Ralos são potenciais criadouros do ‘Aedes aegypti’ dentro de casa

março 17, 2020 0 Por Rafael Nicácio
Ralos são potenciais criadouros do ‘Aedes aegypti’ dentro de casa

Qualquer local que acumule água é ideal para o mosquito transmissor da dengue, Zika e chikungunya depositar os ovos. Esse fator exige que cada pessoa elimine, pelo menos uma vez por semana, possíveis criadouros dentro de casa.

E um dos principais tipos de criadouros do Aedes aegypti é o ralo.

Faça uma ronda de limpeza nos ralos da cozinha, do banheiro, de varandas e quintais. Os ralos interligados precisam ser verificados com mais cuidado, porque a água empoçada de um pode escorrer para o outro, criando mais um foco para o mosquito.

Aqui vai uma recomendação: despeje água sanitária nessas instalações. Se for em um lugar de pouco uso, como churrasqueiras ou banheiros externos, a dica é cobrir com um tapete ou usar ralos que já vem com a tampa.

Rodrigo Said, coordenador-geral de Vigilância em Arboviroses do Ministério da Saúde reforça que a mobilização contra o mosquito deve começar dentro das casas.

“A gente chama a população para participar efetivamente para reduzir os criadouros dentro do seu domicílio. Então, é importante estar atento a limpeza das calhas, a verificação constante da presença de água em bandeja de ar-condicionado, geladeira.”

combate ao mosquito aedes aegypti

É importante que você adote o hábito semanal de eliminar possíveis criadouros em casa e no quintal. Esses são os locais que concentram oitenta por cento dos focos. A medida é simples. Basta não deixar água parada em lugares inadequados.

Então, anote aí a lista dos locais mais comuns onde o Aedes prolifera.

Pratinhos de vasos de plantas. Limpe e encha esses objetos com areia até a borda; garrafas de vidro e latinhas vazias. Mantenha os frascos sempre de boca para baixo; piscinas: faça limpeza e manutenção periódicas, mesmo quando não estão em uso; sacos de lixo: feche bem e não deixe ao alcance de animais.

Se ligue! Limpe bem a caixa d’água. Para isso, esvazie até que chegue a um nível de água de, mais ou menos, um palmo de altura. Esfregue as paredes e o fundo da caixa com escova. Quando terminar a limpeza, retire a água suja com balde e a sujeira com pá de plástico. E não se esqueça: sempre manter a caixa d’água fechada!

Dados do Ministério da Saúde revelam que, em 2019, foram notificados mais de um milhão e meio de casos prováveis de dengue, em todo país. A taxa de incidência, para cada grupo de 100 mil habitantes, ultrapassou 735 ocorrências. Apenas em janeiro de 2020, foram mais de 57 mil casos em todo o país.

O Ministério da Saúde registrou, também, mais de 130 mil casos do chikungunya, que também é causada pelo mesmo vetor, Aedes aegypti. Já em janeiro 2020 foram mais de 2.300 casos. A zika, outra doença causada pelo mosquito, teve 10 mil registros em 2019.

Agência do Rádio*