Setor de Turismo deve demorar 7 anos para superar impactos da pandemia

Setor de Turismo deve demorar 7 anos para superar impactos da pandemia

Desde que o isolamento social virou uma das recomendações sanitárias, em todo o mundo, para a prevenção contra transmissão do novo coronavírus, o setor de turismo sentiu os impactos oriundos da diminuição de viagens e hospedagens. 

Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), o impacto do novo coronavírus, causador da Covid-19, é tão grande que a recuperação do cenário no segmento pode levar entre cinco e sete anos.  

Existem diversos tipos de turismo como cultural, de negócios, sustentável e interno. Destes, o segmento cultural foi o mais impactado na pandemia da Covid-19, segundo a pesquisa “Turismo sustentável: Impactos da crise no setor do turismo cultural”.  

Realizado pela embaixada da França no Brasil, em parceria com o Consulado da França em Recife e as Alianças Francesas de Salvador, Recife e Fortaleza, o levantamento apontou que 70% dos profissionais e das empresas que trabalham com turismo não se sentem preparados para atravessar o momento desafiador.   

Como possíveis soluções, gestores de turismo ouvidos pela pesquisa apontaram: criação de editais específicos para o segmento com apoio do poder público; créditos para adequação das condições do setor para os novos protocolos de segurança e maior capacitação dos profissionais do trade turístico. 

“Os profissionais que trabalham com turismo falam na recuperação ao longo de 2021, mas quase 22% acham que será ao longo de 2022. Com esse novo contexto, algumas atividades modificaram o setor de turismo e as vendas on-line vieram como estratégia de reconfiguração”, explica o professor Adriano Sampaio, coordenador do Grupo LOGOS – Comunicação Estratégica, Marca e Cultura, responsável pela pesquisa. 

A aposta para o reaquecimento do setor turístico no Brasil é o turismo interno. Em 2019, 96% das viagens foram feitas no próprio país e sua continuidade é bem-vista pelos profissionais do ramo. Nesse cenário, o turismo sustentável, que se destaca muito no Brasil, é a aposta do segmento para o pós-pandemia. “A ideia do turismo sustentável é desenvolvê-lo respeitando as pessoas, o meio ambiente e a cultura local”, explica o professor Sampaio. 

Evento online debate Turismo pós-pandemia 

Para debater o Turismo e a Cultura, representantes do Brasil e da França estarão reunidos, simultaneamente, em palestras transmitidas virtualmente nos dias 05, 06 e 07 de maio. A programação inclui temas como “Para um turismo mais respeitoso ao meio ambiente e às populações locais“, “Como o turismo pode valorizar a cultura nas dimensões simbólicas e financeiras” e “Preparar os profissionais para as novas evoluções do setor do turismo – Formação contínua e inicial“. 

“Esses três dias de mobilização ajudarão a analisar e superar os desafios atuais e co-construir soluções para a crise mundial que enfrentamos”, antecipa Mamadou Gaye, diretor da Aliança Francesa da Bahia. A inscrição para o evento é gratuita e pode ser feita no site projetoturismosustentavel.com.br. Quem participar dos três dias de palestras terá direito a certificado.    

Uma das participantes do evento é a chef Tereza Paim. A empresária encontrou uma solução criativa para não ficar no prejuízo durante a pandemia. “Quando nosso negócio principal, que é o restaurante, foi impactado pelas restrições de funcionamento, trabalhamos para levar nossos temperos, farofas, dendê, geleias e apimentados para as redes de supermercados”, fala a chef contabilizando o sucesso com a decisão. 

Esta notícia foi interessante para você? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: