Mundo

Bolsonaro e Paulo Guedes cogitam “moeda comum” com Argentina

(ANSA) – O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia Paulo Guedes discutiram a criação de uma moeda única para Brasil e Argentina, a qual pode se chamar “peso real“. O tema veio à tona na tarde de ontem (6), em um encontro em Buenos Aires entre Bolsonaro, Guedes e empresários.

A ideia, porém, foi proposta pelo ministro da Economia da Argentina, Nicolás Dujovne. Segundo Guedes, no futuro, é possível que haja cerca de apenas cinco moedas no mundo, e a do Mercosul facilitaria a integração regional.

Desde a criação do Mercosul, em 1991, os países do bloco cogitam a possibilidade de estabelecer uma moeda comum, mas, até agora, nada tinha sido feito para avançar com o projeto. Neste momento, no entanto, a ideia está sendo analisada apenas por Brasil e Argentina, sem envolvimento do Paraguai e do Uruguai, outros membros do bloco. Após a reunião em Buenos Aires com Bolsonaro e Guedes, porém, o Banco Central publicou um comunicado negando que a moeda única esteja sendo estudada.

“O Banco Central do Brasil não tem projetos ou estudos em andamento para uma união monetária com a Argentina. Há tão somente, como é natural na relação entre parceiros, diálogos sobre estabilidade macroeconômica, bem como debates acerca de redução de riscos e vulnerabilidades e fortalecimento institucional”, diz a nota.

Read More...

Brasil

Bolsonaro declara apoio a Neymar após acusação de estupro

(ANSA) – O presidente Jair Bolsonaro saiu em defesa do atacante Neymar nesta quarta-feira (5) e declarou que pretende ir ao amistoso entre Brasil e Catar, no estádio Mané Garricha, em Brasília, para dar um abraço no jogador que foi acusado de estupro por uma mulher.

“Espero dar um abraço no Neymar antes do jogo. É um garoto. Está num momento difícil, mas eu acredito nele”, afirmou Bolsonaro durante entrevista coletiva em Aragarças, no interior de Goiás.

Esta é a primeira declaração pública de Bolsonaro desde que a denúncia contra Neymar veio à público no último final de semana.

O atacante da seleção foi acusado de estuprar uma brasileira em um hotel de luxo em Paris, na França, no dia 15 de maio. No entanto, em um vídeo publicado no Instagram, ele negou a denúncia e disse que a relação sexual foi consensual.

Após a revelação da gravação, na qual havia conversas e fotos da mulher, Neymar também se tornou alvo de uma investigação pelas polícias civis do Rio de Janeiro e São Paulo pela divulgação das imagens íntimas já que é um crime previsto no Código Penal.

Após ser questionado sobre o caso por uma repórter da “Folha de S.Paulo”, Bolsonaro criticou o jornal e ainda colocou em dúvida a versão da mulher sobre o estupro. “Você está julgando o Neymar. A Folha de S.Paulo já está julgando o Neymar como sempre me julgou nesse tempo todo”, acrescentou.

Hoje a noite, às 21h30 (horário de Brasília), o time comandado por Tite faz seu primeiro jogo de preparação para a Copa América em partida contra o Catar. A seleção, no entanto, tem sido ofuscada nos preparativos para a competição após a acusação de estupro.

Read More...

Mundo

Argentinos convocam protesto contra visita de Jair Bolsonaro

(ANSA) – Diversos argentinos de organizações sociais, sindicatos e partidos de esquerda convocaram um protesto para a próxima quinta-feira (6) contra a visita do presidente Jair Bolsonaro a Buenos Aires. A expectativa é de que o ato seja realizado na Praça de Maio, no centro da capital do país, onde está localizada a Casa Rosada, sede do governo. Lá, o brasileiro participará de uma reunião com o chefe de Estado da Argentina, Maurício Macri.

Sob o slogan “Seu ódio não é bem-vindo aqui”, a manifestação contará com a presença de grupos de direitos humanos e de minorias, como as Mães da Praça de Maio e a Federação Argentina de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Trans, além do movimentos La Cámpora e o Movimento Evita, e de sindicatos de trabalhadores, como os que integram a Central de Trabalhadores da Argentina.

