No pior momento da pandemia, Bolsonaro aciona STF contra restrições

No pior momento da pandemia, Bolsonaro aciona STF contra restrições

No pior momento da pandemia, Bolsonaro aciona STF contra restrições

Romário Nicácio março 19, 2021 Destaques

(ANSA) – Enquanto o Brasil enfrenta o pior momento da pandemia do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) para reverter restrições de circulação impostas pelos governos da Bahia, do Distrito Federal e do Rio Grande do Sul.

Esses três estados, segundo o último monitoramento da Fiocruz, têm índices de ocupação nas UTIs de Covid-19 no SUS de 86%, 97% e 100%, respectivamente. Segundo o governo Bolsonaro, o fechamento de atividades não essenciais, mesmo em situação de emergência sanitária, precisa ter o respaldo dos legislativos estaduais e não pode ser imposto por decreto.

Na ação, o governo diz que as medidas de restrição devem “preservar o mínimo de autonomia econômica das pessoas, possibilitando a subsistência pessoal e familiar” – o novo auxílio emergencial proposto pelo presidente prevê pagamentos de apenas R$ 150 a R$ 375, durante quatro meses.

Em sua transmissão semanal no Facebook, na quinta-feira (18), Bolsonaro já havia mencionado a ação no STF, dizendo que o recurso é contra supostos “abusos” dos governadores. Medidas de distanciamento social são comprovadamente a única maneira de conter a disseminação do novo coronavírus em situações emergenciais como a que o Brasil vive atualmente.

De acordo com a Fiocruz, o país enfrenta o “maior colapso sanitário e hospitalar” de sua história, e a média móvel de óbitos em uma semana, medida pelo Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), vem crescendo de forma ininterrupta desde 21 de fevereiro e batendo recordes em sequência há 23 dias.

O país contabiliza atualmente 287.499 mortes por Covid-19, sem levar em conta a subnotificação, e quase 11,8 milhões de casos confirmados.

Outros artigos