Destaques, Natal

Cosern amplia projeto ‘Vale Luz’ e abre ponto de coleta no Assaí Atacadista

O projeto Vale Luz, iniciativa do Programa de Eficiência Energética da Cosern, que troca resíduos sólidos recicláveis, óleos vegetais e eletrônicos por descontos na conta de luz, foi ampliado e está com um novo posto de coleta no estacionamento do Assaí Atacadista de Natal, no Pitimbu (Avenida Dão Silveira, S/N), funcionando todas as quintas-feiras, das 9h às 13h.

“Essa parceria reforça o compromisso do Assaí com o consumo consciente e a destinação correta de resíduos. Somos parceiros do projeto Vale Luz em outros estados e estamos muito felizes com a ampliação desse programa. Esperamos que os clientes Assaí abracem mais essa iniciativa sustentável”, afirma Marly Lopes, Diretora de Sustentabilidade do Assaí.

Além de ser uma atitude sustentável que ajuda o meio ambiente, o projeto Vale Luz Cosern é uma alternativa para minimizar os efeitos da bandeira vermelha em vigor no mês de agosto e reduzir o valor da conta de luz.

Desde que foi lançado, em 2013, o Vale Luz Cosern já recolheu 540 toneladas de resíduos sólidos recicláveis e concedeu descontos para 4.250 clientes cadastrados até agora. O projeto é realizado em 19 pontos de 14 bairros de Natal e dois pontos nos bairros de Santos Reis e Monte Castelo, em Parnamirim. É possível acompanhar o calendário no aplicativo “Vale Luz Cosern”, disponível para os sistemas iOS e Android nas lojas de aplicativos.

De acordo Virgínia Forte, Gestora de Eficiência da Neoenergia, a iniciativa, além contribuir com o meio ambiente, possibilita também economia da energia. “O Projeto Vale Luz adota a premissa de que o resíduo reciclado, ao retornar ao ciclo produtivo, possibilita a redução do consumo de energia da extração da matéria prima e transporte. Dessa forma, a ação de reciclagem dos resíduos recolhidos pelo projeto, em 2018, possibilitou uma economia de energia correspondente ao consumo mensal de 4.400 residências. Além dos benefícios energéticos, reciclar também traz outras vantagens ao meio ambiente como menor emissão de gases na atmosfera, menor degradação do ecossistema pela extração de matéria-prima do solo e menor volume de descartes em aterros sanitários”, ressalta Virgínia.

Para obter descontos a partir do Vale Luz Cosern, o cliente deve procurar um dos pontos de troca do projeto, levando a conta de luz e materiais como metal (latinhas de alumínio e ferro), papel, papelão, plásticos (garrafas PET, embalagens de produtos de limpeza e higiene), óleos vegetais (como os de coco, de cozinha, soja, canola, girassol, milho) e eletrônicos (monitor, CPU, notebook, televisão, celular, máquina de cortar cabelo, câmera fotográfica, ventilador).

Read More...

Economia

Supermercados do RN trazem opções para clientes que buscam produtos de Páscoa

Na semana que antecede o Domingo de Páscoa, os supermercados e lojas atacadistas do Rio Grande do Norte se preparam para receber um grande volume de clientes em busca dos itens sazonais. Pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 69% dos consumidores pretendem comprar ou já compraram presentes e chocolates para a Páscoa – número superior à intenção de compras do ano passado (57%).

Entre os que vão comprar, 41% pretendem gastar o mesmo que o ano passado, enquanto 36% pretendem gastar menos e, 15%, um valor superior do que gastou em 2017.

Para atender essa demanda, as redes varejistas estão com estoques reforçados e condições diferenciadas de pagamento. Com três lojas em Natal, a rede Extra Hipermercado traz facilidades de pagamento, como o parcelamento de itens sazonais (ovos e bolos de Páscoa, chocolates, azeites, bacalhaus, conservas, pratos prontos, bolos gelados, espumantes e vinhos chilenos, argentinos e portugueses) em até 10 vezes sem juros nos cartões da bandeira.

As tradicionais “parreiras” estão montadas com ovos de Páscoa das principais marcas do mercado. Para quem busca opções um pouco mais econômicas, tabletes de chocolate e caixas de bombons das marcas Lacta, Nestlé, Garoto e Hersheys, assim como bolos de Páscoa e Colombas Pascais fabricadas nas próprias padarias das lojas oferecem excelente relação custo e benefício. Outra opção são os ovos de chocolate da marca Qualitá, exclusividade do Extra.

