No RN, 29,5% das mortes violentas são de jovens entre 15 e 24 anos

No RN, 29,5% das mortes violentas são de jovens entre 15 e 24 anos

No RN, 29,5% das mortes violentas são de jovens entre 15 e 24 anos

Rafael Nicácio dezembro 9, 2020 Notícias

De cada dez pessoas mortas por causas não naturais no Rio Grande do Norte, três têm idade entre 15 e 24 anos. No Nordeste, essa proporção fica atrás apenas da Bahia (31,5%) e Alagoas (31,3%). Os dados são da pesquisa Estatísticas do Registro Civil 2019 e foram divulgados pelo IBGE.

Em 2019, das 1.752 pessoas mortas violentamente no estado, 518 estavam na faixa de idade de 15 a 24 anos. Na comparação com todas as unidades da federação, essa é a sexta maior proporção. Além de Bahia e Alagoas, somente Amapá (41,2%), Amazonas (32,9%) e Rio de Janeiro (31,4%) superaram o estado potiguar nessa perspectiva.

Apesar disso, o Rio Grande do Norte teve a segunda maior redução do total de mortes violentas entre 2018 e 2019: 20,5%. Em 2018, foram 2.204 mortes de causas não naturais, 452 mortes a mais na comparação com 2019. Só Distrito Federal (22%) e Ceará (24,8%) tiveram reduções proporcionais maiores.

RN tem segunda maior redução de nascimentos do Brasil em 2019

No Rio Grande do Norte, 45.488 crianças nasceram em 2019 e foram registradas no mesmo ano. Em 2018, foram 47.754 nascidos e registrados no estado. Os 2.266 nascimentos a menos representam uma redução de 4,7%, a segunda maior do Brasil. Apenas o Rio de Janeiro (5,4%) teve uma diminuição mais expressiva no período.

Local de nascimento

No Rio Grande do Norte, 45.270 nascidos em 2019 tiveram partos feitos em hospitais. Isso representa 99,52% de todos os bebês nascidos no estado em 2019. Essa é a segunda maior proporção do Nordeste, ao lado de Alagoas (99,52%) e atrás somente de Pernambuco (99,56%).

Ainda segundo as estatísticas do Registro Civil do Rio Grande do Norte, 81 nascidos tiveram seu parto em casa e 131, em outro lugar.

Em todas as unidades da federação, mais de 96% dos nascidos tiveram seus partos em hospitais. No Nordeste (98,56%) e Brasil (98,99%), as médias são semelhantes. Para o Registro Civil, a designação de hospital é ampla e inclui estabelecimentos de saúde sem internação.

Sub-registro

Em 2018, o Rio Grande do Norte teve 721 nascimentos não registados naquele ano nem nos três primeiros meses de 2019. Essa estimativa de sub-registro representa 1,49% dos nascimentos de 2018 no estado. O percentual é o segundo menor do Nordeste. Apenas a Paraíba (1,28%) tem uma proporção inferior.

O percentual de sub-registros potiguar está abaixo da média do Brasil (2,37%) e do Nordeste (3,2%). Percentuais inferiores a 5% são considerados em nível de erradicação. Apenas cinco estados do Norte do Brasil apresentam resultados acima deste patamar.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial.

Outros artigos