponibilidade e interesse pelos estudos. O aluno possui total autonomia se responsabilizando pelo objetivo a ser atingido.

Quem está muito satisfeita por fazer uma graduação a distância é Alana da Costa que cursa Pedagogia na Unopar EAD. Por ter uma rotina muito corrida, nem tentou a modalidade presencial e optou de primeira por um curso a distância. “Devido ao meu trabalho, não teria como frequentar um curso na modalidade presencial. Estou gostando da experiência EAD e o curso está sendo muito proveitoso”, pontua Alana prestes a iniciar o segundo semestre.

A agente de prevenção e perda, Rita de Cássia Balbino, estuda Gestão da Segurança Privada na Cruzeiro do Sul EAD. Ela escolheu a modalidade EAD pela flexibilidade e a pela comodidade. “Escolhi por ter uma rotina dinâmica de trabalho e, por conta disso, de ter pouco tempo para estudar.  Me identifico com curso porque trabalho com segurança patrimonial e também sou técnica em segurança do trabalho”, explica Rita.

As duas estudantes são bolsistas do Educa Mais Brasil. Além de poder encaixar o curso a distância às suas rotinas, encontraram no programa de bolsas de estudo uma oportunidade de tornar realidade a formação na profissão tão sonhada. No site do programa, parceiro do  Portal N10 (veja aqui) é possível consultar as bolsas de estudo disponíveis e se inscrever gratuitamente.

Read More...

Destaques, Educação

Universidade Aberta do SUS disponibiliza cursos EAD gratuitos a profissionais da saúde

Até o dia 30 de junho, profissionais da área de saúde podem se matricular em cursos totalmente gratuitos, disponibilizadas pela plataforma Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS). São quatro as opções de cursos: Introdução à Avaliação em Saúde; Gestão Local de Desastres Naturais para a Atenção Básica; O Fazer da Saúde Indígena; e Conhecendo a Realidade da Saúde Indígena no Brasil. Todas as formações têm carga horária de 60 horas.

As quatro especializações são realizadas pela Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp) mas, de acordo com a UMA – SUS, quase 40 instituições de ensino superior formam a rede colaborativa oferecendo cursos na modalidade Educação a Distância (EAD). Com isto, quase 100% dos municípios brasileiros são contemplados com as capacitações educacionais.

Coordenado pelo Ministério da Saúde, em conjunto com a Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES/MS) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Sistema UNA-SUS foi criado em 2010 como uma plataforma de qualificação e educação contínua dos profissionais que atuam no Sistema Único de Saúde. Saiba mais abaixo e saiba como se matricular na página da UNA-SUS:

  1. Introdução à Avaliação em Saúde

O curso de Introdução à Avaliação em Saúde é direcionado para os profissionais da área que exercem atividades clínica, de gestão e de educação permanente. São cinco módulos que tratam de questões como: práticas de monitoramento e avaliação para qualificar a Atenção Básica; diferenciam a avaliação interna e externa; avaliação de estrutura, processos e resultados; julgamento de mérito e relevância; avaliação e monitoramento; reconhecer as principais diferenças entre abordagens qualitativas e quantitativas de investigação da realidade (saiba mais aqui).

  1. Gestão Local de Desastres Naturais para a Atenção Básica

O curso de Gestão Local de Desastres Naturais para a Atenção Básica visa habilitar os profissionais de saúde a gerir as ações locais ligadas à atenção básica e às etapas de gestão desses riscos. Os profissionais conhecerão os conteúdos com base na Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) que foca na gestão de riscos e desastres a partir da identificação dos problemas e das necessidades de saúde em locais de risco acentuado.

  1. O Fazer da Saúde Indígena

O curso sobre o Fazer da Saúde Indígena tem como objetivo dar visibilidade à temática, que é pouco abordada nos cursos de saúde brasileiros. Os profissionais aprenderão sobre as relações entre os contextos históricos, políticos e sociais e as bases legais que devem orientar os atendimentos à população indígena.

A formação tem como base a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas e contém recomendações sobre a formação dos profissionais para que atuem no subsistema de saúde indígena (SASISUS), constituído em 1999 (saiba mais aqui).

  1. Conhecendo a realidade da Saúde Indígena no Brasil

Este módulo é complementar ao que aborda o Fazer da Saúde Indígena e visa capacitar o profissional para prestar atendimento qualificado e específico à esta população. Segmentado em três módulos, o curso ensina conceitos como a atenção diferenciada, a política de saúde e a epidemiologia aplicadas à prestação dos serviços (saiba mais aqui).

Fonte: Agência E+B

Read More...

