Nova Atlântida? Estado da Louisiana, nos EUA, está afundando e deverá sumir do mapa em 2100

Louisiana, um dos estados do sul dos EUA, está afundando, alertam especialistas, afirmando que nos últimos 80 anos, mais de 5.000 quilômetros quadrados de terra estavam sob água.

Aos poucos, Louisiana está mergulhando no Golfo do México. Três especialistas americanos: Bob Marshall, Brian Jacobs e Al Shaw estimam que até 2100, New Orleans será completamente coberta pela água. As causas variam entre mudança climática e fator humano, segundo artigo recém-publicado no portal ‘ ProPublica ‘. As informações são do site Actualidad RT.

Foto: REUTERS Lee Celano
Foto: REUTERS Lee Celano

Tudo teria começado com um golpe retumbante no ecossistema local, quando, em 1927, foi iniciada uma campanha de construção de represas para reter a água e evitar os constantes transbordamentos do rio Mississípi. Enquanto que, por um lado, os diques cumpriram sua função, por outro impediram o fluxo contínuo dos sedimentos arrastados pelo rio, que permitiam a formação do solo da linha costeira, graças à ancoragem de raízes de plantas da região. Além disso, o degelo em escala global elevou gradualmente o nível dos mares em 3.2mm a cada ano. O caso da Luisiana, por sua vez, é particularmente mais grave, pois em torno da Grand Isle, a ilha que funciona como uma barreira no Golfo do México, o nível marítimo está subindo 9.2 mm anualmente.

Outro fator importante são as atividades industriais na área. Ao longo do século XX, Louisiana tornou-se um dos maiores centros nacionais de extração de gás e petróleo. Isto significa duas coisas: Primeiro gigantes da energia cavando milhares de quilômetros de canais através de zonas úmidas, que serviam de locais para o transporte de seus equipamentos. Estes canais da costa passaram a ruir e água salgada começou a penetrar no interior. Em segundo lugar, a própria terra teria entrado em colapso após as empresas extraírem petróleo e gás a partir de poços subterrâneos.

você pode gostar também

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido, entre em contato (contat[email protected]) para solicitar a matéria!