Copa do Mundo, Destaques

Brasil e Alemanha são os favoritos para a Copa do Mundo 2018

Campeã na última Copa, a Alemanha é a seleção mais cotada para estar na final do mundial de 2018 na Rússia, com 23% da preferência global. Depois do histórico 7 x 1, o Brasil ainda permanece como o segundo favorito, com 21%. Entre os mais cotados para disputar o título, também aparecem Espanha (11%), Argentina (8%), França (4%), Portugal (3%), Inglaterra (3%) e Rússia (2%). É o que revela a pesquisa Global Advisor, da Ipsos, que entrevistou 19,7 mil pessoas em 27 países, incluindo o Brasil, entre os dias 20 de abril e 6 de maio para saber quais as expectativas do mundo em relação ao evento. A margem de erro para o Brasil é de 3,2 pontos percentuais.

“Este resultado revela como o amplo favoritismo que o Brasil tinha na Copa de 2014 (39% acreditavam que o Brasil iria a final) foi abalado depois da partida contra a Alemanha”, afirma Alan Liberman, presidente da Ipsos Connect na América Latina.

Seis em cada dez entrevistados (62%) tinha conhecimento sobre o campeonato. Anfitriã do grande evento, a Rússia é o país onde menos entrevistados se declaram fãs ou apaixonados por futebol. Apenas 9%, menos da metade da média global (21%). Mais de um terço dos russos (36%) não acompanha futebol e não deve assistir a nenhum jogo.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“De forma geral, fazer uma Copa do Mundo onde o dono da casa tem pouco interesse resulta em um menor engajamento. Na Copa de 2014 no Brasil, 8 em cada 10 (78%) entrevistados tinham conhecimento sobre o campeonato”, lembra Liberman.

Para acompanhar a Copa, um quarto dos entrevistados no mundo (24%) deve faltar ao trabalho ou deixar a escola de lado. No Brasil, o índice ficou um pouco acima da média global: 29%. A maioria da população mundial vai ver o campeonato pela televisão (62%), enquanto 25% pretende acompanhar os jogos pela internet e 13% no celular. No Brasil, sete em cada dez brasileiros (72%) vão torcer na frente da TV, 22% pela web e 12% no celular.

Oito em cada dez dos entrevistados no mundo (84%) vão ver os jogos da Copa com os amigos ou família. O Brasil está em linha com a média global, com 85%. Os colegas de trabalho são a segunda companhia mais citada para acompanhar as partidas. É a opção de quase metade dos entrevistados (49%) no mundo e de 45% dos brasileiros.

Os restaurantes e bares devem ficar mais lotados durante o mundial, porque metade dos entrevistados no mundo (48%) devem procurar esses estabelecimentos para assistir aos jogos. Entre os brasileiros, o índice é um pouco menor: 42%.

“A televisão continua mantendo a mesma força de quatro anos atrás, com os mesmos 62% de preferência para assistir aos jogos. A maior mudança ocorre no celular que tinha apenas 6% das preferências para acompanhar os jogos versus 13% em 2018”, ressalta Liberman.

Read More...

Destaques, Futebol Internacional

Brasil x Alemanha: o que mudou desde o 7 a 1?

O aguardado duelo entre Alemanha e Brasil, nesta terça-feira (27), em Berlim, será o primeiro encontro entre as duas seleções principais desde o 7 a 1 na Copa de 2014. Apesar de ser amistosa e com muitos desfalques de cada lado, a partida terá características de jogo de Mundial.

A seleção brasileira deve aproveitar a ocasião para suavizar o impacto do 7 a 1 sobre o psicológico dos jogadores, visando um possível confronto entre as duas seleções na Rússia. Além disso, os alemães tratam o duelo como mais um grande teste para a Copa.

O treinador da Alemanha, Joachim Löw, que poupará muitos jogadores, já declarou que não pensa no histórico resultado de 2014, mas sim na preparação para a Copa do Mundo.

