Mortes por Covid-19 é maior entre mais pobres

junho 8, 2020 0 Por Rafael Nicácio
Mortes por Covid-19 é maior entre mais pobres

A renda é fator determinante na mortalidade pelo novo coronavírus (Covid-19). Essa é a conclusão de pesquisadores das universidades federais do Rio Grande do Norte (UFRN) e do Ceará (UFC), que analisaram as informações epidemiológicas e a letalidade da doença baseados em dados de geoprocessamento dos casos e óbitos. Os cientistas observaram que a transmissibilidade, assim como a chance de alguém com a infecção morrer por causa do coronavírus na cidade de Natal, depende fortemente da localidade.

A pesquisa mostra que na Zona Norte, onde há mais vulnerabilidade social, essa taxa é de 4,49%, enquanto na Zona Sul é de 1,47%. Na Zona Oeste a taxa (4,18%) também é bastante superior à da Zona Leste (2,97%). As regiões Norte e Oeste têm renda média de R$ 470 e as regiões Sul e Leste apresentam renda média três vezes superior (R$ 1.603), conforme mostra o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2019.

“A covid-19 é uma lupa de aumento dos problemas socioeconômicos estabelecidos ao longo dos anos. O Brasil sofrerá particularmente se a covid-19 não for controlada a tempo. A pandemia poderá se transformar de forma muito rápida em uma crise humanitária com forte viés socioeconômico”, argumentou José Dias do Nascimento, do Departamento de Física Teórica e Experimental (DFTE/UFRN) e um dos pesquisadores envolvidos na pesquisa. Ele reforça que o estudo aponta para a necessidade primordial de utilização de diferentes cuidados e desenvolvimento de políticas focadas em populações vulneráveis para que se tenha efeitos estabilizadores na sociedade como um todo.

Mortes por Covid-19 é maior entre mais pobres natal UFRN
Mapa com dados Geoprocessados para Natal-RN mostrando a distribuição de óbitos em função da renda média.

Essas evidências apontam na direção de uma série de vulnerabilidades subjacentes que contribuem para a morte por infecção nas regiões Norte e Leste, que têm taxas de mortalidade por covid-19 duas vezes maior que as pessoas que vivem nas zonas Sul e Leste, mesmo as populações dessas áreas tendo disponíveis praticamente o mesmo sistema de saúde. “A contaminação é grande em todas as classes sociais, porém os desfavorecidos têm, estatisticamente, desfechos fatais”, enfatizou José Dias.

Para José Dias, a vulnerabilidade social está muito ligada à renda das pessoas, mas a falta de investimentos do estado nas regiões mais pobres também pode influenciar nesses fatores. “Esses lugares sofrem com a baixa proteção social, saneamento básico, densidade domiciliar, acesso a alimentos, nutrição balanceada para crianças pequenas, mulheres grávidas e que amamentam, idosos, grupos de risco e dificuldade de acesso à visita médica regular que identifique doenças críticas”, reforça o pesquisador.

Outro fator observado na pesquisa é a situação do isolamento social, que também tem grande correlação com as diferentes populações. “Pessoas de baixa renda precisam sair de casa. Ou seja, nosso estudo também é um guia para que a gestão pública entenda que não se pode segurar ninguém em casa sem dar condições. É um problema dinâmico”, destacou.

Mortes por Covid-19 é maior entre mais pobres natal UFRN
Isolamento médio também é afetado por renda. Ações do estado precisam fornecer condições socioeconomicas para o sucesso do enfrentamento.