A rede Assaí Atacadista projeta um crescimento de 20% nas vendas dos itens sazonais, na comparação com o mesmo período do ano passado. Destaque para as barras de chocolate para coberturas, ideais para derreter e produzir os Ovos de Páscoa caseiros. O Assaí também disponibiliza uma grande variedade de pescados e o bacalhau costuma ser a principal escolha da maioria das pessoas para a data. A expectativa da rede é de um incremento de vendas de 25% em toda a categoria de pescados, na comparação com o mesmo período do ano passado.

ALMOÇO DE PÁSCOA – Para quem busca praticidade, as rotisseries do Extra oferecem um cardápio de Páscoa para encomenda. A rede preparou um kit que serve até seis pessoas composto por arroz de açafrão, bacalhoada, torta de palmito e de salpicão de frango. A refeição completa sai por R$ 119, em média R$ 20 por pessoa. Para o cliente Clube Extra o kit sai por 99,00.

Além da opção do kit, os clientes também têm a possibilidade de montar seu próprio cardápio, de acordo com as opções de pratos disponíveis na rotisserie. Os pedidos devem ser feitos nas lojas até meio-dia da sexta-feira, 30 de março.

Read More...

Direitos do Consumidor

Assaí Atacadista é condenado em R$ 300 mil por irregularidades trabalhistas

O supermercado Assaí Atacadista, em Natal, foi condenado pela 2ª Vara do Trabalho da capital a corrigir irregularidades trabalhistas e ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 300 mil. A empresa não cumpriu os direitos básicos dos seus trabalhadores, como o respeito aos limites diários de jornada de trabalho e o fornecimento de assentos durante as pausas laborais.

O juiz Luciano Athayde Chaves, autor da sentença, atendeu à ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT/RN) iniciada a partir de denúncia que resultou em procedimento para apurar os fatos, tendo diligência da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE/RN) confirmado as irregularidades por parte do supermercado.

Dentre as obrigações impostas, estão a disponibilização de assentos para descanso – durante as pausas ao longo da jornada, para todos os trabalhadores cujas atividades são realizadas em pé, sob pena de multa de R$ 10 mil por cada mês de descumprimento, e o pagamento, a título de dano moral coletivo, do valor de R$ 300 mil.

Para fundamentar a fixação desse valor, o magistrado destacou os aspectos da gravidade dos fatos, sua projeção social, e as aparentes condições econômicas da parte ré. “Toda a sociedade – e não somente um indivíduo ou um grupo restrito de pessoas – é prejudicada pela ação da parte promovida”, destacou o juiz.

Denúncias – As irregularidades praticadas pelo supermercado foram denunciadas ao MPT/RN em 2014, em relatos que descreviam que funcionários trabalhavam até 16 horas por dia com uma única refeição, sem direito aos intervalos garantidos pela legislação trabalhista. As práticas ilegais foram comprovadas através de ação fiscal solicitada pelo MPT à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego.

Uma das funcionárias da empresa relatou em depoimento, por exemplo, que foi instruída, desde seu treinamento, a impedir que seus embaladores sentassem, pois a empresa só permitia que sentassem em seus intervalos. Em audiência no MPT, a empresa negou os fatos descritos na denúncia, e se recusou a firmar termo de ajustamento de conduta.

O procurador do Trabalho Fábio Romero Aragão Cordeiro, que assina a ação, destaca que as condutas a serem punidas revelaram má fé dos seus responsáveis legais, que simplesmente não se sensibilizaram com as necessidades dos seus empregados.

“A empresa demonstrou não estar preocupada com a regularização voluntária do seu comportamento maléfico, provavelmente porque não vislumbra qualquer ato antijurídico que requeira adequação ou, ainda, revela certo desprezo pelos direitos trabalhistas dos seus empregados”, destacou o procurador.

Confira a íntegra da sentença no www.trt21.jus.br utilizando o número da ação civil pública: 0000975-84.2015.5.21.0002.

Read More...

Natal

Assaí Atacadista é obrigado a cumprir normas de saúde e segurança

Uma decisão liminar decorrente de ação ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte (MPT-RN) obriga o supermercado Assaí Atacadista, em Natal, a adotar uma série de medidas de saúde e segurança do trabalho, em especial com relação às atividades exercidas nas câmaras frias. O descumprimento pode acarretar multa diária de R$ 50 mil.