Brasil

O técnico Tite deve iniciar o jogo com apenas dois titulares do fatídico 7 a 1: o lateral Marcelo e o meio-campista Fernandinho. A entrada do volante do Manchester City no lugar de Douglas Costa é a única mudança em relação aos 11 titulares do confronto contra a Rússia, que o Brasil venceu por 3 a 0, na sexta-feira (23), em Moscou.

tite brasil copa 2018

Crédito: Pedro Martins/MoWA Press

O volante Paulinho e o meia Willian são outros dois atletas que estiveram na semifinal de 2014, mas ambos começaram na reserva. Para esta partida, o Brasil possui dois desfalques, o atacante Neymar, que fraturou o quinto metatarso do pé, e o lateral-esquerdo Alex Sandro, que sofreu uma lesão muscular na coxa direita.

No entanto, se o último confronto contra a Alemanha não traz boas lembranças, o que pode animar o torcedor brasileiro é o retrospecto histórico: em 22 partidas, os alemães ganharam apenas cinco vezes, enquanto o Brasil saiu vencedor em 12 oportunidades.

Escalação do Brasil no 7 a 1: Júlio César; Maicon, Dante, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho, Hulk e Oscar; Bernard e Fred. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Provável escalação do Brasil: Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Fernandinho, Paulinho, Philippe Coutinho e Willian; Gabriel Jesus. Técnico: Tite.

Alemanha

A Alemanha também terá poucos remanescentes do 7 a 1 na partida desta terça. Apesar de Löw não ter anunciado os 11 titulares, três jogadores que estiveram no jogo do Mineirão devem iniciar o duelo: os zagueiros Boateng e Hummels e o meio-campista Toni Kroos.

O meia Mesut Özil e o atacante Thomas Müller, que também estavam na histórica goleada, foram poupados após o empate por 1 a 1 contra a Espanha, na última sexta-feira. Entre outros jogadores que estiveram no 7 a 1, o meio-campista Sami Khedira sentiu dores no joelho e não deve ir a campo, e o goleiro Manuel Neuer, machucado, também desfalcará os alemães.

Para o jogo de Berlim, Löw deve escalar Ilkay Gündogan e Leroy Sané nos lugares de Khedira e Draxler, que atuaram diante da Espanha. No gol, com Neuer e Marc Ter Stegen machucados, os goleiros Bernd Leno e Kevin Trapp brigarão pela titularidade.

Sem perder há 22 jogos, a Alemanha pode igualar a invencibilidade de 23 partidas alcançada entre 1978 e 1980.

Escalação da Alemanha no 7 a 1: Neuer; Lahm, Boateng, Hummels e Höwedes; Khedira, Schweinsteiger, Kroos e Özil; Müller e Klose. Técnico: Joachim Löw.

Provável escalação da Alemanha: Leno (Trapp); Rüdiger, Boateng e Ginter; Kimmich, Gündogan, Goretzka e Plattenhardt; Stindl, Werner, Sané. Técnico: Joachim Löw.

Com informações da Agência ANSA*

Read More...

Destaques, Vídeos da hora

Este é um dos desembarques mais aterrorizantes que você já viu

O avião da companhia Emirates – com capacidade para 500 lugares, foi visto numa situação inquietante para chegar no aeroporto de Düsseldorf, neste sábado (7). A filmagem do incidente mostra um pouso bem angustiante quando o piloto tenta alinhar o avião com a pista de aterrissagem.

Uma súbita rajada de vento fez com que o avião se balanceie e se inclinasse de um lado para o outro por vários momentos antes que o piloto eventualmente conseguisse controlá-lo na pista.

O video foi gravado por Martin Bogdan, que enviou as imagens para o canal do YouTube. “Filmei milhares de desembarques de crosswind em vários aeroportos da Europa nos últimos anos, mas esta aterrissagem do Airbus A380 foi extremamente difícil e extraordináriaNo começo, parecia uma aproximação de vento bastante normal, mas depois do baque, os pilotos tentaram alinhar com a pista”, disse.

“Este vídeo mostra as incríveis habilidades dos pilotos. Mesmo depois de uma rajada de vento inesperada, eles conseguiram re-alinhar com a pista. Trabalho incrível”, finalizou.

Um porta-voz da Emirates revelou: “O vôo Emirates EK 55, em 7 de outubro de 2017, pousou com segurança em Dusseldorf sob fortes condições de vento cruzado. Em nenhum momento foi comprometida a segurança dos passageiros e da tripulação a bordo”.

