Primeira franquia da Roboeduc inicia atuação em Mossoró

dezembro 28, 2019 0 Por Rafael Nicácio
Primeira franquia da Roboeduc inicia atuação em Mossoró

Pioneira no segmento de instituições que ensinam programação e robótica no Rio Grande do Norte, a Roboeduc agora é, também, uma franquia. A primeira cidade que contará com o novo formato da escola será Mossoró. Os primeiros passos estão sendo dados, como explica o diretor executivo Cássio Leandro. “Na capital do Oeste, a franquia da Roboeduc inicia as atividades já em janeiro junto às escolas do município. Ainda no primeiro semestre de 2020, teremos uma unidade física que dará suporte para os mediadores e estudantes”, revela.

A ampliação da franquia se dará de forma gradativa. A meta é que durante 2020, pelo menos, 10 estados do Norte e do Nordeste tenham uma unidade franquiada da Roboeduc. Segundo Cássio, o crescimento por meio dos franquiados possibilitará ainda mais a democratização do acesso ao tipo de aula.

“Neste formato, conseguiremos ampliar ainda mais a inclusão de novos estudantes no contexto da programação e da robótica. Aos franqueados, estamos dando apoio tecnológico, pedagógico e operacional, além de toda a expertise e know-how adquirido pela marca ao longo dos anos de atuação no mercado da educação”, explica do diretor executivo.

Consolidação

Primeira franquia da Roboeduc inicia atuação em Mossoró

Com uma expansão acima do esperado durante 2019, a Roboeduc se consolidou nos colégios da capital potiguar. Atualmente, mais de 30 instituições de ensino promovem aulas com a metodologia interdisciplinar desenvolvida pela marca.

Outro crescimento registrado pela empresa foi na comercialização do Roboeduc Inbox, primeiro sistema de Educação à Distância do país. Pelo menos 100 cidades brasileiras contam com o recurso que leva programação e robótica para dentro de casa por meio de 8 kits de montagem de robôs e aulas em vídeo.

No âmbito internacional, a Roboeduc já conta com 60 alunos na cidade do Porto, em Portugal. Por lá, a meta para o próximo ano letivo, que segue um modelo diferente do praticado no Brasil, é alcançar 500 novos estudantes. Na sede portuguesa da marca, está em fase de construção um laboratório maker e sala de aula para atender de uma melhor maneira a demanda do local.