Prêmio de 162,6 milhões da Mega-Sena vai para o Fies; entenda critério de repasse

Prêmio de 162,6 milhões da Mega-Sena vai para o Fies; entenda critério de repasse

Até o dia 31 de março, algum sortudo de São Paulo tinha 162,6 milhões de reais disponíveis na conta para fazer o que bem entendesse da vida. Mas “sabe-se lá o porquê”, o agora ex-milionário perdeu o prazo de 90 dias que a Caixa Econômica Federal estipula para que os prêmios sejam sacados. Agora, o dinheiro será repassado ao Fundo de Financiamento do Ensino Superior (FIES).

O valor “esquecido” pelo ganhador corresponde à metade do maior prêmio da história das loterias da Caixa. A Mega da Virada 2020 sorteou R$ 325,2 milhões para a pessoa que acertasse seis números. Duas apostas saíram vencedoras cravando as dezenas 17 – 20 – 22 – 35 – 41 – 42. O outro ganhador, de Aracaju (SE), retirou a sua parte e deve estar numa boa a essa hora.

O Procon-SP até tentou intervir, notificando a Caixa para entrar em contato com o premiado, já que aposta foi feita pela internet e o site solicitava um cadastro prévio. No entanto, o banco justificou ao Correio Braziliense que não registra os dados pessoais dos apostadores no sistema. A Caixa alegou, ainda, que é de inteira responsabilidade de quem fez a aposta ir buscar o prêmio, como manda a Lei 13.756/2018.

“Ao apostar na Casa Lotérica, os dados pessoais do apostador não são registrados nos sistemas da CAIXA, e assim também ocorre ao apostar pela internet. A CAIXA não grava, junto com a aposta, a identidade do apostador, independente do canal de venda. Assim, o cadastro feito no sistema de vendas online não é gravado nas apostas efetuadas, que são independentes e invioláveis, para proteção do próprio apostador”, diz trecho da nota.

“Fezinha” esquecida vai para o Fies; entenda como

O que muita gente não sabe é que nem todo valor arrecadado com as apostas feitas nas loterias federais corresponde ao prêmio total dado aos ganhadores, e quem joga também acaba contribuindo para ajudar estudantes a começarem a graduação por meio do Fies.

Isso porque uma parte do que é arrecado pelos sorteios é destinada ao governo federal para que seja investida nas áreas de saúde, educação, segurança, cultura e esporte. Sorteios da Mega-Sena, Dupla Sena, Quina, Lotofácil e Lotomania reservam 4,5% para o Ministério do Esporte. Outra parte é direcionada para áreas sociais, como o Fies, que recebe 7,76% do montante. No fim, o ganhador fica com 45,3% de tudo que foi arrecado pelos concursos.

Segundo levantamento feito pelo UOL, de 2011 a 2017, o Fies recebeu R$ 7,64 bilhões relativos ao que foi arrecado por oito diferentes concursos de loterias federais. Nesses mesmos anos, o valor repassado pelos concursos correspondeu a cerca de 8,8% do orçamento do Fies, que foi de aproximadamente R$ 87 bilhões.

Dentro desse repasse, estão os valores que não foram retirados pelos ganhadores, como é o caso dos R$ 162,6 milhões. Por sinal, esse valor esquecido entra na lista dos maiores já deixados para trás nas loterias da Caixa.

Esta notícia foi interessante para você? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: