soldados-do-exercito-sul-coreano
Soldados do exército sul-coreano em treinamento (Foto: Republic of Korea Armed Forces)

(ANSA) – A maratona de reuniões em alto nível entre as duas Coreias, as primeiras em quase um ano, entram no terceiro dia nesta segunda-feira (24) sem encontrar uma solução de paz para os dois países. As nações estão tentando diminuir a tensão entre os povos, que começou a se agravar desde o início do mês quando dois soldados sul-coreanos ficaram feridos na explosão de duas minas terrestres em uma área desmilitarizada. O governo de Seul acusa os vizinhos de serem os responsáveis pela instalação dos artefatos.

Por causa disso, a presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, exigiu um pedido de desculpas formal do governo do Norte para encerrar as manifestações com alto-falantes na fronteira, que estavam interrompidas há 11 anos e que foram retomadas na última semana. Segundo a agência de notícias local Yonhap, a decisão foi tomada durante uma reunião com seus colaboradores, que estão na cidade fronteiriça de Panmunjeom, e que tentam atingir a paz com o governo de Pyongyang. Por sua vez, os comandados de Kim Jong-un excluíram qualquer responsabilidade no incidente e acusaram os vizinhos do Sul de dispararem tiros de artilharia contra o país na última semana.

A troca de acusações entre as delegações é constante. Seul diz que as tropas do norte estão se mobilizando em níveis extremos e que o líder de Pyongyang ordenou uma movimentação intensa de todos os submarinos do país. Nos encontros, pelo lado do Sul, estão presentes o chefe do serviço de Segurança Nacional, Kim Kwan-jin, e o ministro pela Unificação, Hong Yong-pyo. Do outro lado, estão o diretor da Agência Política Geral do Exército, Hwang Pyong-so, e um dos secretários do Partido dos Trabalhadores, Kim Yang-gon.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.