Para o juiz do Trabalho Zéu Palmeira, da 10ª Vara do Trabalho de Natal, que concedeu a liminar, a medida se faz urgente antes que uma tragédia maior venha a ocorrer. A decisão reforça que “os acidentes de trabalho são previsíveis e, por isso, evitáveis, razão pela qual prevenção e gestão de riscos constituem investimento que precisa ser feito urgentemente”.

A atuação do MPT-RN visa prevenir riscos do trabalho em câmaras frias no setor supermercadista. “A atividade deve ser exercida por ‘camaristas’, com intervalos de recuperação térmica, equipamentos de proteção individual, pagamento de adicional de insalubridade e sem extrapolar a jornada de trabalho, alerta a procuradora regional do Trabalho Ileana Neiva, que assina a ação.

Na ação, é destacado que não deve ser permitido o ingresso de outros empregados nas câmaras frias, muito menos promotores de vendas, pois a regra, em gestão de saúde e segurança do trabalho, é a restrição do ingresso de trabalhadores em áreas de risco.

Entenda o caso – Fiscalizações da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego constataram que empresa não possui ‘camaristas’ contratados. Com isso, permite o ingresso indiscriminado de trabalhadores de diferentes setores e até de promotores de vendas de outras empresas nas câmaras frias.

Depoimentos colhidos demonstram que tais trabalhadores entram várias vezes por dia e passam mais de 10 minutos, a cada ingresso, nas câmaras frias. “Ingressos intermitentes são tão danosos quanto o habitual, agravados, ainda, pela contínua mudança de temperatura do ambiente artificialmente frio para o ambiente externo, com risco de choque térmico”, ressalta a procuradora.

Foram flagrados promotores de vendas puxando, sozinhos, mais de uma tonelada de produtos. Para a procuradora, trata-se de terceirização ilícita, já que eles realizam funções típicas dos empregados do supermercado, pois carregam pesadas cargas e ingressam nas câmaras, quando deveriam só demonstrar e promover produtos.

Entre as demais irregularidades, comprovou-se que o Assaí não concede pausas para recuperação térmica, não paga adicional de insalubridade aos trabalhadores expostos ao frio, não implementou os programas de saúde e segurança do trabalho adequados, não fornece a integralidade dos EPIs, nem fiscaliza o uso ou procede à sua higienização, e exigiu mais de cinco horas extras em atividade insalubre.

Apesar de a fiscalização trabalhista ter concedido prazo para o supermercado cessar as falhas, em nova visita, o órgão fiscal encontrou as mesmas irregularidades, que motivaram reiterados autos de infração. A empresa ainda recusou-se a firmar Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) proposto pelo MPT-RN, o que culminou no ajuizamento da ação, com pedido de liminar.

Indenização – O MPT pede a condenação final do supermercado a uma indenização de R$ 20,9 milhões pelos danos morais coletivos causados, o que correspondente a apenas 0,2% da receita líquida da empresa em 2015, que foi de R$ 10,45 bilhões, conforme informação colhida em site do seu segmento econômico.

A rede atacadista possui 102 lojas e mais de 20 mil empregados em todo o país.

Read More...

Natal

Assaí distribui piões para as crianças

O Dia das Crianças será mais divertido no Assaí Atacadista. No 12 de outubro, 100 mil piões de brinquedo serão distribuídos nas 99 lojas por todo o Brasil. Aqui em Natal, o Assaí fica na BR 101, próximo ao pórtico de entrada da cidade.

A proposta do atacarejo é proporcionar aos clientes as lembranças das brincadeiras de antigamente. O brinde será oferecido para o consumidor que fizer compras acima R$ 100,00. “Com essa promoção o Assaí aposta no resgate dos brinquedos clássicos e na relação próxima que eles proporcionam quando pais e filhos brincam juntos”, comenta Marly Lopes, gerente de marketing do Assaí Atacadista.

+ Assaí inicia seleção para 250 vagas de emprego

Sobre o Assaí Atacadista

O Assaí Atacadista possui 99 unidades em 14 estados (AL, AM, BA, CE, DF, GO, MS, MT, PB, PE, PR, RJ, RN, SP). Negócio de atacado do GPA, a rede opera com o formato Cash&Carry, conhecido como atacado de autosserviço e está em plena expansão. Em 2015, a rede inaugurou 11 novas unidades no Brasil e fechou o ano com vendas brutas de R$ 11,3 bilhões, uma expansão de 25,5% em relação ao ano anterior.

Read More...