Número de mortes por causa do coronavírus sobe para 492

Número de mortes por causa do coronavírus sobe para 492

fevereiro 4, 2020 0 Por Rafael Nicácio

Na província chinesa de Hubei, onde o surto do novo coronavírus se originou, o número de mortes aumentou para 479. O número foi anunciado pelas autoridades locais nesta terça-feira (4). A este número são adicionadas outras mortes registradas na China continental, um paciente em Hong Kong e outro cidadão chinês que morreu nas Filipinas, num total de 492 vítimas.

Além disso, 3.256 novos casos de pessoas infectadas foram relatados em Hubei, aumentando o número total para 16.678 na província e mais de 24.300 em todo o mundo. Enquanto isso, as autoridades informaram que 520 pacientes receberam alta no local, elevando o total para 892 pessoas recuperadas .

A China se esforça para aliviar a crise de saúde gerada pelo coronavírus, limitando os movimentos de pessoas em duas novas cidades que não estão em Hubei. O país asiático está usando as mais recentes tecnologias para tentar controlar a situação, como drones e hospitais construídos em tempo recorde.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que o vírus, semelhante à gripe, representa uma emergência global. Enquanto isso, os especialistas admitem que muitas coisas ainda são desconhecidas ao seu respeito, incluindo a taxa de mortalidade e as rotas de transmissão.

“No momento, não estamos enfrentando uma pandemia”, explicou Sylvie Briand, diretora global de preparação para riscos infecciosos da OMS, durante uma conferência de imprensa em Genebra (Suíça).

Ela também indicou que estamos em uma fase em que a epidemia de coronavírus tem múltiplos focos.

O epicentro do surto

Em Wuhan, epicentro do surto deste novo coronavírus, os centros médicos estão sobrecarregados. O hospital “instantâneo” de Huoshenshan – construído em apenas 10 dias para abrigar pacientes infectados por esse microorganismo – começou a operar em 3 de fevereiro e Leishenshan, um centro de saúde semelhante, será inaugurado no dia seguinte 6.

As autoridades do gigante asiático novamente expandiram a área de quarentena para incluir a cidade de Taizhou, três distritos de Hangzhou e vários de Ningbó.

Os quase 12 milhões de pessoas que habitam essas partes de Zhejiang são proibidos de sair livremente de suas casas: uma pessoa pode sair de casa a cada dois dias para comprar itens necessários, informa a agência AFP.