Destaques, Educação

Como se preparar para uma pós-graduação EAD

Você está acostumado com o ensino presencial, mas optou por uma especialização a distância e não tem ideia de como se preparar para uma pós-graduação EAD? Calma. Esse temor é até comum e acontece porque é uma situação nova, que exigirá do estudante lidar com as vantagens e os desafios da educação a distância. Pensando nisso, separamos algumas dicas úteis para quem precisa se planejar para as particularidades do ensino a distância. Confira: 

Reorganize a sua rotina 

Reorganizar a rotina será necessário para incluir um tempo dedicado exclusivamente aos estudos. O profissional precisará encaixar os estudos em suas demais atividades. Caso seja possível, antes do curso iniciar, separe os dias e horários que poderão ser dedicados à sua pós-graduação. 

Busque diferentes fontes de conhecimento 

Ao escolher a instituição de ensino, verifique qual é a metodologia utilizada e os recursos didáticos disponibilizados. Além das vídeoaulas, é importante que a faculdade disponibilize outros materiais, como apostilas, atividades e exercícios. O estudante pode e deve buscar outras fontes, como canais do Youtube, conteúdos em sites, aplicativos, etc. 

Organize o local de estudo 

A educação a distância permite que o aluno tenha mais flexibilidade nos horários e possa escolher o local mais adequado aos seus estudos. Mas é importante separar um local com a menor quantidade de distrações e que seja tranquilo e organizado. Separe os materiais necessários e, quando finalizar, deixe-os organizados. 

Separe um tempo para descansar 

Estudar é importante para uma carreira de sucesso, mas a saúde mental é fundamental para conseguir desempenhar suas atividades e realizar os sonhos de forma saudável. Por isso, não esqueça de separar um tempo para descansar. O lazer ajuda a recarregar a energia, desde que não ocorra excessos que desestabilizem o planejamento de estudo. 

Cuide das suas finanças 

Os cursos de graduação podem durar até dois anos e, a depender da área e da instituição de ensino, o investimento necessário pode desanimar alguns profissionais. Como você precisará arcar com as mensalidades, é importante se preparar financeiramente para não desestabilizar o orçamento. 

Uma dica é aderir a uma bolsa de estudo para pós-graduação. Com o benefício o estudante pode conseguir até 70% de desconto nas mensalidades. Para isso, basta se inscrever no site do Educa Mais em parceria com o Portal N10 (CLIQUE AQUI) e seguir as instruções para aquisição da bolsa.

Read More...

Educação

Profissionais sênior buscam pós-graduação a distância

Os dados do censo EAD Brasil 2015, realizado pela Associação Brasileira de Educação a Distância, apontam que a procura pelos cursos de graduação e pós-graduação a distância está crescendo a cada ano. Apenas no ano de 2015, foram contabilizados 1.108.021 estudantes que optaram por aulas a distância ou semipresenciais, o que revelou um grande aumento em comparação ao ano anterior, que totalizou 996.323 matriculados.

O mesmo censo também confirmou que a faixa etária média dos alunos de cursos a distância é maior do que a dos cursos presenciais. Comparando as idades dos estudantes, fica claro que a maioria dos alunos da educação presencial (63,23%) está na faixa dos 20 a 30 anos, enquanto boa parte dos alunos de cursos a distância (49,78%) se concentram na faixa de 31 a 40 anos.

Esse dado atenta a uma forte tendência que podemos perceber nos dias atuais: cada vez mais, profissionais sênior buscam uma pós-graduação a distância para complementar os estudos. Segundo os dados apresentados por instituições privadas de ensino no Mapa do Ensino Superior SEMESP 2016, 70,45% dos alunos matriculados trabalham e estudam. Esse fato pode ser um dos motivos que levam tantos profissionais a optarem por um curso a distância, modalidade que oferece horários mais flexíveis e a possibilidade de estudar em qualquer local, até mesmo em casa.

Um dos principais objetivos do estudo a distância é proporcionar aos alunos a possibilidade de reingressar no mundo dos estudos de maneira prática e acessível. Essa é a estratégia usada pela Universidade Estácio de Sá, que possui um programa específico voltado para a inclusão educacional. O Educa Mais Brasil tem como principal objetivo beneficiar as pessoas que estão fora do cenário da educação superior no país. Para participar da seleção, é preciso que o aluno nunca tenha sido matriculado na instituição e que esteja há, pelo menos, seis meses sem estudar. Também é necessário comprovar a conclusão do ensino médio, para matrículas na graduação, ou comprovar a conclusão da graduação, para os cursos da pós.

Read More...