Imagem de Jill Wellington por Pixabay

Quando um ano acaba, já é automático: começamos a fazer um balanço de como nos sentimos na maior parte do tempo ao longo dos últimos 12 meses e pensamos em estratégias para melhorar vários aspectos no ano que está por vir. O conjunto desses aspectos é o que podemos chamar de qualidade de vida.

Apesar do caráter individual desse conceito, a Organização Mundial de Saúde (OMS) busca definir o que é qualidade de vida e elaborou uma metodologia para classificar o nível de satisfação pessoal média de uma população. Trata-se de um questionário composto por seis setores principais: físico, psicológico, nível de independência, relações sociais, meio ambiente e aspectos religiosos.

Segundo Daniel Guzmán, empreendedor do DeROSE Method, esses são denominadores comuns entre diferentes culturas, mas que ainda assim é difícil de quantificar a qualidade de vida de uma sociedade. “Trata-se de uma percepção muito particular, o que quer dizer que duas pessoas podem ter vidas “idênticas”, mas se a percepção de ambas for diferente, o nível de qualidade de vida segundo o questionário da OMS será diferente”, esclarece.

Sua percepção

Na definição do DeROSE Method, “qualidade de vida é tornar sua existência descomplicada, fazendo o que te dá prazer, com alegria, saúde e bem-estar”. Não existe uma fórmula mágica única. Não adianta seguir a rotina daquela blogueira que acorda às 6h da manhã e faz exercício físico em jejum, se você é uma pessoa notívaga e que acorda com fome. A experiência não será prazerosa pra você.

“O fator mais importante para quem deseja viver uma vida plena e com qualidade é ter clareza daquilo que se quer; clareza mental para definir seus objetivos de vida. É essa clareza que nos faz adotar os hábitos necessários para o sucesso, já que a neurociência comprova que vivemos até 98% nesse modo automático, buscando economizar energia para as coisas cotidianas. Como a criação de hábitos é inevitável, o segredo é criarmos hábitos positivos que nos conduzam às nossas metas, pois, por uma lei da natureza, eles tendem a entrar nesse automatismo”.

Quem explica isso é Vanise Perez, diretora da Escola DeROSE Method Cambuí, de Campinas, e consultora do programa DeROSE Life Consulting, que elabora algo como um “manual operacional do indivíduo”, para que você viva alinhado com o que te faz bem. Confira oito passos que Vanise sugere para se sentir melhor em 2020:

  1. Trabalhe o autoconhecimento pois é isso que nos faz ter clareza de qualquer coisa. A prática de mindfulness e a meditação contribuem muito para isso;
  2. Defina um propósito, o porquê você faz o que faz. Algo que te conduza por toda a sua vida;
  3. Estabeleça os seus valores de vida e o que você faz para vivenciar esses valores. “Tipo o valor “transformação” que sempre fez parte da minha vida. Tudo o que faço visa transformar a vida das pessoas para que tenham mais clareza e menos interferências na vida”, exemplifica Vanise;
  4. Conheça as suas singularidades, habilidades e características que fazem de você uma pessoa única. Você pode perguntar para as pessoas mais próximas algo que se destaca na sua personalidade na visão delas;
  5. Escreva seus desejos e metas alinhados com o seu porquê;
  6. Junte-se a pessoas que potencializam sua vida;
  7. Adote uma rotina que traga vitalidade: boa alimentação, prática de exercícios físicos, treinamento da mente com mentalização e meditação, momentos de lazer e ócio criativo, boas relações humanas e pessoas queridas sempre por perto;
  8. Esteja em constante aprimoramento. “Isso vai proporcionar uma expansão dos seus horizontes e auxiliar em momentos de mudança”, destaca Vanise.

E depois de chegar lá?

E por falar em constante aprimoramento, quando se atinge certo nível de satisfação com a própria vida, criamos uma nova exigência pessoal, pela necessidade de mantermos o que foi alcançado. “É importante ficar atento, para seguir disciplinado e colocar no automático os hábitos que levaram a essa vida plena. Se ela deslizar um dia ou outro, tudo bem, basta voltar à rotina no dia seguinte, sem jamais perder a força”.

Vanise Perez conta ainda que conviver com pessoas que buscam os mesmos objetivos de vida ajuda a manter o nível de satisfação atingido. “Duas ou mais pessoas reunidas com o mesmo objetivo somam forças para levar adiante essa empreitada”.

O fator mais importante para isso tudo é saber o que você deseja sentir e, de acordo com Daniel Guzmán, esse também é um exercício constante. “O autoconhecimento é um estilo de vida. Assim como a atividade física, se deixamos de praticá-lo, estacionamos e podemos comprometer nosso bem estar”, alerta Daniel.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.