Portal N10

Polícia chinesa usa Google Glass para identificar fugitivos e impostores

Eles possuem um processador quad-core Cortex-A7

Enquanto o Google não conseguiu vender os seus Óculos como um dispositivo pessoal, a empresa encontrou um nicho separado por meio da Glass Partners – sendo 2017, o ano que fez o Google Glass renascer como o Enterprise Edition.

Em 2014, as equipes do Google,da Lenovo, da Microsoft e da China Aeronautics Consortium se uniram para formar uma nova empresa chamada LLVision. Em 2015, a LLVision lançou os óculos inteligentes do tipo Google Glass como GLXSS.

E o que torna esses óculos GLXSS tão especiais? Eles possuem um processador quad-core Cortex-A7, 1GB de RAM e 16GB de armazenamento. Eles têm uma tela de 0,25″ com resolução VGA, conectividade WiFi / Bluetooth e uma bateria de 650 mAh. Eles também possuem uma câmera de 8MP que pode gravar 1080p de vídeo.

Com tanta tecnologia envolvida, a polícia chinesa foi contemplada por seu governo e já vem utilizando o GLXSS em patrulhamentos nas estações de trem para identificar passageiros com documentos falsos.

GLXSS 

Os dados coletados pelos óculos GLXSS são transmitidos para um dispositivo que executa o Android e que verifica o documento de identificação nas bases de dados do governo. Todos os agentes de segurança da estação de Zhengzhou usam esses óculos para acelerar o processo e, até à data, já capturaram 7 fugitivos e 26 impostores.

Além da polícia, o GLXSS também está sendo usado na logística, segurança e campo médico para aumentar a produtividade

Leave A Reply

Your email address will not be published.