O norte da Alemanha foi atingido por ventos fortes nos últimos dias, enquanto a tempestade Xavier passa por todo o país. Sete pessoas morreram e os trens entre Berlim, Hanôver, Hamburgo e Keil foram cancelados esta manhã até novo aviso.

Read More...

Mundo

Trump admite que teve encontro extraoficial com Putin

(ANSA) – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, confessou que teve uma conversa extraoficial “de 15 minutos” com o líder russo, Vladimir Putin, durante um jantar do G20 de Hamburgo, na Alemanha. Trump e Putin se reuniram pela primeira vez oficialmente durante a cúpula, no início do mês, e deram uma coletiva de imprensa conjunta. Porém, ontem (19) o jornal “The New York Times” revelou que os dois tiveram um segundo encontro em Hamburgo. Um dia após a revelação, o magnata republicano admitiu a conversa, definindo-a como “interessante”. Segundo ele, a conversa foi apenas “uma troca de elogios”.

“Já estávamos indo para a sobremesa do jantar e eu fui falar com Melania, quando aproveitei e cumprimentei Putin”, disse Trump. “Tratou-se de uma troca de elogios, nada mais que isso. Não foi uma conversa longa. Conversamos sobre algumas coisas, como adoções, foi interessante”, explicou o republicano.

A Rússia veta a adoção de crianças norte-americanas por cidadãos russos. A medida foi imposta em 2012, após os EUA colocarem em vigor sanções contra Moscou por acusações de violações de direitos humanos. Em 2016, o filho do presidente norte-americano, Donald Trump Jr., teve uma reunião com especialistas russos para discutir o tema. Já o Kremlin criticou a pressão da mídia internacional sobre o segundo encontro entre Putin e Trump. De acordo com o governo russo, “não era um segredo” e, portanto, não havia necessidade de dar destaque a isso. O porta-voz de Putin, Dmitry Peskov, também admitiu que uma outra reunião com Trump pode ocorrer, mas que não há data ainda.

A relação entre Putin e Trump gera polêmicas dentro e fora dos EUA. Isso porque a Rússia é acusada de tirar vantagens e interferir nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016, prejudicando a campanha da candidata Hillary Clinton. Por outro lado, Trump e Putin têm interesses opostos em assuntos estratégicas, como Oriente Médio e a guerra na Síria.

Read More...

Brasil

Fundação alemã diz que Brasil perdeu ‘credibilidade’

(ANSA) – A Fundação Konrad Adenauer, ligada ao União Democrata-Cristã (CDU), partido da chanceler alemã Angela Merkel, divulgou um relatório nesta sexta-feira (23) em que afirma que o governo brasileiro perdeu “credibilidade internacional”.

O documento alerta que “a imagem do Brasil se deteriora rapidamente” e descreve como uma “farsa” o julgamento da chapa vencedora das eleições de 2014, formada por Dilma Rousseff e Michel Temer, feito recentemente pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), informou o jornal “Valor Econômico” que obteve acesso ao relatório de seis páginas.

O texto ainda critica a postura do presidente Michel Temer e diz que ele “perdeu credibilidade e continua conseguindo manter-se no poder por meio de manobras políticas questionáveis”. “Não obstante, a saída de Temer tampouco parece ser a solução do problema”, acrescenta o documento que diz que “não há saída à vista”.

A Fundação ainda critica o poder Legislativo, que não votou e não debate as reformas estruturais do país porque a maior parte dele também está envolvido na Operação Lava Jato, a a Justiça por estar ficando cada vez “mais politizada”.

Os únicos elogios vão para a Lava Jato que, para a entidade, é um sinal na mudança da “cultura da impunidade” do Brasil.

Outro ponto destacado é que, com tantos problemas internos, o país está perdendo espaço no campo internacional, provocando um isolamento que pode ser difícil de reverter. “O Brasil, que já era considerado um ‘global player’, está desperdiçando seu potencial geopolítico. Esse isolamento é um passo que o Brasil não deveria arriscar, pondo a perder conquistas políticas e econômicas – mas não há saída à vista”, finaliza o documento.

Read More...