Preço médio do milho vendido em Natal é de R$ 0,70 centavos

Preço médio do milho vendido em Natal é de R$ 0,70 centavos

Preço médio do milho vendido em Natal é de R$ 0,70 centavos

Esse foi o preço médio constatado em pesquisa realizada pelas equipes do Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Natal)

Rafael Nicácio junho 22, 2021 Natal

A espiga do milho verde, principal ingrediente e base da culinária junina, pode ser comprada por R$ 0,70 em Natal. Esse foi o preço médio constatado em pesquisa realizada pelas equipes do Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Natal), divulgada nesta terça-feira (22). O levantamento verificou os preços praticados em feiras livres, hipermercados, supermercados de bairros, atacarejos e em outros quatro pontos tradicionais onde o produto é comercializado.

Se considerarmos apenas o levantamento realizado nas feiras livres e nos pontos tradicionais localizados em canteiros da cidade, a espiga está sendo vendida em média por R$ 0,55. Nestes pontos, os consumidores encontram o produto sendo vendido na palha e em quantidade de cem espigas, e a mão, como é chamada, com cinquenta unidades. Os preços médios encontrados em 2021 para cem unidades e a mão foi de R$ 55,00 e R$ 27,50 respectivamente.

Já nos hipermercados, supermercados e atacarejos o produto está orçado em média por R$ 1,20, destacando que nesses estabelecimentos é realizada a divisão do preço da bandeja de três ou cinco unidades, uma vez que é dessa forma que o milho é disponibilizado para os consumidores e justifica, em parte, a variação no preço.

O diretor geral do Procon Natal, Jonny Costa, ressalta a importância da realização da pesquisa, pois o milho é um produto já tradicionalmente consumido na região e nessa época do ano há um incremento de vendas por toda a tradição das festas juninas. “Constatamos que houve um aumento de 36% na oferta do milho nos pontos pesquisados. Isso se deve ao bom volume de chuvas registrado no início do ano nas regiões Oeste e Seridó, principais fornecedoras do insumo. Não falta opção para o consumidor comprar. Os preços estão bem semelhantes, mas há diferenças. A pesquisa ajuda a identificar onde o cidadão pode encontrar os melhores preços para o produto, podendo escolher onde quer comprar”, disse.

O Procon orienta ainda os consumidores a anteciparem a compra do milho, vez que com a aproximação da data do São João há uma tendência na elevação dos preços com o aumento da procura: “Quem puder garantir seu milho que o faça logo”, destacou Jonny.

Outros artigos

INSS vai revisar 170 mil benefícios em agosto

julho 27, 2021

INSS vai revisar 170 mil benefícios em agosto

Atenção: cerca de 170 mil segurados da Previdência Social que recebem benefícios por incapacidade temporária – o antigo auxílio-doença – devem ficar atentos para ag...