Nas redes sociais, os organizadores incentivaram o uso das hashtags #ArgentinaRechazaBolsonaro (Argentina rejeita Bolsonaro, em tradução livre) e #ellosno (eles não) para aumentar a visibilidade do ato. “A ascensão de Bolsonaro à presidência e sua contínua apologia à tortura e à discriminação fazem com que no Brasil cresçam todos os indicadores de violência racista, de gênero, feminicídios, homofobia e transfobia”, informou o grupo responsável pelo ato.

Além disso, os militantes pretendem fazer um protesto a favor da soberania para criticar as políticas tanto de Bolsonaro quanto de Macri. “O povo do Brasil sofre uma política de ajustes, privatizações e repressão que cresceu nos últimos meses”, acrescentou o texto de convocação, ressaltando que o país registrou “um considerável aumento da pobreza”.

Já sobre Macri, os representantes explicaram que, ao ser escolhido como presidente, a Argentina “foi ponta de lança na nova guinada à direita”.

O presidente do Brasil chega na Argentina nesta quarta-feira (5) em sua primeira visita oficial ao país, mas sua agenda ainda não foi divulgada. No entanto, é previsto que ele se reúna com Macri para debater temas da agenda bilateral e Mercosul. Em março, Bolsonaro visitou o Chile e também foi alvo de manifestações por parte de grupos feministas e de defesa dos direitos humanos. Os atos foram realizados no Palácio de La Moneda, onde o presidente se reuniu com o mandatário chileno, Sebastián Piñera.

Read More...

Brasil

Bolsonaro pretende aumentar validade da CNH e dobrar pontos para suspensão

O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta segunda-feira (3) que enviará, nos próximos dias, um projeto de lei ao Congresso para aumentar a validade da carteira nacional de habilitação (CNH) e dobrar o limite de pontos para a suspensão do documento. Na rede social Twitter, ele escreveu que apresentará a proposta ainda esta semana.

“Nessa semana apresentarei projeto de lei para: 1 – Passar de 5 para 10 anos a validade da Carteira de Habilitação; 2 – Passar de 20 para 40 pontos o limite para perder a CNH, postou o presidente.

A postagem veio acompanhada de um vídeo em que Bolsonaro elogiou o uso do Exército na recuperação da BR-163. Ele disse que a utilização dos militares na rodovia é mais barata e fornece “mais confiança no trabalho”. Segundo o presidente, o envolvimento dos militares reduziu a pressão pela ocupação de cargos em comissão no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

No mesmo vídeo, o presidente disse estar engajado em interromper a instalação de radares eletrônicos nas rodovias federais. Ele declarou que o Ministério da Infraestrutura tinha 8 mil processos para a instalação de radares que consumiriam R$ 1 bilhão em quatro anos. Bolsonaro declarou que a interrupção na instalação dos radares representará um golpe na indústria de multas.

Read More...

Brasil, Destaques

Durante avaliação psiquiátrica, Adélio revela motivo de ter tentado matar Bolsonaro

(ANSA) – O autor do atentado contra o presidente Jair Bolsonaro, Adélio Bispo de Oliveira, disse durante uma avaliação psiquiátrica que tentou assassinar o então candidato porque, se fosse eleito, ele “entregaria as riquezas” do Brasil à máfia italiana, aos maçons e ao FMI.

Segundo declaração dada aos especialistas, Adélio revela que com a eleição de Bolsonaro seriam mortos “os pobres, pretos, índios, quilombolas, homossexuais, só ficando os ricos maçons dominando as riquezas do Brasil”.

Adélio Bispo é responsável por atingir Bolsonaro no dia 6 de setembro do ano passado durante uma campanha em Juiz de Fora. Ele foi detido em flagrante e permanece em uma prisão em Campo Grande (MS).

Durante sua avaliação psiquiátrica, Bispo ainda ressaltou que, quando for libertado, cumprirá “sua missão de matar Bolsonaro e o ex-presidente Michel Temer”. Para ele, os dois líderes participam de um complô maçônico para conquistar as riquezas do país.

O homem foi diagnosticado com Transtorno Delirante Persistente.

Suas declarações foram protocoladas na decisão do juiz da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, Bruno Savino, que declarou que Adélio não pode ser condenado devido a transtornos mentais. “No início, acharam que era lero-lero da defesa a alegação de problemas mentais de Adélio Bispo. Mas hoje está provado que não era”, afirmou o advogado de Adélio, Zanone Manuel de Oliveira.

Read More...