Senador Jean cria grupo para discutir turismo sustentável nas cavernas de Felipe Guerra

Senador Jean cria grupo para discutir turismo sustentável nas cavernas de Felipe Guerra

Senador Jean cria grupo para discutir turismo sustentável nas cavernas de Felipe Guerra

Rafael Nicácio dezembro 8, 2020 RN

O Rio Grande do Norte é o quarto estado brasileiro em quantidade de cavernas. O município de Felipe Guerra, na região Oeste, concentra boa parte delas e a prefeitura pretende realizar uma exploração turística sustentável nas estruturas. Para ajudar nesse processo, Senador Jean montou um grupo com arquitetos e outros especialistas, além de autoridades locais, para debater o tema e levar ideias à gestão municipal da cidade.

O biólogo potiguar Diego de Medeiros, analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade e coordenador da base do Rio grande do Norte do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas, realiza estudos na região e também está no grupo de discussão criado por Jean. Diego é mestre em Ciências Biológicas e doutor em Sistemática e Evolução.

Ele explica que há algum tempo tem mantido contato com a Prefeitura de Felipe Guerra, além de Idema e outros órgãos parceiros, para produção do “Plano de Manejo Espeleológico” no Lajedo do Rosado. Trata-se de um documento técnico que levanta dados sobre as cavernas, para orientar a exploração do local com o mínimo de impacto ao meio ambiente e o máximo de segurança aos visitantes. O Plano também dá permissão legal para a utilização das cavernas.

Diego de Medeiros conta que o local conhecido como Lajedo do Rosado, em Felipe Guerra, tem mais de 70 cavernas das mais de 350 presentes no município. “É a maior concentração de cavernas do estado e uma das maiores do Brasil”, afirma o biólogo. Segundo ele, do total dessas cavernas, três estão com os estudos avançados para a obtenção do Plano de Manejo: a Carrapateira, a Catedral e a Crotes. A expectativa é de que se consiga essa autorização de uso no ano que vem.

A pedido do prefeito e vice eleitos da cidade, Salomão Gomes e Ubiracy Pascoal, Jean Paul montou um grupo para debater como essas estruturas podem ser exploradas turisticamente. “A região tem cavernas incríveis e pode se tornar um local de visitação. Vamos ajudar a prefeitura de Felipe Guerra a pensar como isso pode ser feito”, acrescenta o parlamentar.

O biólogo Diego de Medeiros reforça que, por questões ambientais, atividades econômicas mais nocivas ao meio ambiente são proibidas por lei em locais com essas estruturas. Portanto, de acordo com o cientista, o turismo sustentável é a alternativa para os Municípios detentores de cavernas conseguirem uma maneira de arrecadar com esses espaços.

“Além de ser bom para a economia do Município, será mais um atrativo para o turista que vem ao Rio Grande do Norte e pros próprios potiguares”, argumenta Senador Jean.

Números

Senador Jean cria grupo para discutir turismo sustentável nas cavernas de Felipe Guerra
Caverna Crotes

O Rio Grande do Norte reúne mais de 1.200 cavernas das cerca de 20 mil cadastradas no Brasil atualmente. “É o quarto estado com a maior quantidade. São cavernas com algumas centenas de milhares de anos”, atesta Diego de Medeiros. Ainda de acordo com o biólogo, mais de mil dessas cavernas ficam na região Oeste potiguar.

“Nessa região, dois municípios se destacam: Baraúna, onde temos hoje o Parque Nacional da Furna Feia, e Felipe Guerra”, detalha. Diego afirma que Felipe Guerra tem cerca de 350 cavernas. “E várias dessas têm potencial para o espeleoturismo (turismo de aventura que explora cavernas) e também potencial científico”.

O biólogo adianta que outros estudos seguem em andamento no Lajedo do Rosado, com o objetivo de liberar mais cavernas para a exploração sustentável.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial.

Outros artigos