Sesap investiga caso suspeito da variante indiana em paciente do RN

Sesap investiga caso suspeito da variante indiana em paciente do RN

Sesap investiga caso suspeito da variante indiana em paciente do RN

Sesap investiga caso suspeito da variante indiana em paciente do RN

Rafael Nicácio maio 31, 2021 Coronavírus

A SesapRN informou que abriu investigação para apurar o primeiro caso suspeito da variante indiana em um paciente do estado.

Segundo a Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte, o paciente teve contato com um caso confirmado da variante B.1.617 no Maranhão, e recentemente testou positivo para a Covid-19. A investigação agora é para apurar por qual cepa ele foi infectado.

As amostras do paciente potiguar serão enviadas para a Fiocruz e para o Instituto Evandro Chagas “com a finalidade de investigar possível contaminação pela nova variante no estado”, segundo informou o governo do RN.

Ainda de acordo com a Sesap, o paciente suspeito chegou ao Rio Grande do Norte após viagem que realizou ao Maranhão e no momento tem o estado de saúde estável e está em isolamento domiciliar, sem necessidade de hospitalização.

O Brasil possui até o momento oito casos confirmados da variante indiana: 6 deles no Maranhão (cinco estão em quarentena dentro do navio e um deles está internado em São Luís), um no Rio de Janeiro (de um passageiro vindo da Índia e que desembarcou em São Paulo) e um em Juiz de Fora (também viajou ao país asiático e chegou ao Brasil via Guarulhos-SP).

Variante indiana

De acordo com relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), a B.1.617 é mais contagiosa em uma comparação inicial com a variante britânica, mas ainda é investigado se ela está relacionada a quadros mais graves de Covid-19 e se ela aumenta o risco de reinfecção.

Apesar de ter sido notada ainda em 2020, foi somente em 10 de maio que a OMS classificou a variante B.1.617 como “preocupação global”.

Acredita-se que a variante se dissemine mais rápido. No entanto, cientistas ainda não sabem dizer se é mais letal e se tem maior transmissibilidade.

Outros artigos