Destaques, RN

Projeto experimental trata gratuitamente de pacientes que tiveram Chikungunya

Chikungunya
Foto: Divulgação / Sesap

O curso de Fisioterapia da Estácio Ponta Negra retomou o atendimento gratuito à pacientes com dores crônicas ocasionadas pela ocorrência de Chikungunya, doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. Desta vez, será utilizado um novo método: Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC), como um projeto experimental.

De acordo com o professor Clécio Gabriel de Souza, coordenador do projeto, este tratamento é pioneiro no estado. “A ETCC geralmente é utilizada em outras doenças, como depressão, enxaqueca e fibromialgia. Em Natal, ainda não existe tratamento com este método para os sintomas da Chikungunya. Nós somos pioneiros”, adianta o professor. “Os pacientes que tem realizado esse tratamento tem relatado melhoras no quadro de dor e funcionalidade”, explica Jardson Faustino, aluno do curso de Fisioterapia e integrante do projeto.

Em 2016, no Rio Grande do Norte, foram confirmados mais de oito mil casos da Chikungunya, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Sesap-RN). As fortes dores nas articulações são um dos sintomas mais evidentes da doença e pode durar por até dois anos. “O equipamento gera uma corrente de baixa intensidade na cabeça do paciente, no propósito de estimular áreas do cérebro responsáveis pelo controle da dor”, explica o professor.

Para participar do projeto como paciente, a pessoa deve comprovar que teve a doença há menos de seis meses e, após a inscrição, será avaliada por meio de diversos exames para posterior agendamento. Os interessados devem entrar em contato pelos telefones: (84) 981576133 ou (84) 99908-2272.

Para mais notícias do Rio Grande do Norte, clique aqui!

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!). Fale conosco!

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.