Destaques, RN

Novos casos da Hanseníase no RN preocupa o Ministério da Saúde

No Rio Grande do Norte, o número de casos da hanseníase vem causando preocupação. Só em 2016, o estado teve 5 novos casos da doença para cada 100 mil habitantes na população em geral.

Você deve estar se perguntando: o que é a Hanseníase? Bem, ela é uma doença crônica com grande poder de causar incapacidades e deformações físicas. Também é capaz de infectar um grande número de pessoas. A transmissão ocorre por meio da respiração de uma pessoa doente e sem tratamento para outra, durante contato prolongado.

Posso tratar a Hanseníase? Sim, o diagnóstico e o tratamento da hanseníase são oferecidos pelo SUS e estão disponíveis nas unidades públicas de saúde. Mas é importante que essa detecção seja realizada o mais rápido possível, como explica a coordenadora-geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação do Ministério da Saúde, Carmelita Ribeiro.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias em seu e-mail. O artigo continua após o formulário!

Mantemos seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam esse serviço possível. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações.

“A hanseníase é uma doença que é um problema de saúde pública para o nosso país. O Brasil é o segundo no mundo em número de casos de hanseníase, de forma que a gente precisa, incansavelmente, tanto trabalhar com a população de forma que a população possa conhecer os sinais e sintomas, como também trabalhar com os profissionais de saúde para saber reconhecer a hanseníase e fazer busca ativa e fazer o diagnóstico o mais cedo possível, o mais precoce possível”.

O Ministério da Saúde recomenda que as pessoas procurem o serviço de saúde se perceber o aparecimento de manchas, de qualquer cor, em qualquer parte do corpo, principalmente se essa mancha apresentar diminuição de sensibilidade ao calor e ao toque. Após iniciado o tratamento, a pessoa para de transmitir a doença quase que imediatamente.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.