O Sistema Único de Saúde (SUS) vai receber 25 novas parcerias para o desenvolvimento nacional de medicamentos mais importantes. Quem anunciou a novidade foi o ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante a 14ª reunião do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (GECIS), nesta quinta-feira (14).

Doenças como hepatite C, câncer, artrite reumatóide e HIV são as consideradas mais predominantes no país. Por esse motivo, 11 medicamentos sintéticos e cinco biológicos a serem usados para tratamento dessas doenças serão viabilizados pelas Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDP). E ainda, no total, 80 propostas foram apresentadas aos 49 produtos considerados essenciais para Sistema Único de Saúde

A previsão é que ainda no primeiro trimestre de 2018, sejam assinados os contratos para o desenvolvimento dos medicamentos, de acordo com o ministério da Saúde. É esperado um valor de R$ 6,4 bilhões de investimentos públicos e privados na produção nacional de medicamentos ao longo da vigência dos acordos entre laboratórios públicos e privados.

Para quem sofre com a hepatite C, por exemplo, a estimativa é de que o valor seja negociado com preços até 70%. Isso também vale para outros remédios, anunciou o ministro. “Um dos exemplos é a negociação [do preço dos medicamentos] da hepatite C. Iniciamos em 2015 com 24 mil tratamentos e agora vamos para 50 mil tratamentos, que são os remanescentes diagnosticados de hepatite C. Estamos caminhando para um programa de erradicação a custo de US$ 3 mil o tratamento. Começamos com 9 mil dólares por tratamento.”

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.