O julgamento sobre a denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), em um dos inquéritos resultantes da delação do empresário Joesley Batista, da JBS, foi marcado para a próxima terça-feira (17), pelo presidente da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Alexandre de Moraes.

O ministro Marco Aurélio Mello, relator do caso, integra a Segunda Turma junto com Moraes, Luiz Fux, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso.

De acordo com a denúncia, Aécio solicitou a Joesley Batista R$ 2 milhões em propina, em troca de atuação política. O senador, que foi acusado pelo crime de corrupção passiva e tentativa de obstruir a Justiça, alega que a quantia dizia respeito a um empréstimo pessoal, sem nenhuma contrapartida em favor do empresário.

A defesa alega que o parlamentar foi “vítima de uma situação forjada, arquitetada por criminosos confessos que, sob a orientação do então procurador Marcelo Miller, buscavam firmar um acordo de delação premiada fantástico”.

Por meio de nota, o advogado do senador, Alberto Toron, disse que “as provas revelam que o empréstimo pessoal feito a Aécio não envolvia dinheiro público ou qualquer contrapartida, como reconheceu a própria PGR. E que assim, “inexiste crime ou ilegalidade na conduta do senador”.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.