Destaques, Política

Rodrigo Janot fará segunda denúncia contra Temer

Michel temer
Foto: Beto Barata/PR

Segundo informações obtidas pelo o GLOBO, Rodrigo Janot fará mais uma denúncia contra o presidente Michel Temer. A delação será feita antes do fim do mandato do procurador-geral da República previsto para 17 de setembro. O texto para o ato já está sendo elaborado por Janot e equipe, e deverá ser concluído no começo de setembro.

Mesmo o presidente negando ter cometido atos ilegítimos, a investigação que segue contra Temer é por corrupção, obstrução de justiça e organização criminosa. A denúncia será feita a partir do inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A primeira delação foi bloqueada pela Câmara no início de agosto. Nela, o procurador-geral acusou o presidente de corrupção passiva. Dessa vez, Janot usará elementos da delação do operador Lúcio Bolonha Funaro para reforçar a denúncia anunciada.

A primeira denúncia foi vetada com mais de 120 votos de margem. A avaliação era que a pressão política levaria o procurador-geral a postergar as investigações por tempo indefinido, o que inviabilizaria uma nova iniciativa de ordem criminal, ainda segundo o jornal.

Depois de pelo menos três meses tentando negociar, o acordo de delação de Funaro foi firmado na terça-feira (22). Ele prometeu falar sobre um expressivo número de políticos, entre eles Temer e bancada parlamentar ligada ao ex-deputado Eduardo Cunha, nos acordos iniciais. O inquérito aberto contra o presidente tem como ponto de partida a delação do empresário Joesley Batista e outros executivos da empresa JBS.

A vantagem para a investigação, é a gravação de uma conversa que foi realizada entre Temer e Batista no porão do Palácio do Jaburu, durante a noite, no dia 7 de março deste ano (2017). Trechos da gravação foram divulgados pelo GLOBO em 17 de maio. No encontro, o empresário fala sobre vários crimes que teria cometido, um deles, é sobre a compra do silêncio de Funaro e Eduardo Cunha.

A Polícia Federal avaliou que o dinheiro seria parte de uma propina que, ao longo de 20 anos, bateria a casa dos R$ 400 milhões. Batista ainda disse, durante a conversa com o presidente, que fazia pagamentos a Funaro. A ideia seria impedir que o operador fizesse delação.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!). Fale conosco!

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.