Presos trabalham na manutenção do Hospital João Machado

Presos trabalham na manutenção do Hospital João Machado

Presos trabalham na manutenção do Hospital João Machado

Romário Nicácio janeiro 27, 2021 Destaques

Em um Termo de Cooperação celebrado entre a Secretaria da Administração Penitenciária (SEAP) e a Secretaria de Saúde Pública (SESAP), ficou estabelecido que presos do sistema prisional do Rio Grande do Norte realizem serviços de manutenção no Hospital João Machado, em Natal. A ideia é utilizar o trabalho como meio de reinserção social, evitando o ócio e a reincidência criminal.

O projeto teve a participação da Procuradoria Geral do Estado e Ministério Público do Trabalho. Esta semana, os apenados concluíram serviços de pintura, retelhamento e a recuperação de 11 macas utilizadas nos leitos da enfermaria psiquiátrica.

Oito apenados do Presídio Estadual de Parnamirim (PEP), todos do regime fechado e com bom comportamento, trabalham extramuros de segunda a sexta-feira na unidade hospitalar, realizando a manutenção predial, hidráulica, elétrica, além da limpeza permanente da área externa. Eles capinaram os arredores do prédio do hospital, revitalizaram um espaço de convivência, reformaram o necrotério e pintaram boa parte das paredes externas. Recentemente, construíram um acesso coberto para garantir a passagem de pacientes, profissionais de saúde e deficientes físicos as novas instalação da clínica médica.

Todo trabalho é acompanhado de perto pelos policiais penais do Grupo de Escolta Penal (GEP), Departamento de Operações Táticas (DOT) e Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Eles fiscalizam a realização do serviço, fazem o transporte e segurança, além de computar os dias trabalhados pelos apenados para remir a pena. A cada três dias de serviços prestados, os internos tem um dia da sentença remido.

“Não vejo outra solução para manter o sistema pacificado, diminuir a reincidência criminal e baixar os índices de violência, que não passem pela capacitação profissional, a educação e o trabalho no sistema prisional. Utilizar mão de obra de privados de liberdade é uma política de Estado da governadora Fátima Bezerra”, disse o secretário da SEAP, Pedro Florêncio Filho.

Cada preso exerce o trabalho de acordo com sua aptidão e capacidade, conforme determina a Lei de Execuções Penais (LEP). É o caso de um privado de liberdade especialista em serralheria. Ele é o responsável pela renovação das macas hospitalares. “Encaro esse trabalho como uma nova chance. Uma possibilidade de sair da cadeia com dignidade”, disse. O sistema prisional tem apenados com experiência como pedreiro, mestre de obra, soldador, pintor, eletricista, marceneiro, jardineiro, entre outros ofícios.

Os trabalhos no Hospital João Machado se estenderão até o final de dezembro, podendo ser renovado. “O João Machado tem 60 mil m² e uma equipe reduzida de manutenção. O trabalho dos apenados é fundamental e tem contribuído para a realização de uma série de projetos”, disse o diretor Administrativo do Hospital, Ramon Amaral. Segundo Pedro Florêncio, outras parcerias estão em trâmite na SEAP, em municípios onde a pasta tem unidades prisionais, além de uma proposta para o conserto de carteiras escolares da Secretaria de Estado da Educação.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial.

Outros artigos